Mete a Colher - Clique e veja essa Metida de Colher

    Adolescentes e seu medo de perguntar…

    15.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Dicas, Izaias Barros, Saúde

    1

    Então, não é de hoje que muitas pessoas têm dúvidas sobre seu próprio corpo e sentem vergonha ou não tem a devida orientação na hora certa. Conhecer o seu corpo é fundamental para um desenvolvimento saudável, assim quando aparecer “surpresas” no seu corpo, não ficará tão assustado como a maioria da população.

    Estima-se que 6 em cada 10 pessoas não recebem orientação devida sobre sexualidade e anatomia, número esse que preocupa a OMS, visto que a falta de conhecimento no assunto gera outra grande preocupação no meio da saúde que são as DST’s .

    Frequentemente, os adolescentes descobrem sobre a vida sexual na rua, com amigos, amigos de amigos e etc. O que causa uma série de erros, dos mais simples aos que podem levar à uma complicação mais grave, como por exemplo, as meninas que utilizam o mesmo anticoncepcional de uma amiga, só porque deu certo com a amiga. É necessário que exista sempre um profissional da saúde por trás de qualquer decisão que envolva medicamentos. A falta de instrução sobre relações sexuais é a causa mais alta de incidência sobre o número de meninas com gravidez precoce.

    Meninas que por não conhecer seu corpo, acabam “entrando na onda” de meninos que também não se conhecem e acabam por engravidar, ou tomar remédios para evitar a gestação de forma indevida. O remédio mais comum utilizado por essas pessoas que não se conhecem é a pílula do dia seguinte, uma verdadeira bomba hormonal. Esse medicamento só deve ser utilizado em casos de emergência, quando se por acidente, a camisinha se rompeu e o parceiro ejaculou dentro, nesse caso é indicado.

    Existem meninas que após cada relação tomam a pílula, sem saber o mal terrível que estão causando ao próprio corpo.

     Por isso, queridos jovens, não tenha vergonha de perguntar. Use toda sua cara de pau e saia na frente. Conheça seu corpo, seja inteligente, não embarque na onda de ninguém, procure um profissional.

    Seja esperto, use camisinha sempre!

    Até a próxima….

    *Instagram @iizaias

    izais-barros

    Meditação orgástica… você faria?!

    13.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Colheradas do Dia, Dicas, Vídeos

    Uiii… isso deve ser uma delícia! Me corrijam se eu estiver errada… mas a meditação orgástica não seria a mesma coisa que massagem tântrica, só que concentrada na região íntima?! Bom, de qualquer forma adoraria que o Môre tivesse paciência para praticar atividades parecidas comigo… =[

    Alguém aí já praticou algo parecido? Conta pra gente sua experiência nos comentários…

    Sugestão do @p2mattos

    Eu amo minha namorada “cheinha”… mas ela está engordando cada vez mais!

    13.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Gostaria muito de um conselho, namoro há 4 anos, e amo muito ela. Quando a conheci, ela já estava um pouco acima do peso, e confesso que tenho uma certa atração por mulheres “cheinhas”. O problema é que ela está ultrapassando o limite de “cheinha”, e estou perdendo aquela atração sexual que sentia por ela antes. Hoje em dia ela usa roupas e se alimenta como se estivesse em forma, e o pior é que ela sabe que está na categoria de obesidade, inclusive eu até já disse a ela, de uma forma delicada, claro, mas ela começa com um regime e só dura uma semana.

    Eu a amo demais e sei que um relacionamento não é só corpo, mas isso contribui muito. Não quero perde-la porque isso não é motivo pra terminar, mas gostaria que ela se cuidasse um pouco mais, pois o que aparenta é que pra ela isso não é algo importante e que não influi no relacionamento … que atitude eu tomo???

    Que perigo! É difícil até pra eu te dizer como fazer isso, sabe por que? Ao mesmo tempo que acho bacana o namorado querer ver a mulher bem e ser sincero até com um assunto tão delicado... acho que escutar isso da pessoa amada é doloroso, ainda mais doloroso por saber que é verdade e que a única culpada sou eu! Digo isso pois sou gordinha e tenho todas as neuras possíveis! O namorado é sincero, mas dá vontade de esganar por ele te fazer ouvir a verdade! Entende a situação colega?!

    As vezes ter a consciência de que não é somente você quem está percebendo o que está acontecendo, pode ajudar... ou não... ai ai ai como você já falou com ela e não surtiu muito efeito, tenho duas opções. A primeira é você falar novamente com delicadeza, mas se comprometer a acompanhar ela na dieta (pelo menos quando estiver ao lado dela) e levar ela para fazer uma atividade física juntos. Outra saída é conversar com alguém que ela dê ouvidos e explicar toda a situação, contar que já falou com ela e que nada adiantou... e que precisa da ajuda dessa pessoa para também dar um toque nela.

    Não satisfeita com minhas sugestões, lá fui eu atrás do Môre para perguntar como ele iria falar comigo, caso eu estivesse passando dos limites de "cheinha" - ahã... "se" kkk - me arrependi de perguntar assim que terminei de fazer a pergunta! E como já era de se esperar, lá foi o grosso dizendo... "Tá na hora de emagrecer, tá parecendo uma porca de gorda!", chocada questionei ele... "Porra.. é assim mesmo que você iria falar comigo?" e aí começou a neura... "É Môre... aposto que estava com essa frase entalada na garganta, devia tá querendo me dizer isso há tempos e aproveitou a minha deixa, né!? Bom saber que você iria usar essa delicadeza toda..."

    Bom colega... você tá vendo como a situação é complicada! Se não fala é considerado um otário, se falar é um escroto! Difícil isso... Mas foi aí que o Môre deu uma sugestão boa - pelo menos isso, a essa altura da conversa já estava com vontade de esfaquear ele - e disse que na verdade ele iria falar numa boa assim... "Meu amor, olha só... tô preocupado com a nossa saúde e tal, vamos nos cuidar melhor, fazer uma reeducação alimentar, caminhar... vamos? Você me ajuda, sozinho acho que não consigo."

    Ounnnnti! Ti mininu mais lindu! Tá vendo... dessa forma me fez baixa a guarda, me deu um "toque"  de maneira suave e eficaz! Tenta assim... coloque a questão da saúde em primeiro plano e peça ajuda... ao invés de dizer que fará algo para ajudar à ela. Tira o foco dela e jogue para você, sacou?!

    Eu quero, mas não consigo parar de trair meu marido… o que eu faço?!

    10.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Primeiramente agradeço por está lendo meu e-mail, minha história não é longa… 

    Tenho 23 anos e desde janeiro mantenho contato com um amigo que com o tempo foi dando em cima e acabei caindo, ficamos 2 vezes só no beijo e abraço, só que depois de uma certa insistência acabamos transando no terceiro encontro, só que tem um grande detalhe Sou casada e não gosto de estar fazendo isso. Evito ele mas quando ele aparece eu me derreto toda, não sei o que fazer porque não quero trair meu marido, mas não tô conseguindo me segurar quando é pra eu dizer chega. Já terminei o nosso rolo diversas vezes mas nunca mantive a palavra. me ajuda, Não consigo contar isso pra ninguém por vergonha. Espero que me ajude o mais rápido possível.

    Ahhhh mulher! É difícil segura a piriquita quando o relacionamento não vai bem, né?! Você nem precisou nos contar como anda seu casamento pra eu chegar a conclusão de que anda de mau a pior. Raríssimas são as vezes em que uma mulher casada trai, mesmo estando com o relacionamento numa boa! Acho que sua postura de pelo menos tentar evitar a traição, muito correta... porém, está faltando um pouco mais de determinação.

    Tente colocar sua vida em ordem, mas pra isso você vai precisar ser sincera com seu amante e pedir para que ele não se aproxime mais de você, pois precisa colocar a cabeça no lugar e tal. Não tenha medo de abrir seu coração para ele, pois bem provavelmente isso vai assustar o rapaz e ele finalmente lhe dará sossego! Enfim, após conseguir parar com as traições, chame seu marido para uma conversa bem séria e tentem juntos, compreender o que está de errado e somente depois decidirem o que irão fazer com essa informação.... Tentar recuperar o casamento? Colocar um ponto final? Não interessa... o importante é tomar uma decisão e sair de cima do muro, ok?!

    A dama do lotação

    10.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Contos, Vitor Lima

    1

    Clícia, uma morena de 26 anos, estava cansada de sua vida medíocre de comerciaria. Trabalhava em uma loja no centro, estudava à noite para concluir a faculdade e era extremamente carente. Apesar de relativamente bonita e “muito gostosa” aos olhos dos operários da obra próxima ao seu trabalho, Clícia tinha uma vida sexual chocha. Transava apenas quando namorava, mas namorava apenas de dois em dois anos, no máximo, e os relacionamentos eram breves, talvez por ser recatada demais.

    O recatamento tinha motivo: Clícia vinha de uma família evangélica. Sua mãe, dona Carminda, via pecado em tudo e era vigorosa ao corrigir aquilo que considerava “desvio da fé”. Seu pai, também evangélico, tentou violentá-la quando ela tinha 13 anos. Ao invés de apoiá-la, a velha culpou-a pelo assédio criminoso do pai: “Sua pervertida! Você fica aí se exibindo e tentando o teu pai. Ele é homem e você uma putinha”, disse a maldita antes de expulsá-la de casa.

    Clícia viveu o restante da sua adolescência na residência de uma tia que não era assim tão devota. Ali, viu a “pervesidão” que sua mãe condenava. Mas, sempre sentindo-se culpada pelo episódio que resultou na sua expulsão de casa, jamais via o sexo com a naturalidade que deveria ter. Ao ver os primos e suas namoradas nos carinhos mais íntimos na sala ou no quarto, a libido lhe fazia o sangue ferver ao mesmo tempo que a vergonha lhe domava os instintos.

    E assim passou a adolescência até o início da fase adulta quando teve o seu primeiro namorado. Charles era o nome dele. Era um rapaz de muita paciência, pois aguentou o namoro que durou quase quatro meses só de beijos e abraços muito comportados. Apesar disso, foi ele quem tirou o cabaço de Clícia que já tinha 20 anos.

    Certo dia, ao pegar Clícia na colégio noturno, ele parou a moto em uma rua escura próxima à casa dela afirmando que havia acontecido um problema no veículo (desculpinha velha). Ela, incauta, acreditou que era preciso esperar o motor esfriar para que o veículo voltasse a funcionar. Charles foi se aproximando com beijos comportados, mas, a certa altura, conseguiu botar a mão nos peitos dela. Inicialmente, Clícia tentou resistir, mas cedeu facilmente, pois já não aguentava resistir a tantas investidas. Em poucos minutos, Charles já estava com a mão esquerda dentro do jeans dela. Com esforço, conseguiu descer um pouco mais e tocou a buceta da moça. Era um tanto cabeluda, mas estava encharcada. Aquela foi a senha para que Charles avançasse na ousadia. Pegou-a com força e levou para a margem da rua, escorou-a em um muro e tirou sua calça. Ela dizia “não”, “para”, “não”, mas aliviava as pernas para que a vestimenta saísse com maior facilidade. Seu tom de voz era de embriaguez e, segundos depois, já estava apenas com a parte de cima da roupa enquanto Charles acomodava seu pau no meio de suas pernas. Lentamente, ele forçou a entrada enquanto Clícia dizia seguidos pequenos “aís”. Com a rôla dentro, Charles começou a se movimentar de formar ritmada, tirando e botando o pau pra dentro. Antes que chegasse ao fim, Clícia voltou à sobriedade. Forçou Charles a tirar de dentro e afastou-se procurando peça de roupa que estava jogado ao chão. Vestiu-se apressada e disse que ia seguir a pé até em casa. Imediatamente saiu andando a passos rápidos antes mesmo que Charles pudesse dizer alguma coisa. O rapaz montou na moto, deu na partida e saiu em perseguição à jovem. Emparelhou e pediu para que ela subisse que a levaria até em casa, mas ela se recusou e seguiu caminhando apressada até o portão da casa, enquanto Charles tentava convencê-la a seguir com ele.

    O fim do namoro de Clícia com Charles se deu nessa noite. A vergonha lhe fez repulsar o moço.

    Nos dias seguintes, Clícia viveu momentos alternados entre a culpa, a vergonha, o nojo e o desejo. Este último, no entanto, ela fazia tudo para reprimir.

    O próximo namorado veio quase dois anos depois. Também rolou transa, dessa vez concluída como devido, mas não para Clícia que, apesar de já aceitar o sexo com maior naturalidade, ainda era dominada pela vergonha e pela culpa. Gozar ainda era algo que desconhecia. Disso ela só sabia através do relato das amigas.

    Vários namoros adiante e algumas outras trepadas também, Clícia se encontra já uma mulher madura, mas descontente com sua vida sexual que não aplacava o seus pensamentos libidinosos que tinha à noite e que nem chegavam perto dos sonhos que tinha nas madrugadas. Ela era o retrato da frustração.

    Clícia morava longe do centro. Morava sozinha desde que resolveu sair da casa da tia. Isso a forçava a almoçar perto do trabalho. Fazia as refeições em uma unidade do Sesc que tinha anexo uma cinemateca onde eram exibidos filmes entre o meio dia e as duas horas da tarde, período em que a maioria dos comerciários que trabalhavam na região central estavam em horário de almoço.

    Certo dia, após almoçar, Clícia resolveu assistir o filme em cartaz. Era A Dama do Lotação, um clássico da pornochanchada que tinha como atores principais Sônia Braga e Nuno Leal Maia.

    A história do filme se passa no final da década de 1970 e é baseado na obra de Nelson Rodrigues. Solange (Sonia Braga) fica traumatizada após ser estuprada pelo marido Carlos (Nuno Leal Maia) na noite de núpcias. Algum tempo depois, ela passa trai-lo sob o argumento de “ser fria” para com ele. As traições envolvem o melhor amigo e até o pai de Carlos. Mas o que chama atenção de Clícia é o sexo casual com desconhecidos, homens que Solange escolhe por acaso em viagens de ônibus e lotações.

    A cenas fortes e a temática excitam Clícia. De certo modo, ela se identifica com Solange e passa a imaginar que fazer sexo com desconhecidos não parece ser uma má-ideia.

    No Acre, estado em que Clícia morava, praticamente não há lotação. Mas tem ônibus lotados, como em todos os locais do País. Clícia residia em um bairro tranquilo, quase no centro e lá ela era bem conhecida. Tentar algo no ônibus que a levava em casa era impensável. Teria que ser para outros rumos, para lugares onde ela fosse só mais uma.

    Aquilo tudo não sai da cabeça dela. O sexo com desconhecidos não era apenas uma oportunidade para transar e satisfazer seus desejos e fantasias. Era bem mais que isso. Era uma oportunidade de transgredir, de fazer algo moralmente reprovável ao olhos dos pudicos iguais a sua mãe Carminda. Clícia nunca tinha transgredido. Fazia tudo certinho e tinha medo que as pessoas pensassem algo de mal a seu respeito. Temia ficar falada. Agora, fazer algo assim e ainda permanecer incógnita lhe era muito atraente.

    (mais…)

    Entre idas e vindas, brigas e arranca rabos… finalmente ele é só meu e eu não quero mais!

    09.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Oi nega, oi morê.

    Tenho 18 anos e tenho um caso (namoramos e voltamos sempre) há dois anos com um cara de 26 anos. Quando nós começamos a namorar era um amor só, e sexo rolava todo dia. Foi depois de 8 meses que nos terminamos, aí eu fiquei correndo atrás e não ficava com mais ninguém, e aceitava ele ficar com outras meninas e depois ficar comigo, pois eu achava melhor do que ficar sem ele.

    Até então o tesão rolava solto, mais ele resolveu morar junto com uma menina, e eu fiz da vida dela um inferno. Mas nós acabamos voltando, namoramos mais 3 meses e terminamos. Aí eu vivi a minha vida, transei muitoooo, e agora que estamos juntos mais uma vez, não tenho mais tesão nenhum nele! Tipo eu transo para ele não me trair com outra, mas eu não gozo com ele, como gozava quando estava solteira e com outros, e a vontade de ficar com um ex ficante é grande!

    O que eu faço neguinha? Eu só tenho 18 anos! ME AJUDA

    É o que eu sempre digo... a gente só colhe, aquilo que plantamos! Então minha fofa, é isso aí! Agora tá com um abacaxi nas mãos... mas vamos por partes, primeiro, espero sinceramente que tenha aprendido a não ficar atormentando a vida dos outros por conta de macho, a essa hora a ex dele deve tá rindo da sua cara e agradecida por você ter tirado o traste da vida dela! Outra coisa muito importante... chama-se "amor próprio" e é muito importante na vida da gente, pois é por conta dele é que nos damos valor e não permitimos que outras pessoas nos tratem com desprezo! Legal isso, né?! Se ame mais, pois alguém só será capaz de lhe amar se você se amar antes de tudo!

    Agora que já não sente nada além de ciúmes por seu namorado, deixe de ser orgulhosa e aceite o fim! Larga o osso menina! Deixe o cara seguir com a vida dele em paz e faça você o mesmo por sua vida, tá?! Você é muito nova pra já ter feito tanta cagada... tá na hora de ficar numa boa e dar tempo e se curtir um pouco!

    Não conseguiu segurar…

    08.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Universitária

    Quase todos nós temos uma história de sexo divertido, constrangedor ou absolutamente terrível na manga. Talvez um caso de uma noite que deu errado ou uma primeira vez que deixou algo a desejar. É quase um crime não compartilhar esses micos. E é isso que vou fazer aqui, minha vida sexual é uma verdadeira manota. E se você também tem alguma história divertida e maluca pra contar, vou adorar saber e quem sabe não vira um post aqui, né Neguinha? COM CERTEZA! Seria uma delícia ler os casos divertidos dos leitores! Podem enviar para [email protected]

    1Sempre tive uma tara por homens nerds, aqueles cheios de espinhas, com óculos e que não pegam ninguém. Não posso ver um nerd que logo imagino coisas.No primeiro dia de aula na faculdade, na minha turma tinha um bem assim. Tive que sentar ao lado dele e comecei a conversar, ele falando de como estava animado com o curso e o que seria assim que formar. A turma até que era animada e combinamos de fazer uma festa pra conhecer melhor o pessoal. Como toda festa de universitário, todos ficaram muito loucos e eu pior ainda. Quando disse que iria embora, o tal nerd falou que me levava. Ufa!!! Achei que ele nunca ia tomar nenhuma atitude.

    No carro ele não falava nada, simplesmente dirigia. Comecei a passar a mão nas pernas dele e elogia-lo, ele ria totalmente sem graça. Quando chegamos na minha republica chamei pra entrar.  Todo tímido ele entrou, até que começamos a nos beijar, um beijo muito molhado e ele não sabia onde colocar a mão, eu praticamente fiz tudo. Começando a ficar mais quente ele tirou toda a roupa em 5 segundos, kkkkk, achei estranho mas ainda estava interessada. Perguntei da camisinha e ele não tinha, com sorte eu sempre ando protegida, mas ele mal sabia o que fazer com aquele pedaço de plastico, comecei a ficar preocupada, mas curiosa.

    Achei melhor começar chupando, pra tentar deixa-lo mais relaxado, quando fui descendo, devagar e acariciando o saco dele, assim que cheguei lá,  comecei a chupar bem molhado, olhei pra ele e ele tava todo vermelho, parecia que estava fazendo força para saco ficar em pé kkkkkkk. Pensei, vou meter logo se não ele vai morrer aqui sem respirar kkkkkkk, quando subi, que joguei ele na cama ele simplesmente peidou kkkkkkkkkkkkkkkk mas não foi um peidinho, não foi aquele peido reto, foi aquele peido de velho kkkkkkkkkkkkkkkk. Não aguentei e disparei a rir, ri tanto de chorar, ele tadinho, ficou tão sem graça que enquanto eu ria ele pegou a roupa e foi embora e pior de tudo que deixou um cheiro de vudu no meu quarto.

    Hoje, ele não conversa comigo e sempre que me vê vira a cara. kkkkkkkkkkkkkkk. Tadinho, da próxima vez tenta segurar o c* melhor.

    universitária

    Uma onda de prazer passou pelo meu corpo… e meu pai viu!!!

    08.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Olá Neguinha e Môre ! Antes de tudo quero dizer que sou muito fã do blog e do canal Mete a Colher. 

    Tenho 20 anos. Nunca pensei que iria escrever para vocês, mas aqui estou eu em uma situação super constrangedora. Pra resumir, ontem eu estava estudando tranquila na sala, quando do nada senti uma sensação “estranha” pelo corpo, não foi um orgasmo pois já tive vários e sei bem a diferença, mas sim uma excitação que veio do nada, isso já aconteceu comigo algumas vezes, é uma “onda” muito louca mas muito boa. O pior não foi isso, a situação constrangedora foi o meu pai me pegando no flagra. Ele viu a “filhinha” dele com cara de tesão curtindo essa “onda” e saiu da sala rápido sem falar nada. Eu não sabia onde enfiar a cara. Não estava me masturbando !!! Pra deixar bem claro.

    O foda é que tenho uma família bem religiosa, apesar do meu pai ser tranquilo e meu amigo, não conversamos sobre isso, quanto menos ele ver a “filhinha” dele tendo sensações !! Desde ontem o clima tá estranho aqui em casa. O que vocês fariam em situações constrangedoras como essa ? 

    Beijos, adoro vocês !!!

    Que &#*$%@! Ai não... pior que isso, só se seu pai te pegasse com a mão na priquita! Entendo perfeitamente que não tem como prever quando essas ondas de tesão irão surgir... mas daqui pra frente, concentre-se em pelo menos não deixar transparecer... pense em rato morto, lixo, PIOLHO! Do jeito que sou apavorada nesses lances com pais, acho que aproveitaria os olhos virados e começaria a babar e fingir um ataque epilético! ahahahahahah

    Mas e agora que o papai já viu a cara de safada da filha, o que fazer?! Simples... nada! Infelizmente essa é uma daquelas situações que quanto mais tentamos explicar, pior ficará! Então pegue o resto de dignidade espalhado pelo chão, levante a cabeça e se faça de doida desentendida!

    Duvido muito, mas se algum dia ele tocar nesse assunto, realmente se faça de louca... tenho um ditado bem interessante que se encaixa perfeitamente pra você! "Se eu não me lembro, é por que não aconteceu!" kkkkkkkkk E pronto, bola pra frente e comece a agir naturalmente... ou você acha que seu papis pensava que você não era normal?!

    Brincamos à três, mas agora estou angustiada!

    07.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Oi neguinha, passei por uma experiencia com o meu noivo que esta me tirando a paz. Antes de começarmos a namorar eu havia ficado com algumas garotas nada serio sempre por brincadeira, sempre gostei mesmo de homens. Temos um casal de amigos que a namorada dele é uma mulher muito atraente, extrovertida e ate meio saidinha. Fomos a uma festa open bar e bebemos muito acabamos dando um selinho, eu e a garota, foi ai que começou a brincadeira. Eu e meu noivo havíamos transado algumas vezes falando nela, e a ideia tinha ficado na nossa cabeça.

    Sempre achei que eu tinha a mente aberta pra essas coisas, foi então que um dia fui ate a casa desta “amiga” pois ela havia terminado com o namorado e precisava conversar, bebemos um pouco,  meu noivo foi me buscar convidamos ele pra entrar, bebemos mais um pouco e então fomos todos tomar banho e ai começou a rolar fiquei com ela, ela ficou com ele. rolou, rolou e fui parando de me sentir a vontade, namoro a mais de 5 anos e foi difícil ver ele beijar outra pessoa, achei que seria bom pro nosso relacionamento passar por mais essa experiencia. Porem no dia seguinte me afundei em duvidas e ciumes.

    Já conversei com ele me falou que pra ele não significou nada, ele ate mudou comigo, disso que sou a melhor que sou a mulher da vida dele, mais sempre que penso nisso me bate um desespero, não sei o que fazer. Acho que não vou conseguir superar, isso vai destruir meu relacionamento.

    Ainn amiga, é por isso que sempre insisto para vocês conversarem muito sobre o assunto, antes de cair na brincadeira com tudo. Pois depois de se lambuzarem nos braços do tesão e gozarem... não tem mais volta! Não tem como "destransar", entende? Compreendo sua angustia e é super natural que aconteça... mas é a forma como você vai lidar com esses sentimentos, que fará a diferença.

    Nãõ se desespere achando que é fim de seu relacionamento, tenha calma e tome as rédeas dos sentimentos, não alimente esses sentimentos ruins... sempre que vier o ciume a sua cabeça, mude o foco e lembre-se de como foi bom ter uma nova experiência com a pessoa amada. Outra coisa importante, é que você não pode condenar seu namorado por nada, pois essa foi um decisão que os dois tomaram juntos... o que também não significa que se fizeram uma vez, terão que fazer sempre!

    Ter uma conversa sincera com seu namorado para expor suas inseguranças, ajuda muitoooo! Seja sincera e coloque exatamente o que está pensando pra fora, você não precisa carregar isso sozinha! E acredite quando ele diz que você é a melhor mulher do mundo, pois não vejo outro motivo pra ele dizer isso se não fosse verdade. Relaxa e supera, essa foi apenas mais uma experiencia vivida em casal... A brincadeira à três pode ser muito boa, mas no início é preciso ter muita maturidade no relacionamento e principalmente "controle" de seus sentimentos e reações!

    “Viva e sinta-se vivo”

    07.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Dicas, Diogo Pereira

     1

    Já faz um tempo que eu não escrevo. Os dias andam atribulados e cinzas, não que isso seja uma desculpa pela ausência da escrita. Porém, tais fatores exercem um poder minador superior às minhas expectativas. Iludido, como sempre. Contudo, no momento em que eu despejo essas palavras de maneira ansiosa e confusa (faço assim para que elas não se percam) sinto algo, que soa como um alarme, pedindo para que eu esqueça de vivenciar o meu tormento e possa tentar encontrar um pouco de paz aqui. Engraçado. Estou escrevendo sentado na minha mesa de serviço e fui incumbido pelo meu chefe em preparar um grande documento-resposta. Fico com o cursor piscando na minha frente e nada vem.

    Venho aqui como uma forma de fuga e contemplação da minha própria solidão. Agora percebo o quão sou solitário e isso, de maneira alguma, é algo ruim. Gosto de pensar que minha solidão é algo voltado para o auto descobrimento da minha pessoa. Quem sou EU? Eu não sei (risos). O que EU desejo? (silêncio constrangedor). Recentemente fiz as mesmas perguntas a minha namorada em um momento de discussão. Mal ela sabe que eu próprio careço das mesmas respostas. Uma resposta padrão e, igualmente evasiva, seria: “eu quero viver e ser feliz”. Mas o que é isso? Percebo que a vida envolve escolhas e essas escolhas são tidas como certas naquele exato momento. Tais escolhas são tomadas com o objetivo de se manter um padrão tolerante de felicidade. Antes de mais nada: o que é felicidade? Podemos dizer que a felicidade é um estado mental de contentamento e bem estar. Uma pessoa coerente, inclusive, gostaria que este estado mental seja o mais duradouro possível. Portanto, é aceitável que uma pessoa faça escolhas em sua vida que lhe tragam felicidade. Por se tratar de algo muito almejado podemos dizer que as escolhas a serem tomadas serão as mais corretas possíveis como dito mais acima.

    Porém, ao analisarmos o nosso passado (ainda que recente), percebemos o quão ruim foram certas decisões… mas espera! As escolhas não foram corretas, naquele momento, já que queríamos a tão almejada felicidade?! O que aconteceu? Porque eu consigo discernir (somente agora) que tal decisão foi péssima sendo que no passado eu a julguei boa e correta? O que deu errado entre o passado e o agora? Eu não sei responder isso! Mas ouço muito as pessoas dizerem “se eu tivesse a cabeça que tenho hoje eu não teria feito isso”. É, concordo. Podemos pensar que a vida nos marca profundamente e somos inundados por ela dos mais diversos sentimentos (bons e ruins). O nosso próprio conceito do que é bom ou ruim é alterado conforme avança a nossa passagem por essa vida. Algumas pessoas simplesmente evitam essas escolhas pelo temor do erro ou crítica. Penso que isso não é viver. Viver é algo que exige coragem tanto pela tomada das decisões quanto pelo fato de aguentar suas consequências. Portanto, ser for para decidir algo, desejo que você o faça com a convicção, ainda que desprovida da certeza temporal, que está fazendo a coisa correta. Digo-lhe isso, pois só vive aquele que consegue ser o mais verdadeiro consigo mesmo e com os outros.

    Diogo-Pereira

    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade
    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade