Mete a Colher - Clique e veja essa Metida de Colher

    Meu marido goza rápido demais e eu fico na mão. O que fazer?

    20.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    imagem Shutterstock

    precoce

    Email 1 

    Preciso muito da sua ajuda, sou casada a 5 anos, quando começamos a namorar ele tinha 15 e eu 22, e nosso sexo era assim, ele nao sabia quase nada e gozava muito rápido, e eu sempre pensava “é porque ele é novo com o tempo tudo vai melhorar em relação ao sexo”, porem atualmente eu tenho 27 e ele 20, e realmente muitas coisas melhoraram, hoje ele sabe usar a lingua, as mãos, realmente hoje ele sabe fazer sexo, o PROBLEMA é que enquanto ele esta fazendo as coisas tudo bem, porem quando eu resolvo começar a fazer  ele goza, ou seja, não posso fazer nada, se resolvo fazer um oral diferente, com massagem e tal ele goza, se resolvo sentar diferente ele goza, se resolvo gemer um pouco mais ele goza, preciso sempre ficar o mais imóvel possível, mas como ele faz bem feitinho logico que fico com bastante tesão, se vou fazer oral procuro nao demonstrar muita excitação, pq parece que se ele notar que estou com muito tesao ele nao consegue segurar, nao acho que ele sofra de ejaculação precoce porque quando o sexo é papai e mamae ou quando eu nao tento fazer nada fora do normal ele consegue segurar legal, só que isso tem me incomodado porque ele sempre goza antes justo nos dias que estou com mais tesão, nos dias que quero fazer algo diferente, algo bem excitante, não posso inovar em nada, sempre que acontece isso dele gozar antes ele termina pra mim com outros meios, mas eu quero poder terminar com ele penetrando e realmente nao tenho conseguido porque ja entro no sexo pensando tomara que eu goze rápido, sera que vai da tempo de eu gozar? sera que se eu fizer isso ele vai se perder? .. ele fica chateado com a situação, e sabe que eu tbm fico, mas nao sei como resolver, nao quero ter que ficar sempre como uma santinha na cama pra poder ter chance de gozar.

    Email 2

    Nao fazemos sexo todos os dias não, mas  nao passamos mais do que 2 dias sem fazer, as vezes ate podemos fazer 2 vezes no dia mas nunca uma seguida da outra, é tipo uma a tarde e ai outra a noite na hora do banho, quando fazemos 2 vezes no dia, normalmente em uma delas eu consigo gozar do jeito que eu gosto, mas nem sempre podemos transar 2 vezes por dia. Sempre que eu quero eu gozo sim, porque quando não da tempo de gozar com ele penetrando eu peço que ele termine pra mim de outros modos, porem, algumas vezes depois que ele goza eu fico irritada e nem quero mais que ele continue, porque nao adianta ele nem tenta levantar de novo para que possa ter 2 seguidas.

    Muitas vezes estou eu la no meio de um oral e ai quando vejo ele goza, um dia eu estava sentando e ai ele falou sai sai e quando eu sai ele gozou ( como somos casados nao temos muita neura com não engravidar, então se da tempo de por camisinha ótimo, mas se não da vai sem mesmo ele só tira antes de gozar).
    Converso com algumas amigas mas nunca contei nada sobre isso, mas pelo que entendo das conversas os maridos sempre deixam elas gozarem primeiro e depois eles gozam do jeito que eles querem, poxa, porque comigo nao pode ser assim?????????
     
    Email 3

    Se for um sexo papai e mamãe, no máximo um de ladinho nosso sexo demora entre 40 min 1 hora.  Agora pode estar indo tudo bem nos 15 primeiros minutos ai eu dou uma soltada no cabelo e resolvo fazer uma cara de sacana e pronto, nao precisa nem demorado 20 minutos pra ele ejacular.

    Já conversou a respeito com ele? É importante que ele saiba como você está se sentindo, mas tome muito cuidado, não diga nada que coloque em dúvida a virilidade dele, isso pode agravar ainda mais o problema e deixa-lo inseguro. Quando for falar destaque o quanto ele te dá prazer, comece falando de qualidades e coisas boas e com muito tato chegue ao ponto que você quer e dê o seu recado.

    Pelo que você descreveu, parece um caso de ansiedade e falta de experiência que pode ser resolvido. Se ele goza rápido quando você começa a fazer alguma coisa, mas se você fica paradinha ele leva até 40 minutos para ejacular, o problema não é ejaculação precoce, pois os homens, segundo estudos, levam em média 6,5 minutos para ejacular na faixa etária dele. Portanto, mesmo quando ele goza em quinze minutos já está acima da média geral.

    Estatísticas a parte, estamos falando do seu caso em específico e você está incomodada. Se ele não consegue esperar você gozar, e você não pode se soltar que ele goza na hora, procurem tratamentos alternativos para os dois, sexo e massagem tântrica e terapias sexuais, pois vocês vão aprender mais sobre o corpo um do outro, eliminar bloqueios e ter mais ferramentas para lidar com essa ansiedade.

    Realmente não tem que falar da sua vida íntima com amigas, também não acredite cegamente no que elas contam a respeito dos maridos, poucas pessoas são honestas com relação a essas coisas e você corre o risco de estar tomando como referência de normalidade histórias totalmente fantasiosas.

    Falamos em tratamentos alternativos que, na verdade, tratarão mais o sintoma em si, é importante também que vocês entendam as causas desse problema, investigar o histórico de outras relações e experiências sexuais dos dois pode trazer respostas importantes. Busque ajuda psicológica profissional para os dois.

    Se ele concordar é bom consultar um urologista que cuida especificamente de problemas assim. Existem fatores biológicos que prejudicam a vida sexual. É bom que vocês descartem todas as possíveis causas do problema até chegar a uma solução. Não se sabe, mas ele pode estar até mesmo com um desiquilíbrio hormonal que está deixando-o ansioso. Investiguem tudo!

    Boa sorte!

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

    Meu peguete tem mau cheiro lá embaixo e diz que eu não me cuido.

    18.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    mete a colher porco

    Isis, me ajuda pelo amor de Deus…

    Eu gosto do peguete, sabe? Mais tá difícil aguentar tanta porquice.

    Não escova os dentes, não lava o pinto e não lava o cú. Isso mesmo, toda vez que vou chupar sobe aquela maré de bosta. Eu achava que era só do pinto dele, mais checando com mais cuidado descobri que é do cú tbm, que alias me lembra a Neguinha quando fala dos caras do cú cabeludo ele se depila inteiro e só deixa o cú com pelo, é a visão do infernooooooo

    Para culminar a situação, esses dias estavamos no rala e rola e quando olhei para o lado me deparei com a cueca dele com uma freada de bicicleta enormeeeeee. A cueca estava impecavelmente branca entao a coisa ficou muito destacada, eu não sabia se saia correndo ou se me escondia embaixo da cama.

    O pinto junta queijinho e quando eu quero chupar tenho que colocar ele embaixo do chuveiro antes e eu mesma fazer lavar pra ele, ele não sabe lavar o pau. Já vi ele passando um sabone mal e porcamente por cima sem dar a mínima. Até que o hálito dele não é ruim e ele usa perfume por incrível que pareça a aparência dele é impecável por fora, por dentro é um pão bolorento. Como pode? ele usa o banheiro da minha casa pra fazer número 2 e ninguém consegue entrar depois por pelo menos 1 hora, mesmo lavando a privada e jogando bom ar.

    Essa semana foi a gota dagua estou com candidíase e outra bactéria na vagina, a coceira é tão intensa que cheguei a faltar no trabalho. Quando contei pra ele vc não vai acreditar, ele disse que isso aconteceu porque não estou me cuidando e agora quer saber se estou transando com outro. Isso mesmo, ele nem se tocou que devo estar assim por conta da porquice dele. Sempre usamos camisinha, mas acho que mesmo assim ele deve ter me passado essa bactéria.

    Isis, se vc ver esse menino, ele é a coisa mais linda o carro dele cheira a quilômetros, mas o pinto deve feder pra fora das calças de tanto que é sujo.

    Será que ele tem salvação ou devo desistir? queria conseguir dar uma ajuda pra ele. Eu tenho 25 anos e ele 23. Por favor responde meu email!!!!!!! Te adoro sua loucaaaaa!

    Antes de falar dos aspectos relacionados à higiene e saúde, queria falar sobre os aspectos comportamentais.

    Normalmente quem leva o menino para o chuveiro e lava as partes íntimas dele é a mãe. É isso que você quer ser para esse peguete? Uma mãe? Ressaltando apenas que a mamãe lava o pinto do filho por um período bem curto de tempo, pois a partir de um dado momento o menino deve estar apto para fazer isso sozinho e nem permite que os outros façam isso por ele. Esse é o fluxo da natureza e é o que deveria ter acontecido com seu namorado.

    Se esse rapaz ainda não sabe como fazer a própria higiene sozinho é porque ficou estacionado na fase que a mamãe fazia tudo para ele e você só está repetindo e alimentando esse comportamento, contribuindo para  que ele continue preso nesta fase. Pode observar a vida dele como um todo, é provável que ele esteja estacionado em outras áreas também.

    Não pense que tratando-o como um bebê você está fazendo algum bem, na verdade você não está beneficiando nenhum dos dois. Você acha que se relaciona com um homem, mas na verdade está fazendo papel de mãe e ele de filho e esse é o primeiro ponto que você precisa observar nesta relação que deveria ser entre uma mulher e um homem adulto.

    Quis destacar esse ponto antes de qualquer coisa, para que você fique bem atenta e observe se  está repetindo isso em outras relações (familiares, profissionais, amizade). Fique bem atenta aos próximos relacionamentos que terá com o sexo oposto, lembre-se que você tem que ocupar o papel de mulher e não de mãe.

    A tendência de mulheres boazinhas e mãezonas é atrair homens fracos e dependentes. Sem contar que qualquer homem psiquicamente saudável não vai querer se relacionar com uma cuidadora.

    Quanto ao incomodo com a falta de higiene. Por favorrrr, como você consegue se prestar a um papel destes? Como pode o carro do cara ser limpo e ele ter uma ótima aparência? Esse fato sozinho já demonstra que tem algo errado aí e que esse rapaz precisa de ajuda profissional.

    O relacionamento com esse cara já está causando prejuízos para a sua saúde. Se resolver insistir nisto saiba que problemas assim têm raízes profundas, vem da educação que ele recebeu, envolve valores de família e não se resolvem da noite para o dia. Portanto, seja bem realista se estiver cogitando mudar esse rapaz, pois não é tão simples, principalmente por ter ficado claro que ele acha isso normal e ainda acha que você não está se cuidando. Convenhamos,  você não está se cuidando mesmo, camisinha não é suficiente e o contato com o restante da região íntima, sexo oral e beijo na boca? Infantilidade da parte dele e da sua também que está se prestando a esse papel. Acorda, você quer um homem de verdade ou uma boneca pra cuidar e dar banho?

    Se você consegue sentir tesão e transar com alguém nesta situação, também precisa de ajuda e não está em condições de ajuda-lo. Esse é um ponto a ser analisado em você, busque apoio de um profissional. Está achando que seu peguete é a ultima coca-cola do deserto? O que realmente está te prendendo a esse relacionamento? Que prazer você tem nisto tudo e qual é o ganho?

    Encare essas questões e faça algo por você. Na vida adulta cada um é responsável por cuidar de si e só é merecedor de ajuda quem quer se ajudar. Lembre-se que a ajuda que você dá ao outro é limitada, mas a que você dá a você mesmo é infinita.

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

    Viajei para visitar minha irmã com câncer e meu namorado me chama de egoísta?

    17.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    imagem Shutterstock

    frança

    Tenho uma decisão importante a tomar.

    Ola, sou portuguesa, eu e o meu namorado emigramos para França devido a crise que havia em Portugal e como ja vivíamos juntos à 2 anos decidi-mos de tentar melhorar a nossa vida. Estamos juntos já à 10 anos, com muito altos e baixos como todas as relações, aqui em França nao temos nenhum familiar nem amigos estão todos em Portugal o que torna a vida um pouco solitária mas gostamos de ca viver e a nossa vida financeira melhorou.

    Bem aqui vai a minha « questão »

    Uma semana antes do Natal a minha irmã de 28 anos descobriu que tinha cancer do intestino a noticia caiu que nem uma bomba na nossa familia pois ninguém estava a espera e eu estando tão longe ainda mais me custou. Eu tinha duas semanas de ferias no natal então comecei a pensar em ir uma semana a Portugal para dar um pouco de força a minha irmã e a minha mãe que estava muito triste. (ja faz 2 anos que nao vou passar o natal a Portugal devido ao custo elevado da viagem, tenho passado apenas com o meu namorado).

    Falei com o meu namorado sobre o assunto e ele disse que entendia se eu fosse a Portugal no entanto teria de ir sozinha pois ele nao tinha ferias e ja estava muito em cima da hora para pedir ferias.

    Bem assim foi eu decidi ir na semana do natal e pensei ficar ate ao dia 24 ou seja passar a véspera de natal com a minha familia visto que estava la e que não teria uma oportunidade tão cedo de o fazer, mas antes falei com o meu namorado ao qual ele me disse que se tivesse que passar o natal sozinho passaria… eu fiquei dividida pois se eu ficasse o meu namorado iria passar o natal sozinho mas se eu ficasse eu poderia passar o natal com a minha familia.

    Bem eu decidi ficar ate dia 24 e voltar no 25 de manha assim passaria a véspera com a minha familia e o dia com o meu namorado e então falei com o meu namorado apartir dai ele ficou chateado comigo e ai começaram as discussões. Eu fui e fiquei a semana em Portugal voltei no dia 25 e ai tivemos uma grande discussão em que ele me disse que eu sou uma egoísta que so pensei em mim e o deixei sozinho no natal, disse que estava muito triste e magoado comigo.

    Eu fui realmente egoísta indo e ficando o natal la mas pensei que ele entenderia pois foi por um motivo de saúde e é a minha familia….estarei assim tao errada pedindo um pouco de apoio e compressão devido a toda a situação ?

    Obrigada

    Por mais difícil que seja organizar uma viagem em um contexto tão delicado, você foi clara com seu namorado quanto aos seus planos? Às vezes, não é o que fazemos com o outro, mas como fazemos e como nos comunicamos.

    Não é fácil morar fora do seu país, em especial nestas épocas. É importante considerar que significado tem o Natal para o seu parceiro, mesmo porque você relata que os dois não tem família ou amigos na França. Se para ele o Natal é algo muito significativo e ficar sozinho é complicado, caberia a você (após 10 anos de relação) perceber isso e administrar a situação. Por outro lado, ele deveria considerar a relevância da situação. Supõe-se que um parceiro maduro não deveria ser tão implicante e demandar atenção absoluta em meio ao contexto que você relatou.

    Veja que pequenos ajustes e concessões dos dois lados teriam  evitado esse conflito. Não era um caso extremo, ninguém tinha morrido, você não teve que viajar as pressas, portanto, em momentos como esse é importante respirar fundo e se comunicar sem atropelar as coisas, lembrando que depois que o estrago é feito tudo fica mais trabalhoso.

    Adoraria ouvir a versão do seu namorado. Se a história for exatamente como você contou a postura dele parece inflexível, mas será que isso é suficiente para bater o martelo? Você fez uma viagem em um momento difícil para visitar sua irmã, ele concordou inicialmente, então, pela lógica, não há o que discutir se você decidiu passar a véspera de Natal com sua família. Mas é importante diferenciar se a reação dele foi imatura e desnecessária ou se foi apenas a gota d’agua para ele transbordar, após a repetição de inúmeras situações semelhantes e mal resolvidas.

    Para dar uma resposta mais precisa,  é importante olhar o panorama geral da sua relação e entender melhor a dinâmica da convivência entre vocês. Essa atitude dele é recorrente? Existe parceria nos momentos de crise? Existe uma troca saudável na relação? Um dos dois está se doando em excesso? Talvez, respondendo essas questões com honestidade,  você chegue a uma conclusão que te ajude a ter um relacionamento de mais qualidade.

    Após refletir sobre as questões acima, pense um pouco... Se o cara simplesmente surtou sem motivos aparentes e isso acontece com frequência na relação de vocês, é bom se posicionar diante disto e ser verdadeira com você ajustando suas expectativas quanto a essa relação e expondo isso para ele.

    Por outro lado, se você não está fazendo a lição de casa, não se comunica direito, ignora as necessidades dele e espera que seu parceiro te apoie em tudo, sendo que ele se sente sozinho na hora que mais precisa, é você que precisa rever os seus valores e aprender a administrar sua relação se realmente quer mantê-la.

    Volte para nos dar mais detalhes para conseguirmos te ajudar de forma mais efetiva.

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

    Ele terminou comigo por whatsapp, disse que sou uma vagabunda, mas eu quero ele de volta!

    12.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    imagem Shutterstock

    verbal abuso
    Boa tarde, minha história é bem complicada, conheci um garoto e namoramos por cerca de 8 meses ele era fiel, deixava eu ver as coisas dele, dizia que me amava etc.. até que um dia ele viu um comentário antigo de outro homem na minha foto que dizia: linda, e eu respondi esse comentário dizendo lindo, mas isso faz muito tempo, então ele surtou e brigamos, eu desativei meu face para que ele pudesse ficar tranquilo, pois o amo muito e abro mão de tudo por ele. No dia seguinte ele veio a minhs casa como de costume, e voltou ao assunto, dessa vez me perguntando se eu havia ficado com esse menino, e eu com medo dele terminar disse que nao, nao e nao. E ele insistindo até que ele me ameaçou dizendo que se ele descobrisse ele terminaria e se eu falasse a verdade ele continuaria comigo, e eu falei. Porém ele terminou, e eu pedia perdão pra ele, fazia de tudo, e depois de tres dias ele voltou. As coisas estavam indo bem, ate que no dia 9 de Dezembro ele terminou comigo por mensagem no Whatsapp dizendo que nao dava mais que ele nao consegue superar, eu fiz de tudo, corri atrás, pedi perdão, disse que superariamos juntos e ele nada. Falava comigo e dizia que me amava, mas que o orgulho e a raiva passam por cima, dizia que estava confuso e que ao mesmo tempo que queria voltar, os pensamentos ruins atormentavam ele. Ele me mandava bom dia, nos falavamos sempre. Ate que ele mudou, nao me mandava mais bom dia, mal falava comigo. E eu sempre correndo atras, ele me xingava dizia que eu sou vagabunda, me chamava de demônio, de puta..etc. E eu sempre falando que o amo e que nao sou isso que ele acha de ruim. Eu amo ele, e o quero de volta. Mas nao sei o que pensar. Me arrependo do que fiz, mas sei que nao foi grandes coisas pq era passado. Ele me bloqueou do Whatsapp e eu estou sofrendo há um mês pois foi muito intenso e eu me dediquei e me joguei de cabeça. Não quero ser identificada.

     

    O que você está fazendo com você? Acorde e pare de sofrer agora!

    Antes de ler a resposta, entre neste link Seja uma mulher valiosa e leia esse texto com muita atenção, ele foi feito para pessoas que estão passando por situações como a sua.

    Resultado de imagem para separador

    Para tudo!

    Você quer de volta um homem que termina com você pelo whatsapp, te chama de puta e demônio? Gasta o seu tempo escrevendo para o blog, não porque está incomodada com o comportamento abusivo dele, mas para saber que estratégia deve usar para contornar esse situação e  reatar? 

    Ele está te tratando como capacho e você está aceitando passivamente? Isso é preocupante. Seu relato demonstra claramente que você não está preocupada com isso,  se é que percebeu o que está acontecendo e a dinâmica doentia deste relacionamento.

    É destas agressões verbais e psíquicas que podem nascer agressões como a física, por exemplo, mas não pense que o que ele está fazendo agora é menos grave que um tapa na cara. Não subestime as atitudes desiquilibradas deste garoto ou de qualquer outro! Não se trata de exagero, trata-se de uma realidade dura que você precisa acordar e encarar.

    Seja valiosa!

    Como você pode endeusar tanto um cara destes e se colocar na posição de tapete? Rastejando, se explicando, desativando perfil do face, dizendo que ama? Você está se dispondo a fazer qualquer coisa para que ele não termine com você. O que mais você faria estando sob as ameaças dele? 

    Se quiser ser feliz na vida,  vai ter que deletar essa mulher "boazinha" que existe em você e se reconstruir do zero. No topo da sua lista de mudanças coloque auto respeito e amor próprio, pois sem isso você não estará preparada para se relacionar com ninguém.

    Seja valiosa!

    Mulherzinha submissa que faz qualquer coisa para ter , nem que seja uma porcaria de homem ao lado, está cheio por aí.

    Você é uma joia preciosa e como tal vai se levantar erguer a cabeça e fazer escolhas corretas. Pegue esse amor que você acha que sente por ele transforme-o em amor verdadeiro por você mesma.

    Entenda que você não vai ser mais amada se agir como você está agindo e a prova está clara nos resultados que está obtendo nesta relação.

    Seja valiosa!

    Vá estudar, aprender algo novo, conhecer gente diferente, amplie suas perspectivas de vida. Se gosta de dançar, dance, se gosta de viajar, viaje! Tire o foco deste relacionamento e de qualquer outro. Repito, se reconstrua do zero e depois pense em permitir que alguém tenha a honra de se relacionar com você. Olhe para você, tire o foco deste cara!

    Enriqueça sua vida, adquira brilho e vida própria, desta forma você consegue ter relacionamentos mais saudáveis e satisfatórios. Com a postura que você tem hoje, consegue transformar qualquer namoro em uma relação de abuso, vai atrair homens complicados e até violentos. Por isso precisa parar urgentemente e reavaliar suas atitudes e escolha.

    Seja valiosa!

    Desativar perfil no face, cair no joguinho dele e entregar o jogo de uma relação que aconteceu antes de vocês estarem juntos. Você se colocou no banco dos réus e aceitou que ele te transformasse na vilã desta história, só não consigo ver que crime você cometeu. Nunca mais dê tanto poder a ninguém. Faça um pente fino nas outras áreas da sua vida, esse padrão deve estar se repetindo nas amizades, na vida profisisonal e relações familiares.

    Ele te bloqueou no whatsapp e foi claro dizendo que não quer mais nada. Por que se agredir e se desrespeitar insistindo em manter uma históra destas?

    Olhando pelo aspecto psíquico, busque ajuda  profissional para entender que referência você tem de relacionamento, como é sua relação com pai e mãe,  que padrões familiares você está repentino, o que viu na sua infância que está influenciando suas escolhas do presente. Essa é a raiz do problema e o que acontecer daqui por diante na sua vida só será uma mera repetição, só depende de você mudar isso.

    Olhando o lado dele: Não fica claro no seu relato se o comentário na foto foi antes ou depois do início do relacionamento de vocês. Embora nada justifique o comportamento abusivo dele, é bem estranho ele ter uma reação tão intempestiva por conta de uma bobeira destas, portanto, se tem algum ponto na história que você omitiu, volte para nos contar, desta forma conseguimos te ajudar de maneira mais efetiva.

    Se precisar de ajuda meu contato está abaixo. Não desista de você!

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

     

    Você tem a sensação que não está onde gostaria na sua vida?

    11.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    perfil atendimento isis

    Ao longo de nossa existência somos surpreendidos pelo inesperado da vida com mortes, rupturas amorosas, doenças graves e outros reveses que nos fazem sofrer muito.Precisamos ir a um analista por isso? Não sei.

    O sofrimento é inerente ao traumático destas situações e uma metabolização através da palavra é sempre necessária. Ao buscar mos um analista, acredito, ganha-se tempo na elaboração, porque existe uma pessoa, entre outras coisas, com disponibilidade para nos escutar sem precisar falar de si.

    Em que outro lugar isto acontece?

    Agora, em outros momentos, embora até saibamos como estamos sofrendo, nos sentimos profundamente impotentes para reverter a situação e com isto erradicar a insatisfação crônica de algum aspecto de nossa vida. Rezamos para que a situação mude e nos colocamos à espera de um milagre que nos retire da miséria cotidiana.

    E o milagre começa a acontecer…

    Mas começa a acontecer no exato momento que invertemos a direção da questão. Ao invés de nos perguntarmos – ” porque a vida é tão injusta comigo e me presenteia com esta infelicidade?” , fazemos outra pergunta de resultados mais rápidos: “Como eu participo na minha infelicidade?”

    Neste momento é importante a presença de um psicanalista que nos auxilie a decodificar o que, até o momento presente, fez a manutenção de nosso sofrimento para melhor cortá-lo no ponto mais íntimo e singular de cada um.

    Mas o que é o ponto mais íntimo e singular de cada um?

    Em primeiro lugar é uma redundância para dizer que ninguém tem um sintoma igual ao de outra pessoa. Em segundo lugar, o sofrimento, é o aspecto do sintoma que comumente tem mais visibilidade benevolente, até para nós mesmos. Isso porque fomos ensinados a pensar que, se a pessoa está sofrendo, ela é só vítima e não cúmplice. O que a psicanálise faz é nos ajudar revelar para nós mesmos, a nossa parte comparticipe na fixidez de nosso sofrimento.
    Por exemplo, posso me queixar que meu casamento é ruim, que sofro com a relação, mas não enxergo que, ainda que minha dor seja absolutamente genuína, tenho uma parcela de cumplicidade seja na forma de comodismo, vergonha, gozo ou medo. Vencido isto… a liberdade para criar a vida desejada.

    Texto de  Rossana Braghini

    Sexo anal – Fiz cocô no pipi do meu namorado!!! Que vergonha o que eu faço agora?

    06.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    imagem Shutterstock

    anal

     

    Sou uma pessoa tão lesa que nem imaginei que isso poderia acontecer, a gente não faz  xixi com a penetração pela frente não imaginei que faria coco na penetração anal. Sei que sou cabaço mesmo, nunca tinha liberado a porta dos fundos para o meu peguete e quando resolvi fazer caguei. Caguei com força  e sem sentir, sabe que até gostei de dar atrás, tava muito gostoso, quando pensei  que ia gozar meu gato deu um pulo pra trás e disse puta que pariu..dei outro pulo e quando olhei  ele estava todo cagado, será que estou doente? Como uma pessoa pode cagar sem sentir?

    Não consigo nem olhar na cara dele, é uma vergonha condenadaaaaa….Vala-me nossa senhora, o que foi aquilo? E você pensa que sou minina nova, tenho 35 anos? Acho que perdi meu peguete. E a carniça que ficou no quarto depois, um horror que nem eu sabia que fazia um negocio fedorento daquele, cabou o clima

    Isis, outra dúvida que tenho é sobre essa insistência dele de me pegar por trás uma pressão que não acabava mais, ele sempre fazendo carinho lá e me pedindo para fazer carinho no dele também. Oxiii minina, será que esse cabra é viado?

    Contei pras minhas primas bixinha elas tão dizendo que isso é coisa de viado simmm.

    Me ajuda Isis, o que você acha? É muita merda  não?

    Você já ouviu falar em chuca? Querida leitora, você não pode se engajar nestas aventuras anais, sem ter feito um bom número 2 antes e sem ter feito higiene anal, fica a dica, veja o link: http://doutissima.com.br/2014/11/04/fazer-chuca-e-essencial-para-um-sexo-anal-higienico-14672043/

    Se o seu peguete, enquanto apreciador de sexo anal, nunca passou por isso e está pensando em se afastar por essa razão é porque ele não gosta de você o suficiente, portanto, deixe-o ir e arrume outro melhor, simples assim.

    Atire a primeira pedra quem nunca deu uma gafe na cama!

    Quanto ao gosto do seu namorado por "brincadeiras" anais, isso é mais comum do que você pensa, não precisa ficar tão escandalizada. E essas suas primas? Bando de mulher desinformada? Por que você fica contando suas intimidades para gente assim?

    O fato do seu parceiro gostar de anal e pedir carinho no ânus, não significa, necessariamente, que ele é homossexual. Você precisa avaliar outros aspectos do comportamento cotidiano dele para chegar a uma conclusão. O ânus é uma área erógena que, para quem gosta, pode proporcionar muito prazer. Cabe a você decidir se gosta ou não destas práticas e se está afim de ir em frente com isso, pois se agredir para agradar os outros não é uma boa e não vai fazer ele gostar mais de você, pelo contrário...

    Conteúdos homossexuais todos nós temos e pode ser que a raiz destes desejos estejam na atração inconsciente por alguém do mesmo sexo. A psicanálise explora muito esse tópico, mas não sob o enfoque do certo ou errado e sim para entender os mecanismos do inconsciente do ser humano. Nossas fantasias, às vezes, são mais homossexuais do que pensamos, e qual é o problema nisto?

    Agora que a merda já está feita, faça cara de paisagem e não fique tocando neste assunto com seu parceiro. Observe o comportamento dele daqui por diante e se ele se afastar não fique rastejando, toque sua vida e esqueça isso.

    Volte para nos contar o desfecho.

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

     

    Será que devo perdoar o meu namorado? Ele enganou minha família inteira.

    03.01.17 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    imagem Shutterstock

    tranbique

    Isis, minha historia é bem complicada e daria um livro. Mas trocando em miúdos, descobri que namoro um golpista.

    Meu namorado sempre teve problemas financeiros, sempre paguei as contas, muitas vezes pago até o motel. Eu estou no mesmo trabalho a 5 anos e enquanto isso ele já trocou de trabalho umas 15 vezes e nunca passa na experiência, sempre é mandado embora após 3 meses ou até antes. Confesso que já fiquei meses sem comprar um calcinha porque estava bancando ele, meus pais não sabem disto.

    Enfim fazendo uma história interminável curta, meu namorado criou uma rede de empréstimos, foi pegando dinheiro emprestado com vários membros da minha família, pegava emprestado com um pra pagar outro, e descobri esse final de ano que ele induziu meu primo a fazer um empréstimo consignado de 20,000.00 e não está pagando as parcelas, com isso meu primo está quase sem salário do dia 20, pois as parcelas são descontadas diretamente do salário dele e não está caindo quase nada na conta dele. Como meu primo está quase sendo despejado do apartamento em que mora, resolveu contar para família o que estava acontecendo. Meu pai foi parar no hospital com pressão alta, quase enfartou. Minha mãe proibiu a entrada dele lá em casa e a dívida eu vou ter que pagar para meu primo não ir parar na rua com esposa e duas crianças. Depois que meu primo contou pra todo mundo o que está acontecendo, foi como um efeito dominó, outros primos, tios e até minha avó contou que ele sempre pede dinheiro emprestado pedindo para não contar nada para  ninguém. Para a minha avó ele pedia pequenas quantias 50  ou 20 reais e ela nunca mais via a cor do dinheiro, até questionar se ele usava drogas.

    E não é só isso, meu primo disse que decidiu contar tudo quando viu ele em uma área de prostituição da cidade junto com outro cara, dirigindo um carro que não sabemos de quem é junto com um desconhecido, dando toda a pinta de quem iria pegar prostitutas. Meu primo estava passando no local junto com a esposa que confirmou tudo. Não acho que ele tenha algum vício, mas acho que ele está envolvido com prostitutas.

    Quando perguntei pra ele o que tinha feito com tanto dinheiro, ele disse  que só pegou 5,000.00 e não 20,000.00 para ajudar a pagar um tratamento dentário da mãe,  ele nem fala com a mãe direito, ela mora em outro estado e ele vive com a irmã.  Meu primo e a esposa juram de pé juntos que o empréstimo foi de 20,000.00, mas também não mostram prova do empréstimo.

    Agora estamos com esse mal estar na família e essa constante troca de ofensas. Esse é sempre o assunto do dia no nosso grupo de whatsapp, sabe como é maldade de família né. Não sei onde enfiar a minha cara de tanta vergonha.

    Outra pulga atras da minha orelha, não sei em quem acreditar a versão do meu primo tbm tá bem estranha. Não tenho coragem de pressionar ele.

    Não sei o que pensar de tudo isso,  estou tão cansada das promessas dele de mudar e estruturar a vida. Sempre dei novas chances pra ele por achar que um dia ele mudaria, mas está tudo piorando. Apesar de tudo ele é um otimo namorado, carinhoso, bom de cama, bonito…

    Tenho umas economias que guardei escondido dele e agora é justamente destas economias  que vou ter que tirar o dinheiro para livrar meu primo do despejo e pagar essa dívida.

    No fundo não estou com a mínima vontade de perdoar o que ele fez. Estou com muito ódio dele e pensando seriamente em terminar essa relação, mesmo sabendo que ainda gosto muito dele, infelizmente ainda me resta um sentimento muito forte que não sei como matar de repente.

    Não sei o que fazer, mesmo sabendo que só tenho uma saída. Isis por favor me dá uma luz?

    Essa foi uma cascata inexplicável de omissões, como pode? A família inteira? E do nada todo mundo resolve falar?

    Você já é bem grandinha e usando a lógica já deve saber que decisão tomar diante de tudo isto.

    Ele é carinhoso, bom de cama e bonito? Você acha que essas qualidades realmente tem relevância para manter uma relação? Não é se contentar com pouco demais?

    Você vai pagar a dívida do seu namorado? Não está de certa forma, mais uma vez, alimentando a o comportamento destrutivo dele? Já se questionou porque bancar até o motel? Por que vive acreditando nas promessas deste rapaz? Até quando você pretende viver assim?

    O que chama a atenção neste caso é o fato do seu primo falar que emprestou 20,000.00 e o namorado afirmar que pegou emprestado 5,000.00. Digamos que você decida pagar essa dívida, (estamos conjecturando, não entenda isso como uma sugestão). Quanto você pretende pagar ao seu primo? Você vai pagar a dívida sem ter provas do quanto seu namorado realmente pegou emprestado? Vai mais uma vez virar presa fácil de extorsão? Vai deixar que isso se repita na sua vida, por quê?

    Independentemente do seu primo estar com ordem de despejo, pelo que você contou,  ele não foi obrigado a emprestar esse dinheiro e fez isso porque quis. Sem contar que essa história de prostitutas e deste valor que não bate está bem mal contada. Não é possível que não há qualquer indício, uma transferência bancária, um cheque, uma troca de e-mails ou mensagens mencionando o valor. Tem que ter alguma prova deste empréstimo. Quem sacaria 20,000.00 em espécie para fazer um empréstimo sem deixar qualquer rastro? Percebe que essa conta não fecha?

    Agora, olhando para você,  esse é o momento de olhar para essa situação e decidir o que vai  fazer com tudo isso. A tendência é que situações assim se repitam em outras relações e que você esteja se deixando enganar em outras áreas da sua vida. Faça um pente fino nas suas relações e observe, só assim você vai reverter essa situação e todas as outras que estão por vir.

    Perceba onde estão as irresponsabilidades (inclusive as suas) e porque você quer ficar no meio de tudo isto alimentando esses comportamentos patológicos. Lembre-se cada um é responsável por si, mesmo quando é a suposta “vitima”. E se você pagar essa dívida, você acha que vai estar ajudando essas pessoas em que?

    Busque ajuda profissional para entender porque se coloca nesta posição. Aparentemente já está claro um padrão nestes acontecimentos, entenda a origem de tudo isso e como você vai lidar com a realidade daqui pra frente. Se tem alguém que precisa se ajudar nesta situação é você. Coloque-se em primeiro lugar.

    Ah, e vá ao médico, se ele realmente for sexualmente promíscuo você está correndo risco.

    Boa sorte!

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

    Depressão pós festa – Minha namorada me pegou com outro homem na noite de natal!

    26.12.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    imagem Shutterstock

    natal gay peq

    Ísis, em primeiro lugar parabéns pelo seu trabalho, e Feliz natal; Estou literalmente fudido e preciso de ao menos desabafar, pois neste momento não tenho ninguém para me ouvir

    Foi um relacionamento de anos, ainda a amo, mas no dia 24, véspera de Natal, fui flagrado com outro homem pela minha namorada. Nunca passei por algo tão vergonhoso na vida e minha vontade é desaparecer para nunca mais ninguém ver minha cara.

    Sou bissexual e a algum tempo estava me preparando para contar para a minha namorada, adiei a conversa, pois sabia que poderia ser a nossa última e também sabia que ela dificilmente aceitaria isso. Ela sempre foi muito certinha de família careta do interior de São Paulo. Sabe aquelas pessoas orgulhosas que acham que na família deles nunca terá um caso assim? Nunca fui valente o suficiente para enfrentar essa questão e agora ela caiu como uma bomba atômica sobre a minha cabeça.

    Minha namorada, acho que agora ex, trabalha em hospital e estava escalada para o dia 24 a noite, minha família também mora longe e não gostaria de ficar sozinho. Ela sabia que esse meu amigo iria para o  meu ap, só não sabia que estava rolando um clima muito quente entre nós e que estávamos tendo um caso a alguns meses. Ela conseguiu dispensa mais cedo do trabalho e foi correndo me encontrar para fazer surpresa. Quando ela chegou estávamos bêbados dormindo na minha cama eu pelado e meu amigo só de cueca, estávamos dormindo de conchinha.

    Dia 24 a tarde meu amigo já chegou em casa com vinho e várias guloseimas para a ceia, tinha um uísque e fomos bebendo, comendo e nos alegrando. A próxima coisa que me lembro foi de estar recebendo um  sexo oral intenso dele e depois da imagem dela me batendo por ter pego nós dois dormindo juntos e agarrados na cama. Ela gritava tanto que o vizinho ao lado chegou a interfonar para saber se estava acontecendo alguma coisa.

    Trabalho em um negócio dos pais dela e agora ela está ameaçando a contar tudo para eles; Ela vai me destruir, destruir minha vida profissional e minha reputação. Se isso acontecer entrarei 2017 sem emprego, pois em namorada já estou. Por incrível que pareça me sinto aliviado, só estou preocupado em encontrar outro trabalho, pois não sei se gostaria e fazer parte e uma família tão preconceituosa quanto a dela.

    Eu e meu amigo estamos iniciando um relacionamento, passamos o dia juntos ontem, foi muito bom, apesar da minha angustia e incerteza quanto ao futuro. Só não sei se estou pronto para assumir um relacionamento homossexual agora e enfrentar os questionamentos da minha família e parentes. Eles não fazem ideia de que eu seja bi e isso vai causar um impacto muito grande em todos. Mas preciso fazer isso rápido antes que a dor de corna da minha ex faça-a perder o restante de dignidade que a restou e ela bata com a língua nos dentes, contando para todo mundo o que ela presenciou.

    O problema é soltar essa bomba na família bem nas festas de final de ano. O que você acha? Conto logo ou espero janeiro chegar e as festas passarem?

    Seja qual for sua decisão, não terá como fugir do preço! É o invitável preço pelos nossos atos e escolhas.

    A impressão que você dá no seu relato é que está o tempo todo fugindo das consequências do que faz. Meu amigo, não tem como fazer a omelete sem quebrar os ovos. Fugir de uma verdade não evitará que você dê de cara com ela na próxima esquina.

    Ter coragem de se assumir e dizer a verdade é difícil, mas de certa forma desmonta fortalezas e quebra tabus. Não tem força mais poderosa no universo que a convicção e essa é a sua maior arma. Por outro lado, se você demostrar fraqueza e hesitação sempre será presa fácil para os maldosos de plantão.

    É claro que a sua namorada tem que estar magoada, coloque-se no lugar dela. Imagine se fosse você descobrindo esse tipo de traição? É uma ceia de natal um tanto indigesta, cujo sabor ruim será lembrado por muitos Natais, não acha? Veja, esse já é um prejuízo causado por você não fazer o que precisa ser feito.

    Quanto a contar agora ou depois das festas, acho essa pergunta um tanto bobinha, diante da magnitude do que você vai revelar para a sua família. Realmente é difícil entender que diferença isso faz.  De qualquer forma avalie qual é o valor simbólico que as festas de final de ano tem para a sua família e que tipo de mágoa isso pode causar se for revelado agora, sem esquecer que é melhor que eles saibam por você do que por sua ex namorada.

    Com certeza será uma grande omelete e uma quebradeira de dúzias de ovos, que vai respingar, inclusive, na sua vida profissional. Cabe a você decidir se isso tudo é realmente a sua verdade e até que ponto está disposto e forte para enfrentar a opinião dos outros e até que ponto tem maturidade para se aceitar, pois se você não se aceita, não espere aceitação dos outros.

    Tem muito bi, hétero e homossexual ferido por aí e está cada dia mais chato lidar com isso nos dias atuais. Não adianta acusar a sociedade de preconceito e marginalização, claro que ela tem sua grande parcela de responsabilidade, mas algumas pessoas não cuidam da cabeça e das próprias emoções antes de declarar para o mundo o que realmente são. Fazem isso sem qualquer  auto aceitação e o preconceito que elas percebem do lado de fora, na verdade está dentro delas e tudo não passa de uma grande projeção. Por isso é muito importante ter bastante equilíbrio psiquico para assumir uma posição destas, pois seu maior inimigo pode ser você mesmo.

    Por isso incomoda tanto as pessoas o fato de eu sempre dizer que cada um é responsável por si e pelos próprio atos, é muito difícil olhar para dentro é mais fácil acusar o outro pela destruição e viver eternamente na posição de vitima sendo destruido repetidas vezes no decorrer da vida. Mesmo olhando pra fora e culpando os outros você vai ter que colher os frutos do seu auto engano.

    Percebe o tamanho do poder que você deu para sua namorada? Talvéz assumir ou não sua orientação nem seja o maior problema na usa vida. Para quem mais você anda dando todo esse poder? Enquanto não pegar as rédeas da sua vida de volta vai repetir esse padrão. Ainda que tudo seja destruido agora, tudo pode ser reconstruído com alicerces verdadeiros!

    Nunca mais se coloque de forma tão vulnerável nas mãos dos outros. Busque ajuda psicológica para entender que movimento é esse e de onde isso vem.

    Por mais que você culpe e acuse a maldade alheia, na maior parte das vezes toda essa maldade está dentro de você e você pratica com você mesmo todo o tempo achando que vem do outro. Pense nisto e seja feliz!

    isis mete 3

    IMPORTANTE: Esse não é um trabalho psicanalítico. Sessões de análise são presenciais e seguem abordagem específica, norteada pelos ensinamentos de Sigmund Freud. Nos textos e respostas aqui postados, não faço análise ou pratico qualquer método de tratamento terapêutico. As informações postadas neste blog, não estão, necessariamente, pautados pela teoria psicanalítica. É de responsabilidade de cada leitor procurar ajuda psicológica para si e seus familiares e não cabe a mim tratar, traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões expostas no Mete a Colher. 

     

    Sou garota de programa, me apaixonei por um cliente casado e descobri que estou com HIV.

    15.12.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    shutterstock_128932007

     

    Isis, gosto de você e dos seus conselhos, te acompanho desde seu inicio aqui no Mete a Colher sei que você vai me falar a verdade. Por isso estou aqui. Acho que tem muita gente que segue esse blog só para criticar, no fundo morrem de inveja  da sua competência e queriam estar no seu lugar, como não conseguem tentam destruir o que você faz. Não pare esse trabalho, tem muita gente como eu que precisa de você e que precisa ouvir a real e não uma meia dúzia de palavras de consolo que não vão levar a lugar nenhum.

    Desde 17 anos sou garota de programa. Entrei nesta vida por uma mistura de falta de oportunidades, problemas familiares e talvez falta de força de vontade minha de estudar mais e ter um trabalho convencional, o que eu não me vejo fazendo. Perdi minha mãe muito cedo, meu pai é alcoolatra e alguém precisava cuidar das minhas irmãs.

    Hoje tenho 28 anos, um apartamento legal e um carro razoável, ajudo a minha família e ainda penso em sair desta vida,  mas não vejo saída é meio que um caminho sem volta e toda vez que começo a planejar algo diferente, um negócio próprio ou alguma coisa do gênero dá tudo errado e acabo fazendo programas novamente.

    Em uma destas tentativas de sair da prostituição acabei me envolvendo com um cliente, estava sem grana e acabei voltando para o programa foi aí que topei sair com um homem que a primeira vista não me atraiu, mas ele passou a me contratar semanalmente, ficamos amigos, ele me contou todos os problemas que ele tem na vida conjugal e profissional. Começamos a ficar cada vez mais próximos, no fim já nos falamos todos os dias e nos vemos no mínimo 3 vezes por semana, mas as vezes ele tem eventos no trabalho e eu acabo acompanhando ele.

    Estava vivendo um sonho, nunca quis destruir o casamento de ninguém, muitas vezes até ajudei a esquentar algumas relações, o marido vinha e depois trazia a mulher, atendi muitos casais, muitos mesmo. Sempre fui muito profissional, aconselhei muito homens a não se separarem, fui step para muitos homens que se satisfaziam sexualmente comigo e conseguia manter o casamento, tenho clientes que atendo a anos.

    Sempre usei camisinha e vou ao médico a cada 6 meses, é provável que eu tenha contraído HIV de um namorado que não era meu cliente e não se prostituia, nos relacionamos por um tempo e o término foi muito ruim pois ele me traiu com outra. depois de um tempo soube que ele estava muito doente e tinha mudado de estado, mas não sabia que era HIV, só soube agora que fiquei desconfiada e procurei a irmã dele para saber melhor o que tava acontecendo. Essa é a única relação recente que tive sem camisinha, pois achava que estava ao lado de alguém de confiança, me enganei  profundamente.

    Quando soube que estava com HIV contei imediatamente para meu cliente/amante, não queria que ele ficasse enganado quanto a mim, sempre usamos camisinha, mas fazemos muito sexo oral e nosso contato é muito intenso. Ele ficou arrasado, chorou muito quando contei, ele dizia que não se importava se estava contaminado ou não, mas que estava enlouquecendo com a ideia de que eu poderia ficar muito doente e morrer. Fiquei surpresa com a reação dele. Essa semana ele fez o teste de HIV e deu negativo, ele terá que repetir o teste em 3 meses para ter certeza absoluta que não está contaminado.

    Estou com muita vontade de terminar essa relação, vender tudo e ir para o interior morar com minha vó. Abrir uma lojinha de uma coisa qualquer e terminar minha vida. Depois que descobri que estou com essa doença, fico insegura em ter relações sexuais com ele, sexo  oral, beijar. Não acho justo que ele fique doente por minha causa e acho que a ficha dele ainda não caiu.

    Isis estou te escrevendo justamente para isso, não sei o que fazer, não quero mais esse relacionamento isso é fato, também não posso mais trabalhar fazendo programas. Ainda amo esse homem e sei que ele me ama também, mas ele não pode ficar doente e deixar a família dele por mim como está querendo fazer, não quero que ele morra comigo, isso não é justo. O que eu faço?

     

    Você relata que a muito tempo quer fazer uma mudança na sua vida, infelizmente um incidente desagradável pode ser o que vai te forçar a fazer o que realmente quer e estava planejando. A interrogação que fica na minha cabeça é: Por que teve que ser assim? E quantos outros incidentes precisarão acontecer para você tomar a decisão de mudar?

    Por mais que essa relação pareça verdadeira, por que ele ainda não se separou da mulher? Você falou pouco a respeito, mas se você cogita mudar para outra cidade, será que você  gosta dele o suficiente para ficar neste relacionamento? E ele? Será que vai segurar essa barra?

    Tenha certeza que esse não é o fim da linha, muitas pessoas vivem com HIV e levam a vida a diante, não que seja fácil tomar um coquetel de remédios diariamente e lidar com os efeitos colaterais, mas essa não é uma sentença de morte. Você ainda pode fazer uma faculdade, ter outros relacionamentos, e seguir em frente. Ainda está jovem e tem um infinito de possibilidades. Encare a adversidade como uma oportunidade para mudar a sua vida e para se fortalecer. Aproveite essa oportunidade para entender melhor o porquê de todos esses acontecimentos e porque fez essas escolhas. A ajuda psicológica de um profissional também pode te ajudar decidir corretamente e escolher melhor daqui por diante.

    Imagino a sua dor e o turbilhão de conflitos internos que você deve estar vivendo agora, mas você é capaz e pode colocar as coisas no devido lugar, organizar a sua cabeça e fazer o que realmente é melhor para você. É muito importante que você entenda o que está sentindo e tenha isso muito claro para você, a partir daí tomará as suas decisões.

    Pense sobre as seguintes questões: Você ama esse parceiro o suficiente? Como você pretende se manter daqui pra frente? Está pronta para encarar essa relação depois de descobrir o HIV? Seu parceiro vai suportar a pressão? Você vai viver feliz se desistir desta história para recomeçar sua vida em outro lugar?

    Já que vocês tem diálogo aberto e um relacionamento sincero, fale para ele sobre os seus planos e observe como ele reage. Talvez toda essa situação tome outro rumo a partir do momento que ele souber o que você realmente quer  para sua vida.

    Boa sorte e volte para nos contar o desfecho.

    perfil isis 2

    Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui expostas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Meus nudes vazaram para a escola toda. O que eu faço?

    25.11.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstocknude adoles

    Oi, tenho 14 anos e estou pensando em sumir desse mundo.

    Conheci um menino da escola e passei a gostar muito dele, conversamos muito todos os dias sobre muitas coisas. Fiquei com ele algumas vezes, ainda sou virgem e a gente sempre se beijou e os abraços sempre foram quentes, sentia que ele ficava excitado e pegava nos meus peitos e bunda. Eu sempre deixei isso acontecer porque gostava e sentia muito tesão por ele.

    Ele sempre me pedia nude e eu não mandava, sempre tive medo destas coisas e vi amigas se ferrando por ter nudes divulgados, mesmo negando por algum tempo, depois de alguns meses namorando ele achei que poderia confiar e passei a mandar nudes e não era só do meu corpo eu deixava o rosto aparecer, eu sei que errei e agora sei mais do que nunca, pois descobri que ele mostrava minhas fotos para todos os amigos e também compartilhava no grupo de whatsapp deles.

    Nunca pensei que ele faria isso comigo, estou humilhada pois a escola inteira sabe e a escola interia viu minhas fotos, pois os carinhas começaram a passar pra todo mundo.

    Um amigo meu me disse que a minha foto foi vista em um site de garotas de programa, estou em desespero, a pessoa que falou não consegue mais encontrar o site com a foto, passei a noite toda vasculhando todos os sites e não achei nada. Quero morrer!

    Quero conversar com minha mãe e contar tudo que aconteceu, quero pedir pra mudar de escola, não tenho mais como continuar ali sendo humilhada todos os dias, estou desesperada, minha mae vai me matar quando ficar sabendo disso tudo, meu pai vai querer ir atras do menino e vai dar a maior confusão.

    O que eu faço?

     

    Pois é! Agora que o gato subiu no telhado não resta outra alternativa, pois isso já virou caso de polícia, conte para os seus pais e assuma a responsabilidade do que fez, prepare-se pois não vai ser fácil, mas vai servir para que você amadureça e nunca mais faça esse tipo de burrada.

    Quando você pensar que é esperta e madura o suficiente para fazer alguma coisa, pense se também é esperta e madura o suficiente para assumir as consequências dos seus atos. Esse é um bom exercício para te tirar de enrascadas. Por exemplo, é esperta e madura o suficiente para transar com o namorado, então tem que ser esperta e madura o suficiente para assumir uma possível gravidez indesejada. É esperta e madura o suficiente para mandar nudes para um desconhecido, então é esperta e madura o suficiente para lidar sozinha com a exposição e com os prejuízos que isso vai te trazer. Nem um adulto está preparado para lidar com uma situação assim, imagine uma menina de 14 anos?

    Esse rapaz jamais poderia te expor assim, mas quem se expôs primeiro foi você. É o mesmo que se jogar da ponte e achar que não vai morrer!

    Se você não é dona do seu nariz e não paga as suas contas, não tem que bancar a rebelde e ficar fazendo besteira por aí; Só porque é adolescente e adolescente é assim mesmo? É assim mesmo coisa nenhuma,  tá cheio de gente da sua idade perdendo a vida por aí, se envolvendo com drogas, ficando doente e isso não tem que ser assim.

    Vejo um discurso generalizado. – Ah, mas isso é coisa de adolescente! E por conta dessa complacência de pais, professores, parentes e autoridades, presenciamos situações como a relatada pela internauta. Pais despreparados que nunca tiveram limites, não sabem dar limites aos  filhos.

    A grande verdade é que a maior parte dos adolescentes não estão preparados para se comportar adequadamente nas redes sociais e os pais também não estão preparados para lidar com essa nova realidade e acabam falhando nas orientações.

    Cara leitora, aprenda a se comportar não só nas redes sociais, mas também na vida. Infelizmente, não se manda nudes, não se expõe informações pessoais do que faz, onde está, do que gosta. Isso é regra básica!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Descobri que o amor da minha vida é bissexual (ou gay) e estou muito mal.

    23.11.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    shutterstock_513690466

    Olá Isis, tudo bem? 

    Encontrei o site na internet, achei muito coerente suas respostas e preciso muito da sua ajuda! Ficaria feliz se você pudesse publicar a minha história mas sem revelar meu nome e email. 
    A história é a seguinte, vivo praticamente um conto de fadas (que pode ter um final muito infeliz).
    Meu namorado é músico e quando éramos crianças ele morava na rua da minha vó e já era “famosinho”. Era o gatinho da cidade, o músico que todas as meninas queriam. Eu criei por ele uma paixão platônica e ele ainda não me conhecia e nem sabe dessa história. Tive outros relacionamentos, fui muito apaixonada por outra pessoa mas nunca o esqueci. Quando tive a oportunidade e já eramos adultos, entrei em contato com ele através das redes sociais. Nossa afinidade foi imediata. Sabe aquela pessoa que é exatamente como você imaginou? Combinamos em tudo, ele é o homem mais amável que eu já tive. Nos damos sempre muito bem, ele sempre foi muito receptivo comigo, me tratou muito melhor do que a maioria dos homens que eu tive e eu acreditei na nossa paixão e no nosso amor recíproco. Acabei mudando de estado para ficar com ele, fiz uma grande mudança em minha vida. Ele me correspondeu. Assumiu nosso namoro, estamos juntos a 2 anos e meio e ele demonstra gostar de mim, é muito carinhoso e amável, inclusive na frente das outras pessoas. Todos percebem nosso carinho e afinidade só que desde nossa primeira relação sexual percebi que tinha algo estranho. Ele teve muita dificuldade em ter ereção e quando teve gozou muito rapidamente. Na época eu achei que isso era pelo fato de ele ser usuário de cocaína, o que não acontece sempre, mas as vezes. No entanto, a medida que fomos nos conhecendo ele começou a “dar pinta” de que poderia ser bissexual mas ele não é assumido. Comecei a perceber uma tara muito grande por sexo anal e até ai tudo bem, não tenho preconceitos em relação a isso. Só que comecei a perceber uma tara dele também por pênis, todos os objetos que ele enxerga ele fala que parece um pênis, coisa que muitas vezes nem passa pela minha cabeça, enfim, comecei a perceber que ele sente atração por outros homens. Uma noite ele bebeu demais e me confessou que sentia atração por um chefe dele do trabalho, tentei “pescar” para ver se ele entrava em mais detalhes e ele falou “tem coisas que a pessoa fala quando está bêbada que são difíceis de explicar.” Ele sempre fala quando acha algum outro homem bonito ao contrário de outros homens héteros que conheço que nem se quer conseguem reconhecer a beleza masculina. Também já percebi que ele é mais feminino do que todos os outros namorados que eu tive, ele repara muito mais nas minhas roupas, ele já falou “brincando” que queria usar uma das minhas calcinhas e sempre me pede carícias nas nadegas, adora que eu mexa no cabelo dele, que eu faça “rabinhos” me pede para fazer, mas só em casa. Como disse, não tenho muitos preconceitos, eu trabalho com artes e não penso em reprimí-lo e acredito que todo o ser humano esconda segredos, coisas as vezes que nem a própria pessoa consegue entender.
    Acontece que de um ano pra cá nossa vida sexual mudou bastante. Ele começou a broxar muito, constantemente. Inclusive num ato de sexo oral (que eu adoro fazer) ele estava com o pênis completamente mole, estava broxa mesmo, não conseguiu se excitar nem mesmo ao ser chupado por mim. Apesar disso ele adora me chupar, não tem nojo, o que me faz descartar a possibilidade de ele ser gay. Sou uma mulher fogosa, adoro sexo, já tive homens na cama que ficaram loucos por mim, tenho os seios fartos, cintura fina, mas acredito que na cama o que importe mais do que atributos físicos seja a vontade e isso eu tenho de sobra! No entanto além dele já ter broxado  muitas vezes comigo ele tem ejaculação precoce, geralmente goza em menos de 5 minutos e nossa relação nunca dura mais que 10min. Além disso nosso sexo é sempre do mesmo jeito, comecei a ter dúvidas sobre o quanto ele gosta do ato em si porque sei que o sexo não é só penetração. Essa situação jogou minha autoestima na lata do lixo. Comecei a me contentar em não gozar, só gozo sozinha quando me masturbo e de uns tempos pra cá comecei a fantasiar com outros homens. Eu o amo. Ele é um homem maravilhoso, me trata muito bem e fala que me ama mais do que tudo, que quer casar e ter filhos. Eu nunca coloquei ele contra a parede em relação as broxadas e a ejaculação precoce mas chegou num ponto que tive que falar pra ele procurar um urologista e ele foi só que eu percebi que ele não botou muita fé no tratamento, nem tomou direito o remédio que o médico receitou, o que me levou a crer que ele sabe que o problema dele não é fisiológico. 
    O que aconteceu esse final de semana foi a gota d’água pra mim. Ele bebeu muito e cheirou cocaína. Começou a falar de um cara que é produtor da banda dele, um cara muito bonito realmente, mas ele começou a falar de mais e “soltou a franga”. Falou em alto e bom som que queria dar a bunda pro cara, que queria dar o cú, que o cara era muito lindo mesmo. Pra mim não foi surpresa, eu o amo e o conheço e sempre desconfiei de sua bissexualidade o problema foi que teve um momento em que ele falou “será que eu sou gay?” “eu sou gay”. Não estávamos sozinhos em casa, um amigo dele estáva conosco, o menino ficou chocado, falou “cara eu não to te entendendo, eu não conhecia esse teu lado”. Senti que o menino ficou muito desconfortável na hora e que ficou com pena de mim. Ele perguntou pro menino se não tinha achado o cara bonito e ele respondeu que não, que preferia a beleza feminina e ainda falou pro meu namorado “cara você ta falando que você queria dar o cu”. Na hora eu fiquei com pena do meu namorado pq imaginei que ele ia sentir muita vergonha no dia seguinte e tentei amenizar a situação dizendo que também acho outras mulheres bonitas (o que é completamente diferente de querer fazer sexo com elas). 
    Depois que aconteceu essa revelação aqui em casa eu não tive coragem de tocar no assunto com ele, tenho pena porque acredito que não devemos julgar as pessoas, se ele é bissexual isso deve ser um conflito pra ele porque eu acho que nem ele sabe, no entanto acredito que até a família dele desconfie porque ele ficou muito tempo solteiro e uma vez na casa dele ao ver fotos da infância um primo dele comentou comigo que quando ele era criança ele era “meio estranho”. Ele já comentou comigo que adorava ler as revistas capricho da prima dele mas sempre escondido.  
    Eu o amo e o respeito como ser humano mas estou me sentindo muito humilhada com a situação. Sinto uma dor imensa. Eu não sei o que fazer. Já li muitos relatos de pessoas que se relacionam com bissexuais e o parceiro corresponde na cama, mas no meu caso isso não está acontecendo. Ele quer noivar ano que vem e eu tinha planos… mas já tirei da minha cabeça a idéia de casar com ele. Não tenho coragem de terminar o namoro porque sei que sofreria muito como já estou sofrendo mas ao mesmo tempo, sei que não devo me enganar pois posso pagar um preço muito caro futuramente. 
    Não tenho como ter certeza do quanto ele realmente me ama ou está comigo por “fachada”. Não tenho como ter certeza se ele não vai procurar se satisfazer sexualmente com pessoas do mesmo sexo e essa sensação de que não vou poder satisfazê-lo e ele a mim me faz ter a certeza de que devo terminar mas ao mesmo tempo eu o amo muito e o respeito como ser humano. Até que ponto Isis, eu deixei de me amar e perdi o respeito por mim? O que eu faço? Preciso de uma ajuda não tenho coragem de me abrir sobre isso com absolutamente ninguém. 
    Desde já te agradeço muito! 

    Olhando para o agora: O preço para estar nesta relação já não está alto demais?

    Não cabe a mim fazer o diagnostico da orientação sexual do seu namorado, mas acho que essa nem é a maior questão aqui.

    Todas as respostas que está buscando já estão no seu texto, você está com a autoestima destruída, sexualmente insatisfeita e se sentindo humilhada, repete inúmeras vezes que ama seu namorado e que vai sofrer se terminar tudo, mas não se deu conta que, mesmo sem terminar,  já está sofrendo muito com tudo isso? Por que você quer se agredir assim?

    Você está colocando a questão do seu namorado em primeiro lugar, mas onde fica a sua feminilidade, sua satisfação sexual e a sua vida afetiva? É isso que você tem que colocar em primeiro lugar, independentemente de qualquer coisa, pois você não pode mudar as escolhas do seu namorado, mas pode fazer as suas escolhas de forma inteligente e racional.

    Olhando para o  futuro: Quanto ao abuso de bebida alcoólica e drogas. Por que você cogita em se casar com uma pessoa que além de não definir/assumir a própria orientação sexual ainda usa drogas? Que tipo de estrutura familiar você espera ter e como você pretende criar os seus filhos?

    Esse último episódio em que ele, sob influencia de bebida e drogas, como você mesma disse, soltou a franga na frente de outras pessoas. O que você pensa de tudo isto? Esse já não é um prenúncio do que vai se repetir no seu ambiente familiar, caso resolva se unir a ele? É isso que você quer viver e quer que seus filhos presenciem?

    Além de tudo, esse episódio que você relata, também é um sinal de que as coisas estão se agravando e que a realidade do seu namorado já está gritando nos seus ouvidos, você consegue ouvir? Você consegue se ouvir? O que a sua própria realidade está gritando?

    Olhando para você: Por que  está pensando em se contentar com tão pouco? Onde esse amor que você diz sentir por ele vai te levar? Onde esse amor vai levar o seu namorado? O que mais ele vai ter que fazer para que você aceite o que está acontecendo e tome uma decisão? Lendo seu relato, percebo que ainda tem um lado seu que não quer aceitar a realidade.

    OLHE PARA VOCÊ! Já parou para pensar que é capaz e merecedora de um relacionamento feliz com tudo que você espera e precisa de um parceiro? Por que está se contentando com tão pouco? O que está te levando a caminhar para a direção contrária ao que você busca?

    Você se ama? Quando você vai na direção contrária daquilo que quer e espera de um relacionamento, abrindo mão de você, você está se amando ou se odiando?

    Ao invés de gastar energia tentando entender qual é a do seu namorado, volte-se para você mesma e gaste tempo refletindo sobre o porquê está escolhendo viver tudo isso. Pense onde suas escolhas vão te levar, busque ajuda profissional!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Tenho ódio da minha irmã! Sou doente, mentirosa e invento calúnias contra os outros.

    26.10.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    maldosa

    Quem sabe ao menos aqui posso mostrar quem eu realmente sou? Vou me identificar como Pamela, tenho 35 anos e uma vida de fracassos, frustrações e muita raiva de todos que me cercam.

    Sei que vocês vão me julgar, mas desafio qualquer um aqui a provar que nunca sentiu ao menos um dos sentimentos que passo a descrever neste relato. 

    Desde criança sempre tive um ódio mortal da minha irmã. Até ela nascer era tudo meu, a atenção da minha mãe, do meu pai e dos meus avós, os presentes dos parentes o quarto todas a roupas. Quanto essa maldita nasceu minha vida se transformou em um inferno. Já não recebia o mesmo amor dos que me cercavam e para completar ela era muito mais carismatica que eu.

    Minha irmã sempre foi a queridinha, mais bonita, sempre teve as melhoras notas na escola, sempre foi a melhor em tudo que fez, sempre namorou os caras mais bonitos e cobiçados. Apesar de todo esse poder, ela sempre foi humilde e amada por todos e com uma conduta impecável. Isso tudo para triplicar o ódio mortal que sinto por ela. Não posso dizer que ela é uma pessoa ruim que sempre me prejudicou e roubou o que é meu, a ruim da história sou eu e tenho plena certeza disto.

    Sempre tive o aspecto de menino, desajeitada, sem charme, nada atraente aos olhos do sexo oposto. Também nunca fui brilhante na escola, sempre passei de ano raspando, arrumava briga na sala de aula e sempre fiquei na turma dos bagunceiros e problemáticos da escola. Demorei muito para beijar pela primeira vez e perdi minha virgindade com um idiota quando já estava com quase 20 anos.

    Cresci destilando ódio. Já descosturei roupas que a minha irmã usaria em festas importantes, impedindo-a de ir até mesmo na formatura do então namorado. Já manipulei situações para que ela saísse prejudicada, já inventei calúnia contra amigos dela, só pelo prazer de ver ela chorando e a amizade desfeita. Já roubei a senha de redes sociais dela e fiz várias postagens ofensivas e contra os melhores amigos dela. Apesar de desastrada aos olhos dos meus pais, uma arte eu sempre dominei a da dissimulação. Manipulava situações até criar o caos na minha casa até a família inteira discutir na noite de natal por exemplo. Na infancia cheguei a colocar detergente no box do banheiro para minha irmã se machucar, mas quem foi tomar banho foi o meu primo que não sei porque se quebrou inteiro, pois ele também merecia. Quando ela era menor eu passava pimenta na chupeta dela e destruia seus brinquedos favoritos de propósito.

    Com o tempo fui descobrindo que fazer tantas maldades só diminuía minha infelicidade momentaneamente e passei a usar cocaína para me sentir viva, também abusava de bebidas alcoólicas, tinha múltiplos parceiros sexuais, passava dias fora de casa, não parava em trabalho algum, nem sei como consegui me formar em Direito, mas nunca consegui passar na porcaria da prova da OAB, enquanto minha irmã já está se preparando para ser juíza, pois é claro que ela escolheu a mesma graduação que eu e para coroar é uma ótima advogada. Eu tenho uma lojinha de importandos que mal paga as próprias contas, nunca exerci a profissão e não tenho esperança que isso um dia vá acontecer.

    Após um tempo de vida desregrada, comecei a fazer tratamento, tomo antidepressivos o que apenas me impede de causar uma tragédia e me matar, mas não melhora em nada a minha vida e sensação de sempre estar para trás. Sempre manipulo situações e me faço de coitada para conseguir o que quero e toda a clareza que tenho quanto a todas as minhas falhas de caráter foi adquirida após anos de terapia, apesar de saber que sou doente, não consigo fazer nada para mudar isso e tudo que faço é lidar diariamente com essa pilha de lixos sem que as pessoas que estão ao meu redor saibam.

    Nunca tive amigos verdadeiros, nunca consegui amar um homem de verdade e nunca fui amada por ninguém, nada prospera nas minhas mãos, não posso ter filhos,  nem as plantas ficam vivas perto de mim e gatos me odeiam, já fui atacada por um na praia e fui parar no hospital por isso. Acho que ele percebeu a nuvem negra que carrego em cima da minha cabeça e o que é pior, não tenho esperança que essa situação mude, aprendi a ser assim, aprendi a trapacear em tudo e não sei ser diferente. Apenas tomo meus remédios para doer um pouco menos em mim e para que eu não machuque ninguém e limite minhas maldades apenas no âmbito psicológico, torturando os outros com minhas intrigas, mas não me importo se meus pais e familia vão sofrer, isso realmente não me abala, não me impressiona e a morte para mim é algo banal e sem a mínima importancia, na verdade tenho vontade de gargalhar cada vez que vou a um velório. Queria morrer logo, nunca tive coragem de tirar minha própria vida, sou uma covarde e nem isto consigo concretizar na minha vida!

    Isis, o objetivo de escrever para vocês é compartilhar a minha história e despertar muitos julgamentos neste povo hipócrita que se faz de santo. Me xinguem bastante, mas saibam tudo que sinto também está dentro de vocês, mas vocês preferem olhar o que tem nos outros.

    Apenas uma reflexão:

    A maioria das pessoas do mundo contemporâneo têm traços de pervesão, psicose, esquizofrenia, psicopatia, entre outras coisas. A qualquer momento tais traços podem progredir para uma patologia importante e a comprovação disto está nas manchetes dos jornais que mostram, suicídio, homicídios, genocídios, corrupção, megalomania, e tudo mais que vocês já estão mais que acostumados a engolir diariamente como se fosse algo normal. É surpreendente como a sociedade coloca toda essa sujeira embaixo do tapete como se nada tivesse acontecendo. Por isso o acompanhamento profissional é tão importante, mesmo para aqueles que acreditam que possuem a saúde mental em perfeito estado e que psicologo e psicanalista e coisa para gente louca.

    O  prazer que a leitora teve em expor a própria história,  em nada é diferente do prazer que as pessoas tem em fazer fofocas, denegrir a imagem alheia, fazer piadas racistas e homofóbicas nas redes sociais e disseminar más notícias dando foco sempre para a tragédia e para a destruição.

    Usar o anonimato para destroçar a reputação e o trabalho das pessoas (haters), defender determinadas verdades desrespeitando a verdade dos outros, levantar bandeiras megalomaniacas e induzir os outros a fazer o mesmo, mentir para conseguir o que quer, ser corrupto, usar as pessoas nas relações afetivas; Tudo isso em nada se difere da perversão que  a nossa amiga acabou de descrever, portanto, não se apressem em julgar.

    Temos um prazer quase que orgastico no mal quando, na verdade,deveríamos ter prazer no sexo, no trabalho e em atividades construtivas para deixar a humanindade menos miserável do que está. A história exposta aqui é apenas uma amostra da triste realidade em que todos nós nos encontramos.

    Esse é o tamanho da inversão humana, todos em maior ou menor grau tem um pouco do que a nossa amiga Pamela acabou de contar aqui, ainda assim, quando nos deparamos com uma história que traz fatos tão explicitos e contundentes nos colocamos na posição de juizes.

    A reflexão de hoje é : Onde na nossa vida estamos agindo como a Pamela?

    E que não tenhamos medo de olhar para isso, admitir e buscar ajuda enquanto há tempo!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Meu ex reapareceu, mas agora estou casada!

    20.10.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    falar com ex

    Isis, quero muito ser ajudada por você estou numa situação bem complicada. Tive um amor de infância entre os 12 e 19 anos, com ele perdi minha virgindade, beijei pela primeira vez e descobri o que é o amor, mas ele mudou para o Canadá com a família e acabamos nos afastando e cada um seguiu seu caminho e sua vida.

    Sofri muito na época, cheguei a querer ir com ele, mas a família dos dois lados não apoiou em nada, dizendo que éramos muito jovens e pouco tempo depois recebi a notícia que ele estava namorando uma menina brasileira o que me deixou arrasada, não esperava que ele fosse me esquecer tão rápido, sempre tive a esperança dele me buscar no Brasil, quando vi que não aconteceria isso fiquei muito deprimida. Demorei pra me envolver novamente mas algum tempo depois conheci meu atual marido, no começo não gostava dele, mas com tempo ele foi me conquistando. Acabei engravidando e nos casamos. Ele sempre cuidou de mim e da nossa filha, aprendi a amar ele e passamos a ter uma vida muito tranquila apesar de todas as dificuldades financeiras.

    O que acabou com minha paz foi rever meu ex em uma festa de amigos em comum que temos. Nem sabia que ele estava no Brasil e solteiro, ninguém me avisou que ele estaria na festa, quando cheguei com minha filha e meu marido dei de cara com ele e minha cara caiu no chão. Fiquei muito desconcertada com a surpresa, todos perceberam como fiquei sem jeito, foi horrível.

    Como se não bastasse o carão que passei na festa, a desconfiança do meu marido e o comentário generalizado sobre o acontecimento do ano, o meu ex passou a me assediar me mandando mensagens, me pedindo perdão e dizendo que jamais poderia ter feito o que fez comigo, no fundo eu não tinha esquecido ele, meu coração bateu forte, tudo que vivemos foi forte demais ele foi meu primeiro amor.

    Além de conviver com a culpa de me sentir atraída pelo meu ex, tenho que lidar com os comentários maldosos de amigas e da minha própria família, nunca me senti tão sozinha e vitima do veneno destas pessoas, meu casamento está sendo prejudicado. Não sei o que faz, meu ex disse que está disposto a jogar tudo para o alto e que me assumi, me pede perdão de joelhos e sempre diz que era muito imaturo e na época não sabia o que estava fazendo. Não posso simplesmente abandonar o meu marido, nem tenho motivos para isso, ele sempre foi muito bom para mim.

    Isis por favor me ajude, estou desesperada com minhas reações, sei que ninguém pode decidir isso por mim, mas queria muito ouvir opiniões de fora.

    Ok, entendo a quantidade de emoções e a ebulição de sentimentos que toda essa história deve estar te causando, mas é muito importante ter em mente que tem muita coisa em jogo e que a sua decisão não é só sobre você e suas necessidades e vai interferir diretamente na vida de muitas pessoas, em especial do seu filho.

    Entenda que a vida passa e as coisas mudam, você mudou e seu ex também. Será que ele ainda é aquele menino que você conheceu? E você? Você quer virar um museu ambulante, cheia de lembranças de algo que nem se concretizou? Será que não existe uma forma mais construtiva de superar esse rompimento entre vocês?

    Analise friamente se vale a pena correr o risco e jogar tudo para o alto por alguém que já te abandonou uma vez e que, pelo que você relata, se recuperou em tempo recorde após o afastamento. Por mais que ele peça desculpas e diga que foi por imaturidade, você acha isso é suficiente para justificar o fato dele se envolver com outra tão rapidamente? Valorize-se!

    Você pode escolher viver esse amor e pagar o preço por ele (não sei iluda, vai ter um preço) a decisão é sua. Apenas reflita se você está preparada para lidar com as consequências das suas escolhas e com todos os riscos que a sua decisão vai envolver.

    Seja qual for a sua escolha, analise os prós e os contras usando não só o coração, mas a razão também. Reavalie os seus sentimentos pelo seu parceiro, por que está sentindo tudo isso pelo ex se você relata ter um ótimo relacionamento com o seu marido? Essa conta não fecha!

    Por outro lado, tudo que está sentindo pelo seu ex é real? Não seria tudo isso o retorno de uma fantasia e de um desejo quase infantil que foi frustrado?

    De qualquer forma, após tudo que aconteceu depois desse reencontro e com toda desconfiança do seu marido, é obvio que seu casamento não será mais o mesmo. Aproveite essa oportunidade para ser honesta com você, sobre o que quer para o seu futuro.

    Lembre-se isso tudo pode ser só uma fase. Quando essa fase passar, como você quer que fique a sua vida e a vida das pessoas que você ama? É bom que tudo esteja inteiro, caso você constate que tudo não passou de um engano e de uma ilusão da cabeça dos dois.

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Eu tenho 15 anos e ele 30. Ele tirou minha virgindade e foi um tosco.

    27.09.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    virgem

    Tenho 15 anos, perdi a virgindade com um cara de 30 e não acho ele bom de cama.

    Oi sou a xxx tenho 15 anos e cheguei aqui pela minha melhor amiga que me indicou o blog.

    Estou com um problema e preciso de uma segunda opinião.

    Assim, estou a 2 meses com um rapaz,mas ele não esta me agradando muito na cama e eu curto um pouco ele.

    Estou no primeiro ano do ensino médio, sou uma menina de boa,mais esses últimos tempos tive algumas curiosidades sobre sexo,minhas amigas tem falado muito sobre as transas delas com os namorados e ficantes delas e eu fiquei curiosa,mas eu não sou a menina de vários ficantes,nem namorado eu tinha e era virgem,eu me empolgava com as histórias delas e queria fazer igual mais eu só tinha um ficante e tipo eu não me sentia a vontade pra ter minha primeira vez com ele,nem com os outros meninos que me curtem na escola porque acho eles muito imaturos.

    Fiquei dias pensando em quem eu deveria escolher,pedi ajuda das minhas amigas,até que lembrei de um rapaz que vive no portão da minha escola.

    Assim ele sempre me azarou,sempre dava cantada,me olhava e oferecia carona,só que eu meio que nunca vi graça nele,por não conhecer ele eu meio que tinha um preconceito,e achava ele feio e imaturo,por que ele tem 30 anos e se veste igual os meninos da minha escola,boné,calça de skatista,óculos escuro,e fica na porta da escola com som alto,mas sempre me espantei por que ele sempre tava ficando com alguma menina do colégio,inclusive tem amiga minha que dava indireta nele.

    Ele não é muito bonito,é gordo,usa aparelho,mas eu ficava pensando poxa,ele sempre ta com alguma menina linda da escola,uma das minhas amigas é xonada nele,talvez ele seja gente boa e bom naquilo,e também minhas amigas logo começaram a fazer pressão para eu dar uma chance pra ele,ficavam falando que eu e ele combinávamos,que ele seria o melhor para mim por ele ser experiente e etc.

    Resolvi dar uma chance,comecei a conversar com ele e vi que eu tinha julgado errado ele foi muito gente boa,fofo,atencioso,carinhoso,logo eu mudei meu ponto de vista sobre ele,comecei a gostar dele,começamos a ficar,a sair,eu me apaixonei e resumindo eu falei que queria ter uma vida sexual com ele,que queria experimentar algumas coisas e perder minha virgindade.

    Ele foi compreensivo e me apoiou,fiquei super animada contei pra todas minhas amigas,nisso minha ansiedade e vontade pra começar tudo só aumentou,mas logo de cara ele começou a me decepcionar..

    Nossa primeira vez foi horrível demais,ele foi muito afobado,ele não foi carinhoso,não me beijou,ele apenas correu tirar as calças e não tirou mais nada,fez usando meia,camisa e boné,achei aquilo muito tosco,mas também por bobeira da minha cabeça,tipo quando ele abaixou as calças e tirou a cueca,eu esperava uma coisa e veio outra,o pênis dele lembrou o do meu irmão de 6 anos,era pequeno,não tinha pêlos e tinha fimose,ele deitou encima de mim e felizmente terminou rápido demais,ele tava usando muita força aí doeu muito.

    Fiquei chateada,cheguei a contar para minha amiga que me indicou o blog,ela falou que a primeira vez sempre é ruim,o problema é que todas as vezes nossas foram ruins!

    Eu não me sinto avontade com o pênis dele,acho estranho,ele termina muito rápido,as vezes ele termina de por a camisinha aí a hora que ele enfia em mim ele goza,outras vezes eu to fazendo oral nele ele não se aguenta e goza,eu to tirando a roupa pra ele daí ele fica vendo e se masturbando daí a hora que termino ele goza,essas situações me irritam demais e me dão vergonha alheia,tipo todas as minhas amigas contando das transas delas e eu fico sem graça por que as minhas são ridículas,a única amiga minha que sabe que meu namorado não é tudo isso é a que me indicou o blog,ela fala que eu devo ter paciência e pensar no que sinto por ele e que formamos um belo casal.

    Eu queria terminar com ele,mas ao mesmo tempo eu fico em dúvida por que tipo assim só conheço menino imaturo, e tirando o sexo ele é ótimo namorado,ele é carinhoso,me respeita,ele tem atitudes comigo que me encantam,ele sempre foi de pegar várias,agora que ta comigo ele ta ficando só comigo mesmo,sei disso por que ninguém vê ele com outras como antes e saímos quase todos os dias,ele é divorciado e tem uma filha de 5 anos,esse fds passado ele saiu com ela e chamou eu para ir junto,achei isso muito fofo.

    Enfim esse é meu drama,preciso saber o que fazer,quero curtir e aproveitar mas essa situação me deixa indecisa,me ajudem bjs!!!

     

    O que um cara de 30 anos fica fazendo na porta de uma escola no horário de saída? Oferecendo carona para as menininhas e o que mais? O que você sabe sobre esse rapaz? Ele sabe que você é menor? Aliás, os seus pais estão sabendo disto tudo?

    Não se iluda com tão pouco, o fato de ele ter te convidado para sair com o filho dele não significa muita coisa, pode ser até golpinho barato para mantê-la nas mãos dele. Você conhece a família dele? Ele conhece a sua família? Não fique se enganando achando fofo qualquer coisa idiota que ele fizer, olhe o contexto geral e só aí tire conclusões.

    Esclareço que a questão da diferença de idade não é o problema aqui e sim o fato de você ser menor de idade e ser, provavelmente, a centésima que passa nas mãos dele. Se você tivesse 20 e ele 35, por exemplo, a situação seria bem diferente, concorda?

    Não fique acreditando nas histórias mirabolantes sobre aventuras sexuais que suas amigas te contam. Você não acha que está tudo meio exagerado e que algumas coisas são meio fantasiosas? Será que elas estão contando como foi a relação sexual delas ou estão descrevendo o que viram no vídeo pornô que assistiram na internet?

    Se não tinha ninguém na sua faixa etária com maturidade suficiente para tirar a sua virgindade, isso talvez fosse um sinal de que ainda não era hora.

    Sexo é algo especial demais para ficar sorteando aleatoriamente quem vai tirar a sua virgindade.

    O cara já não te agradou desde o primeiro momento, mas como ele pegava as meninas bonitas da sua escola, você resolveu se aventurar? Por aí você pode ter uma noção do quanto estas meninas entendem de sexo e prazer, pois para um cara péssimo de cama como este conseguir pegar alguém, tem que ser alguém inexperiente que realmente não tem qualquer noção do que é ter prazer e ser tratada com carinho e respeito.

    Pare e olhe para essa situação, é por essas garotas sem noção e sem mãe que você está se deixando influenciar? E como você pode se diminuir a ponto de ficar com alguém só porque elas também ficam ou ficaram?

    E ainda por cima vem as "amigas" e te aconselham a ficar com o cara e você obedece como um carneirinho? Pare de ouvir os outros e confie em você e em sua intuição. Voltando naquele primeiro momento, quando você viu o cara na porta da escola, se você fosse ouvir somente os seus sentimentos e intuição e norteasse sua decisão baseada somente no que você pensa, você teria perdido a virgindade com ele?

    Vc acha que status diante da turma é ficar com um tosco que pega todas as meninas bonitas da escola? Saiba que você pode estar diante de um predador e o máximo que vai te acontecer é pegar uma bela doença venérea por ficar com cara tão rodado no pedaço. Use camisinha e pare de seguir a multidão. Seja mais você!

    Status nessa idade deveria ser estar preparada para um bom vestibular, saber esperar por um garoto legal para perder a virgindade e não se contentar com qualquer porcaria, ou ficar sozinha e não perder a virgindade por mera convicção própria e por ter amor próprio. Status deveria ser  ouvir e dialogar com os seus pais ou com alguém confiável, quando a coisa fica feia e não ficar ouvindo/obedecendo conselho de amiguinhas treslocadas que sabem menos que você. Esse status a que refiro, pode não ser o que sua turma valoriza, mas é o que vai te levar a algum lugar na vida que não seja uma maternidade precoce ou uma vida adulta mediocre e sem qualquer perspectiva de felicidade. PENSE NISSO!

    Por último, sua dúvida é se fica ou termina com o cara porque, apesar de ser "fofo, ele é ruim de cama?! Com tudo que leu acima, você acha que ainda precisa desta resposta?

    VALORIZE-SE!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Tenho nojo de chupar a periquita da minha namorada. O que eu faço?

    19.09.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    vagina

    Oi Isis, me ajuda a entender o que acontece comigo. Vou confessar algo que a maioria não tem coragem. Namoro há muito tempo com uma super mulher, nos entendemos em tudo, ela é linda, inteligente, batalhadora e adora um oral e aí começa o meu drama. Pra mim é uma tortura chupar uma buceta, pra mim as bucetas sempre estão com um cheirinho estranho de peixe, sem contar o gosto de coriza, meio salgado as vezes adocicado…e olha que minha namorada é limpíssima, não sei com dizer isso para ela. Sem contar que também não gosto da textura da buceta na minha boca, parece uma coisa meio gelatinosa e babada na minha boca, chega me revirar o estomago. Gosto da penetração e acho que ela tem muito prazer comigo.

    Sei que vão me chamar de tudo quanto é nome nos comentários, mas tenho certeza que outros homens tem a mesma sensação. Até fico curioso para saber o que os outros homens pensam a respeito, por isso peço ajuda a você Isis e aos leitores do do mete a colher, pois mesmo gostando muito da minha namorada, confesso que já evitei o sexo por dias, que sempre que posso pulo o sexo oral e que só Deus sabe o que passo cada vez que preciso fazer isso, parece que fico dias com o cheiro na minha cara, não é nada agradável.

    Isso aconteceu com outra namorada que tive, também sempre tive nojo da lubrificação da mulher  no meu pênis, enquanto meus amigos sempre relataram que morriam de tesão quando a mulher ficava molhada eu morro de agonia. Sempre tento correr e fazer o oral antes da mulher se molhar inteira e enfio os dois dedos na periquita pra ver se segura um pouco, mas ainda assim em poucos minutos começo a sentir aquele gosto salgado adocicado.

    Caro leitor,

    Mesmo já tendo visto quase de tudo nesta vida e estudado inúmeras patologias, às vezes fico sem saber o que dizer. Peço ajuda ao público masculino!

    Mas vamos por partes. Vejo duas possibilidades nesta história.

    Me pergunto se o problema é dela ou seu. Será que você não é nojento demais e está exagerando. Que tipo de gosto e cheiro você gostaria que uma vagina tivesse? Já teve esse problema com outras namoradas, portanto, o problema pode ser você. Você já se perguntou se realmente gosta de vaginas? Procure ajuda profissional e tente entender de onde vem isso e não espere que uma vagina vá ter odor de rosas e gosto e textura de pêssego.

    Outra possibilidade, embora menos provável,  é ela estar com algum problema de saúde. Uma vagina não deveria cheirar peixe, ainda mais quando você relata que sua namorada é extremamente higiênica. É provável que nem ela esteja sabendo que está com algum problema ginecológico e é bom que você ajude neste sentido. Entendo que estou diante de um caso que envolve dois adultos, portanto, a conversa deve ser aberta, mas não precisa ser grosseiro, afinal não deve ser fácil ouvir do parceiro que a vagina cheira a peixe?! Só tenha essa conversa se estiver 100% certo que o problema não está em você.

    Você vai ter que encontrar uma forma de contar isso para ela, diga que notou uma secreção diferente ou que a vagina dela está mais vermelha que o normal e que quer ir com ela ao ginecologista. Você não precisa necessariamente falar do odor. Faça isso com carinho e muito tato, pois da mesma forma que você não ficaria confortável se sua namorada dissesse que seu pênis é pequeno ou que tem cheiro de urina (e acredite que tem muito homem por aí que não sabe lavar o pipi) coloque-se no lugar da sua namorada e considere o quanto essa situação é delicada.

    Boa sorte!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

     

    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade
    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade