Mete a Colher - Clique e veja essa Metida de Colher

    Meus nudes vazaram para a escola toda. O que eu faço?

    25.11.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstocknude adoles

    Oi, tenho 14 anos e estou pensando em sumir desse mundo.

    Conheci um menino da escola e passei a gostar muito dele, conversamos muito todos os dias sobre muitas coisas. Fiquei com ele algumas vezes, ainda sou virgem e a gente sempre se beijou e os abraços sempre foram quentes, sentia que ele ficava excitado e pegava nos meus peitos e bunda. Eu sempre deixei isso acontecer porque gostava e sentia muito tesão por ele.

    Ele sempre me pedia nude e eu não mandava, sempre tive medo destas coisas e vi amigas se ferrando por ter nudes divulgados, mesmo negando por algum tempo, depois de alguns meses namorando ele achei que poderia confiar e passei a mandar nudes e não era só do meu corpo eu deixava o rosto aparecer, eu sei que errei e agora sei mais do que nunca, pois descobri que ele mostrava minhas fotos para todos os amigos e também compartilhava no grupo de whatsapp deles.

    Nunca pensei que ele faria isso comigo, estou humilhada pois a escola inteira sabe e a escola interia viu minhas fotos, pois os carinhas começaram a passar pra todo mundo.

    Um amigo meu me disse que a minha foto foi vista em um site de garotas de programa, estou em desespero, a pessoa que falou não consegue mais encontrar o site com a foto, passei a noite toda vasculhando todos os sites e não achei nada. Quero morrer!

    Quero conversar com minha mãe e contar tudo que aconteceu, quero pedir pra mudar de escola, não tenho mais como continuar ali sendo humilhada todos os dias, estou desesperada, minha mae vai me matar quando ficar sabendo disso tudo, meu pai vai querer ir atras do menino e vai dar a maior confusão.

    O que eu faço?

     

    Pois é! Agora que o gato subiu no telhado não resta outra alternativa, pois isso já virou caso de polícia, conte para os seus pais e assuma a responsabilidade do que fez, prepare-se pois não vai ser fácil, mas vai servir para que você amadureça e nunca mais faça esse tipo de burrada.

    Quando você pensar que é esperta e madura o suficiente para fazer alguma coisa, pense se também é esperta e madura o suficiente para assumir as consequências dos seus atos. Esse é um bom exercício para te tirar de enrascadas. Por exemplo, é esperta e madura o suficiente para transar com o namorado, então tem que ser esperta e madura o suficiente para assumir uma possível gravidez indesejada. É esperta e madura o suficiente para mandar nudes para um desconhecido, então é esperta e madura o suficiente para lidar sozinha com a exposição e com os prejuízos que isso vai te trazer. Nem um adulto está preparado para lidar com uma situação assim, imagine uma menina de 14 anos?

    Esse rapaz jamais poderia te expor assim, mas quem se expôs primeiro foi você. É o mesmo que se jogar da ponte e achar que não vai morrer!

    Se você não é dona do seu nariz e não paga as suas contas, não tem que bancar a rebelde e ficar fazendo besteira por aí; Só porque é adolescente e adolescente é assim mesmo? É assim mesmo coisa nenhuma,  tá cheio de gente da sua idade perdendo a vida por aí, se envolvendo com drogas, ficando doente e isso não tem que ser assim.

    Vejo um discurso generalizado. – Ah, mas isso é coisa de adolescente! E por conta dessa complacência de pais, professores, parentes e autoridades, presenciamos situações como a relatada pela internauta. Pais despreparados que nunca tiveram limites, não sabem dar limites aos  filhos.

    A grande verdade é que a maior parte dos adolescentes não estão preparados para se comportar adequadamente nas redes sociais e os pais também não estão preparados para lidar com essa nova realidade e acabam falhando nas orientações.

    Cara leitora, aprenda a se comportar não só nas redes sociais, mas também na vida. Infelizmente, não se manda nudes, não se expõe informações pessoais do que faz, onde está, do que gosta. Isso é regra básica!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Descobri que o amor da minha vida é bissexual (ou gay) e estou muito mal.

    23.11.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    shutterstock_513690466

    Olá Isis, tudo bem? 

    Encontrei o site na internet, achei muito coerente suas respostas e preciso muito da sua ajuda! Ficaria feliz se você pudesse publicar a minha história mas sem revelar meu nome e email. 
    A história é a seguinte, vivo praticamente um conto de fadas (que pode ter um final muito infeliz).
    Meu namorado é músico e quando éramos crianças ele morava na rua da minha vó e já era “famosinho”. Era o gatinho da cidade, o músico que todas as meninas queriam. Eu criei por ele uma paixão platônica e ele ainda não me conhecia e nem sabe dessa história. Tive outros relacionamentos, fui muito apaixonada por outra pessoa mas nunca o esqueci. Quando tive a oportunidade e já eramos adultos, entrei em contato com ele através das redes sociais. Nossa afinidade foi imediata. Sabe aquela pessoa que é exatamente como você imaginou? Combinamos em tudo, ele é o homem mais amável que eu já tive. Nos damos sempre muito bem, ele sempre foi muito receptivo comigo, me tratou muito melhor do que a maioria dos homens que eu tive e eu acreditei na nossa paixão e no nosso amor recíproco. Acabei mudando de estado para ficar com ele, fiz uma grande mudança em minha vida. Ele me correspondeu. Assumiu nosso namoro, estamos juntos a 2 anos e meio e ele demonstra gostar de mim, é muito carinhoso e amável, inclusive na frente das outras pessoas. Todos percebem nosso carinho e afinidade só que desde nossa primeira relação sexual percebi que tinha algo estranho. Ele teve muita dificuldade em ter ereção e quando teve gozou muito rapidamente. Na época eu achei que isso era pelo fato de ele ser usuário de cocaína, o que não acontece sempre, mas as vezes. No entanto, a medida que fomos nos conhecendo ele começou a “dar pinta” de que poderia ser bissexual mas ele não é assumido. Comecei a perceber uma tara muito grande por sexo anal e até ai tudo bem, não tenho preconceitos em relação a isso. Só que comecei a perceber uma tara dele também por pênis, todos os objetos que ele enxerga ele fala que parece um pênis, coisa que muitas vezes nem passa pela minha cabeça, enfim, comecei a perceber que ele sente atração por outros homens. Uma noite ele bebeu demais e me confessou que sentia atração por um chefe dele do trabalho, tentei “pescar” para ver se ele entrava em mais detalhes e ele falou “tem coisas que a pessoa fala quando está bêbada que são difíceis de explicar.” Ele sempre fala quando acha algum outro homem bonito ao contrário de outros homens héteros que conheço que nem se quer conseguem reconhecer a beleza masculina. Também já percebi que ele é mais feminino do que todos os outros namorados que eu tive, ele repara muito mais nas minhas roupas, ele já falou “brincando” que queria usar uma das minhas calcinhas e sempre me pede carícias nas nadegas, adora que eu mexa no cabelo dele, que eu faça “rabinhos” me pede para fazer, mas só em casa. Como disse, não tenho muitos preconceitos, eu trabalho com artes e não penso em reprimí-lo e acredito que todo o ser humano esconda segredos, coisas as vezes que nem a própria pessoa consegue entender.
    Acontece que de um ano pra cá nossa vida sexual mudou bastante. Ele começou a broxar muito, constantemente. Inclusive num ato de sexo oral (que eu adoro fazer) ele estava com o pênis completamente mole, estava broxa mesmo, não conseguiu se excitar nem mesmo ao ser chupado por mim. Apesar disso ele adora me chupar, não tem nojo, o que me faz descartar a possibilidade de ele ser gay. Sou uma mulher fogosa, adoro sexo, já tive homens na cama que ficaram loucos por mim, tenho os seios fartos, cintura fina, mas acredito que na cama o que importe mais do que atributos físicos seja a vontade e isso eu tenho de sobra! No entanto além dele já ter broxado  muitas vezes comigo ele tem ejaculação precoce, geralmente goza em menos de 5 minutos e nossa relação nunca dura mais que 10min. Além disso nosso sexo é sempre do mesmo jeito, comecei a ter dúvidas sobre o quanto ele gosta do ato em si porque sei que o sexo não é só penetração. Essa situação jogou minha autoestima na lata do lixo. Comecei a me contentar em não gozar, só gozo sozinha quando me masturbo e de uns tempos pra cá comecei a fantasiar com outros homens. Eu o amo. Ele é um homem maravilhoso, me trata muito bem e fala que me ama mais do que tudo, que quer casar e ter filhos. Eu nunca coloquei ele contra a parede em relação as broxadas e a ejaculação precoce mas chegou num ponto que tive que falar pra ele procurar um urologista e ele foi só que eu percebi que ele não botou muita fé no tratamento, nem tomou direito o remédio que o médico receitou, o que me levou a crer que ele sabe que o problema dele não é fisiológico. 
    O que aconteceu esse final de semana foi a gota d’água pra mim. Ele bebeu muito e cheirou cocaína. Começou a falar de um cara que é produtor da banda dele, um cara muito bonito realmente, mas ele começou a falar de mais e “soltou a franga”. Falou em alto e bom som que queria dar a bunda pro cara, que queria dar o cú, que o cara era muito lindo mesmo. Pra mim não foi surpresa, eu o amo e o conheço e sempre desconfiei de sua bissexualidade o problema foi que teve um momento em que ele falou “será que eu sou gay?” “eu sou gay”. Não estávamos sozinhos em casa, um amigo dele estáva conosco, o menino ficou chocado, falou “cara eu não to te entendendo, eu não conhecia esse teu lado”. Senti que o menino ficou muito desconfortável na hora e que ficou com pena de mim. Ele perguntou pro menino se não tinha achado o cara bonito e ele respondeu que não, que preferia a beleza feminina e ainda falou pro meu namorado “cara você ta falando que você queria dar o cu”. Na hora eu fiquei com pena do meu namorado pq imaginei que ele ia sentir muita vergonha no dia seguinte e tentei amenizar a situação dizendo que também acho outras mulheres bonitas (o que é completamente diferente de querer fazer sexo com elas). 
    Depois que aconteceu essa revelação aqui em casa eu não tive coragem de tocar no assunto com ele, tenho pena porque acredito que não devemos julgar as pessoas, se ele é bissexual isso deve ser um conflito pra ele porque eu acho que nem ele sabe, no entanto acredito que até a família dele desconfie porque ele ficou muito tempo solteiro e uma vez na casa dele ao ver fotos da infância um primo dele comentou comigo que quando ele era criança ele era “meio estranho”. Ele já comentou comigo que adorava ler as revistas capricho da prima dele mas sempre escondido.  
    Eu o amo e o respeito como ser humano mas estou me sentindo muito humilhada com a situação. Sinto uma dor imensa. Eu não sei o que fazer. Já li muitos relatos de pessoas que se relacionam com bissexuais e o parceiro corresponde na cama, mas no meu caso isso não está acontecendo. Ele quer noivar ano que vem e eu tinha planos… mas já tirei da minha cabeça a idéia de casar com ele. Não tenho coragem de terminar o namoro porque sei que sofreria muito como já estou sofrendo mas ao mesmo tempo, sei que não devo me enganar pois posso pagar um preço muito caro futuramente. 
    Não tenho como ter certeza do quanto ele realmente me ama ou está comigo por “fachada”. Não tenho como ter certeza se ele não vai procurar se satisfazer sexualmente com pessoas do mesmo sexo e essa sensação de que não vou poder satisfazê-lo e ele a mim me faz ter a certeza de que devo terminar mas ao mesmo tempo eu o amo muito e o respeito como ser humano. Até que ponto Isis, eu deixei de me amar e perdi o respeito por mim? O que eu faço? Preciso de uma ajuda não tenho coragem de me abrir sobre isso com absolutamente ninguém. 
    Desde já te agradeço muito! 

    Olhando para o agora: O preço para estar nesta relação já não está alto demais?

    Não cabe a mim fazer o diagnostico da orientação sexual do seu namorado, mas acho que essa nem é a maior questão aqui.

    Todas as respostas que está buscando já estão no seu texto, você está com a autoestima destruída, sexualmente insatisfeita e se sentindo humilhada, repete inúmeras vezes que ama seu namorado e que vai sofrer se terminar tudo, mas não se deu conta que, mesmo sem terminar,  já está sofrendo muito com tudo isso? Por que você quer se agredir assim?

    Você está colocando a questão do seu namorado em primeiro lugar, mas onde fica a sua feminilidade, sua satisfação sexual e a sua vida afetiva? É isso que você tem que colocar em primeiro lugar, independentemente de qualquer coisa, pois você não pode mudar as escolhas do seu namorado, mas pode fazer as suas escolhas de forma inteligente e racional.

    Olhando para o  futuro: Quanto ao abuso de bebida alcoólica e drogas. Por que você cogita em se casar com uma pessoa que além de não definir/assumir a própria orientação sexual ainda usa drogas? Que tipo de estrutura familiar você espera ter e como você pretende criar os seus filhos?

    Esse último episódio em que ele, sob influencia de bebida e drogas, como você mesma disse, soltou a franga na frente de outras pessoas. O que você pensa de tudo isto? Esse já não é um prenúncio do que vai se repetir no seu ambiente familiar, caso resolva se unir a ele? É isso que você quer viver e quer que seus filhos presenciem?

    Além de tudo, esse episódio que você relata, também é um sinal de que as coisas estão se agravando e que a realidade do seu namorado já está gritando nos seus ouvidos, você consegue ouvir? Você consegue se ouvir? O que a sua própria realidade está gritando?

    Olhando para você: Por que  está pensando em se contentar com tão pouco? Onde esse amor que você diz sentir por ele vai te levar? Onde esse amor vai levar o seu namorado? O que mais ele vai ter que fazer para que você aceite o que está acontecendo e tome uma decisão? Lendo seu relato, percebo que ainda tem um lado seu que não quer aceitar a realidade.

    OLHE PARA VOCÊ! Já parou para pensar que é capaz e merecedora de um relacionamento feliz com tudo que você espera e precisa de um parceiro? Por que está se contentando com tão pouco? O que está te levando a caminhar para a direção contrária ao que você busca?

    Você se ama? Quando você vai na direção contrária daquilo que quer e espera de um relacionamento, abrindo mão de você, você está se amando ou se odiando?

    Ao invés de gastar energia tentando entender qual é a do seu namorado, volte-se para você mesma e gaste tempo refletindo sobre o porquê está escolhendo viver tudo isso. Pense onde suas escolhas vão te levar, busque ajuda profissional!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    DESFECHO – Estou grávida e descobri que meu marido também engravidou a minha “melhor amiga”.

    22.11.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    shutterstock_85758877

    Ísis,

    Tô mandando esse e-mail para agracecer do fundo do meu coração pelo seu trabalho e por toda ajuda que me deu e tbm pedir desculpas. Sua resposta só mostrou o quanto você está um passo a frente das situações e mostrou também como você sabe muito bem do que tá falando. Omiti algumas coisas no meu e-mail, mas mesmo assim você matou a charada na hora e me deu a resposta que eu merecia porque de vitima nao tenho nada.

    Realmente eu dei meu marido de bandeja para essa amiga, não só para ela, mas para várias outras, já tem algum tempo que tenho tido dúvidas sobre o que sinto por ele e senti muito arrependimento de ter me casado tão rápido. A estória é muito longa pra contar aqui, mas sou tudo menos vítima nisso tudo.

    A tentativa de suicídio foi muito mais para me safar do caminhão de criticas que eu receberia da minha mãe que sempre me deu bronca dizendo que eu não ligava para o meu marido. Ele tem muitos defeitos mais sempre me tratou muito bem e é um homem muito trabalhador. Não ia ter coragem de me matar, acreditei na minha própria mentira e sei que sou uma idiota por isso.

    Sua resposta serviu para eu perceber que eu estava doente, destruindo minha vida e a do meu filho que não tem nada com tudo isso. Sei que muita gente não aceitou o que você disse te peço desculpas por ter te colocado nesta situação, peço que me perdoe por ter omitido detalhes da estória. Quero muito continuar recebendo sua ajuda, por isso estou mandando esse e-mail. Me perdoa por favor? Sua resposta foi a mais sincera e certa que já ouvi na vida.

    Você não precisa se desculpar por nada, precisa sim é se cuidar e zelar pelo seu bebê. Seja honesta com você mesma e busque ajuda o mais rápido possível. Não se brinca com a vida, essa criança não pode ser penalizada e não pode ser atingida pelas suas mazelas.

    Quanto as críticas, agradar a todos enquanto Psicanalista é sinal de que alguma coisa está errada, portanto, todas as manifestações contrárias que se ouve são esperadas e são, na verdade, um ótimo sinal, pois a Psicanálise não é para alimentar histeria coletiva, mas sim para despertar o ser humano de seu profundo sono destrutivo que está levando a sociedade ao caos que se encontra.

    Psicanálise é para os fortes, quem só quer ser agradado e não suporta ouvir a verdade, pode procurar um livro de autoajuda ou qualquer outra corrente terapeutica que fale só o que se quer ouvir, mas que nunca vai  levar a realidade e a verdadeira resolução dos seus problemas.

    O desfecho acima refere-se ao último e polêmico post Estou grávida e descobri que meu marido também engravidou a minha “melhor amiga”.

    Conte comigo para o que precisar! Boa sorte!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Estou grávida e descobri que meu marido também engravidou a minha “melhor amiga”.

    08.11.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    shutterstock_315126491

    Isis, nunca senti tanta dor na vida e preciso de ajuda! Por favor, ao menos me mande uma resposta por email, não precisa publicar. Por favor, não divulgue meu nome e e-mail.

    Tinha uma amiga de infância que sempre esteve comigo em todos os momentos da minha vida. Ela frequentava minha casa, tinha livre acesso a tudo que tem na minha casa, entrava e saia daqui a qualquer hora, também era amiga do meu marido e por inúmeras vezes me ajudou em brigas que tive com ele. Perdi a conta de quantas vezes eu não queria sair de casa os dois iam beber cerveja junto, fiquei uma temporada na Bahia com minha vó e era ela quem buscava a roupa dele pra lavar e levava comida para ele. Para mim ela era uma irmã, tinha total confiança nela coisa que não tenho pelas minhas irmãs. Nunca imaginei …

    A estória é longa mais vou resumir.

    De uns tempos pra ca vi que os dois mal se olhavam e que ela estava muito estranha até que mim contou que estava gravida, até ai tudo bem, fiquei muito preocupada ela dizia que ia ser colocada pra fora de casa porque o pai dela jamais aceitaria aquilo. Mais nem percebi direito que ela e meu marido passaram a ignorar um ao outro, achei que ela estava irritada por causa da gravides.

    Os meses se passaram e a barriga foi crescendo até que chegou o dia que descobri tudo da forma mais covarde possível. Peguei uma conversa dos dois no celular dela, isso mesmo. Ela deixou o celular na cozinha enquanto foi falar com alguém em casa e vi que chegou um alerta de mensagem do meu marido, não sei porque tive o impulso de olhar do que se tratava, mesmo sem ter  desconfiança do que estava acontecendo. Peguei uma briga horrorosa dos dois, ela ameaçando contar tudo para mim que o filho era dele e ele dizendo que duvidava que o filho era dele porque ela saia com vários caras e eu uma idiota nem sabia que além de tudo ela é uma vagabunda.

    Quando ela voltou me pegou com o celular na mão soluçando de chorar, como eu pude viver todos esses anos sem perceber nada, como eu fui cega ao ponto de até convidar ela para morar na nossa casa sem desconfiar da traição que os dois fizeram comigo.

    Quando descobri tudo, tomei uma caixa inteira de remédio controlado tarja preta da minha mãe que sofre de síndrome do pânico + uma garrafa inteira de vinho coisa que nunca tinha feito, quase morri, meu corpo entrou em colapso  e tive que fazer lavagem estomacal. O médico veio falar comigo e me contou que eu corria risco de perder o bebe, eu quase desmaiei, senti todo meu corpo desfalecendo, como assim eu não estou grávida… e o médico me informou que estava gravida de aproximadamente 8 semanas.

    Agora além de ter que suportar a dor da traição ainda tenho que conviver com a culpa de colocar meu bebe em risco, pois os médicos ainda não sabe se ele foi afetado pela minha tentativa de suicídio e não sabem ate que ponto o que eu fiz tenha causado algum dano ao meu bebe. Tudo por culpa dos dois sem caráter, dois monstros que estão destruindo minha família e colocando em risco meu filho. Tenho muito mais coisa pra contar, mais vai ficar muito grande meu email. Sai de casa, estou morando com minha mãe e fiquei sabendo que ela está acampada na minha casa agora. Tenho passado tao mal com enjoos e quadros depressivos que me vejo sem força pra fazer qualquer coisa, mesmo porque preciso tentar proteger esse bebe que é um inocente. Meu marido me procurou chorando muito, me pediu perdao na frente de toda minha famila, jurou que me ama e que nunca mais vai me trair se eu der a ele uma segunda chance, mas nao consigo. Com minha melhor amiga foi demais, acho que nao tem como perdoar algo assim.

     

    Feito o estrago, o que você tem que priorizar agora é o seu bem estar e o bem estar desta criança.

    Colocando de lado todo sentimento de culpa e autopunição, pare de responsabilizar seu marido e a amante pelo ocorrido. A responsável pela sua integridade física e psíquica é você e se tomou a decisão de se  matar ao invés de enfrentar a situação de frente, a responsabilidade é inteiramente sua, não transfira isso para os outros. Por mais grave que tenha sido essa traição, você, pelo que descreve,  pediu para que ela acontecesse.

    Você pode se perdoar e se acolher diante de toda esta situação, o que você está passando é realmente muito doloroso, mas daqui por diante enfrente isso tudo de maneira adulta e pare de perder!

    Quanto ao seu bebê, pesquise sobre psicoembriologia e encontre um profissional perto de você. Tudo que ele enfrentou até aqui pode ser trabalhado com a ajuda de um Psicoembriologo, por favor, me mande um e-mail que posso te dar mais informações a respeito.

    Saia da posição de vitima! Você entregou o seu marido e sua casa de bandeja para outra. Por mais confiável que uma pessoa pareça, lembre-se do famoso jargão: a ocasião faz o ladrão. Resta saber por que você desejou tão intensamente o fim deste casamento, pois inconscientemente foi isso que você fez, desejou o fim do seu casamento. Isso você só vai saber com ajuda profissional.

    Você precisa decidir se vai perdoar o seu marido ou não e a partir desta decisão conduzir a sua vida. No fim você fez o que toda criança faz, que é correr para os braços da mamãe sem qualquer autonomia para resolver o problema, mas lembre-se que você é uma adulta, portanto, agindo e pensando como adulta qual é a melhor escolha que você pode fazer agora? Dar tempo a você e ao seu filho para se recuperar longe de tudo isso? Perdoar, voltar para sua casa e assumir o seu posto de esposa colocando uma pedra em cima de tudo? Aprender daqui pra frente como se cuida de um marido, sem entrega-lo de mãos beijadas nas mãos de outra?

    O que eles fizeram foi de uma falta de caráter sem precedentes, mas não existe por acaso, também houve uma permissão da sua parte para que tudo isso acontecesse, houve também um sincronismo de desejos e vontades que fez com que eles agissem desta forma e fez você sabotar a sua relação e quase tirar a própria vida e a do seu filho. E você acha que se matar não é exatamente o que sua “amiga” quer que você faça? Por que você acha que os dois estavam brigando? É claro que ela está exigindo que ele assuma essa criança e largue você, pois é o seu lugar que ela quer e isso ficou claro quando você relata que ela está acampada na sua casa.

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Tenho ódio da minha irmã! Sou doente, mentirosa e invento calúnias contra os outros.

    26.10.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    maldosa

    Quem sabe ao menos aqui posso mostrar quem eu realmente sou? Vou me identificar como Pamela, tenho 35 anos e uma vida de fracassos, frustrações e muita raiva de todos que me cercam.

    Sei que vocês vão me julgar, mas desafio qualquer um aqui a provar que nunca sentiu ao menos um dos sentimentos que passo a descrever neste relato. 

    Desde criança sempre tive um ódio mortal da minha irmã. Até ela nascer era tudo meu, a atenção da minha mãe, do meu pai e dos meus avós, os presentes dos parentes o quarto todas a roupas. Quanto essa maldita nasceu minha vida se transformou em um inferno. Já não recebia o mesmo amor dos que me cercavam e para completar ela era muito mais carismatica que eu.

    Minha irmã sempre foi a queridinha, mais bonita, sempre teve as melhoras notas na escola, sempre foi a melhor em tudo que fez, sempre namorou os caras mais bonitos e cobiçados. Apesar de todo esse poder, ela sempre foi humilde e amada por todos e com uma conduta impecável. Isso tudo para triplicar o ódio mortal que sinto por ela. Não posso dizer que ela é uma pessoa ruim que sempre me prejudicou e roubou o que é meu, a ruim da história sou eu e tenho plena certeza disto.

    Sempre tive o aspecto de menino, desajeitada, sem charme, nada atraente aos olhos do sexo oposto. Também nunca fui brilhante na escola, sempre passei de ano raspando, arrumava briga na sala de aula e sempre fiquei na turma dos bagunceiros e problemáticos da escola. Demorei muito para beijar pela primeira vez e perdi minha virgindade com um idiota quando já estava com quase 20 anos.

    Cresci destilando ódio. Já descosturei roupas que a minha irmã usaria em festas importantes, impedindo-a de ir até mesmo na formatura do então namorado. Já manipulei situações para que ela saísse prejudicada, já inventei calúnia contra amigos dela, só pelo prazer de ver ela chorando e a amizade desfeita. Já roubei a senha de redes sociais dela e fiz várias postagens ofensivas e contra os melhores amigos dela. Apesar de desastrada aos olhos dos meus pais, uma arte eu sempre dominei a da dissimulação. Manipulava situações até criar o caos na minha casa até a família inteira discutir na noite de natal por exemplo. Na infancia cheguei a colocar detergente no box do banheiro para minha irmã se machucar, mas quem foi tomar banho foi o meu primo que não sei porque se quebrou inteiro, pois ele também merecia. Quando ela era menor eu passava pimenta na chupeta dela e destruia seus brinquedos favoritos de propósito.

    Com o tempo fui descobrindo que fazer tantas maldades só diminuía minha infelicidade momentaneamente e passei a usar cocaína para me sentir viva, também abusava de bebidas alcoólicas, tinha múltiplos parceiros sexuais, passava dias fora de casa, não parava em trabalho algum, nem sei como consegui me formar em Direito, mas nunca consegui passar na porcaria da prova da OAB, enquanto minha irmã já está se preparando para ser juíza, pois é claro que ela escolheu a mesma graduação que eu e para coroar é uma ótima advogada. Eu tenho uma lojinha de importandos que mal paga as próprias contas, nunca exerci a profissão e não tenho esperança que isso um dia vá acontecer.

    Após um tempo de vida desregrada, comecei a fazer tratamento, tomo antidepressivos o que apenas me impede de causar uma tragédia e me matar, mas não melhora em nada a minha vida e sensação de sempre estar para trás. Sempre manipulo situações e me faço de coitada para conseguir o que quero e toda a clareza que tenho quanto a todas as minhas falhas de caráter foi adquirida após anos de terapia, apesar de saber que sou doente, não consigo fazer nada para mudar isso e tudo que faço é lidar diariamente com essa pilha de lixos sem que as pessoas que estão ao meu redor saibam.

    Nunca tive amigos verdadeiros, nunca consegui amar um homem de verdade e nunca fui amada por ninguém, nada prospera nas minhas mãos, não posso ter filhos,  nem as plantas ficam vivas perto de mim e gatos me odeiam, já fui atacada por um na praia e fui parar no hospital por isso. Acho que ele percebeu a nuvem negra que carrego em cima da minha cabeça e o que é pior, não tenho esperança que essa situação mude, aprendi a ser assim, aprendi a trapacear em tudo e não sei ser diferente. Apenas tomo meus remédios para doer um pouco menos em mim e para que eu não machuque ninguém e limite minhas maldades apenas no âmbito psicológico, torturando os outros com minhas intrigas, mas não me importo se meus pais e familia vão sofrer, isso realmente não me abala, não me impressiona e a morte para mim é algo banal e sem a mínima importancia, na verdade tenho vontade de gargalhar cada vez que vou a um velório. Queria morrer logo, nunca tive coragem de tirar minha própria vida, sou uma covarde e nem isto consigo concretizar na minha vida!

    Isis, o objetivo de escrever para vocês é compartilhar a minha história e despertar muitos julgamentos neste povo hipócrita que se faz de santo. Me xinguem bastante, mas saibam tudo que sinto também está dentro de vocês, mas vocês preferem olhar o que tem nos outros.

    Apenas uma reflexão:

    A maioria das pessoas do mundo contemporâneo têm traços de pervesão, psicose, esquizofrenia, psicopatia, entre outras coisas. A qualquer momento tais traços podem progredir para uma patologia importante e a comprovação disto está nas manchetes dos jornais que mostram, suicídio, homicídios, genocídios, corrupção, megalomania, e tudo mais que vocês já estão mais que acostumados a engolir diariamente como se fosse algo normal. É surpreendente como a sociedade coloca toda essa sujeira embaixo do tapete como se nada tivesse acontecendo. Por isso o acompanhamento profissional é tão importante, mesmo para aqueles que acreditam que possuem a saúde mental em perfeito estado e que psicologo e psicanalista e coisa para gente louca.

    O  prazer que a leitora teve em expor a própria história,  em nada é diferente do prazer que as pessoas tem em fazer fofocas, denegrir a imagem alheia, fazer piadas racistas e homofóbicas nas redes sociais e disseminar más notícias dando foco sempre para a tragédia e para a destruição.

    Usar o anonimato para destroçar a reputação e o trabalho das pessoas (haters), defender determinadas verdades desrespeitando a verdade dos outros, levantar bandeiras megalomaniacas e induzir os outros a fazer o mesmo, mentir para conseguir o que quer, ser corrupto, usar as pessoas nas relações afetivas; Tudo isso em nada se difere da perversão que  a nossa amiga acabou de descrever, portanto, não se apressem em julgar.

    Temos um prazer quase que orgastico no mal quando, na verdade,deveríamos ter prazer no sexo, no trabalho e em atividades construtivas para deixar a humanindade menos miserável do que está. A história exposta aqui é apenas uma amostra da triste realidade em que todos nós nos encontramos.

    Esse é o tamanho da inversão humana, todos em maior ou menor grau tem um pouco do que a nossa amiga Pamela acabou de contar aqui, ainda assim, quando nos deparamos com uma história que traz fatos tão explicitos e contundentes nos colocamos na posição de juizes.

    A reflexão de hoje é : Onde na nossa vida estamos agindo como a Pamela?

    E que não tenhamos medo de olhar para isso, admitir e buscar ajuda enquanto há tempo!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Meu ex reapareceu, mas agora estou casada!

    20.10.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    falar com ex

    Isis, quero muito ser ajudada por você estou numa situação bem complicada. Tive um amor de infância entre os 12 e 19 anos, com ele perdi minha virgindade, beijei pela primeira vez e descobri o que é o amor, mas ele mudou para o Canadá com a família e acabamos nos afastando e cada um seguiu seu caminho e sua vida.

    Sofri muito na época, cheguei a querer ir com ele, mas a família dos dois lados não apoiou em nada, dizendo que éramos muito jovens e pouco tempo depois recebi a notícia que ele estava namorando uma menina brasileira o que me deixou arrasada, não esperava que ele fosse me esquecer tão rápido, sempre tive a esperança dele me buscar no Brasil, quando vi que não aconteceria isso fiquei muito deprimida. Demorei pra me envolver novamente mas algum tempo depois conheci meu atual marido, no começo não gostava dele, mas com tempo ele foi me conquistando. Acabei engravidando e nos casamos. Ele sempre cuidou de mim e da nossa filha, aprendi a amar ele e passamos a ter uma vida muito tranquila apesar de todas as dificuldades financeiras.

    O que acabou com minha paz foi rever meu ex em uma festa de amigos em comum que temos. Nem sabia que ele estava no Brasil e solteiro, ninguém me avisou que ele estaria na festa, quando cheguei com minha filha e meu marido dei de cara com ele e minha cara caiu no chão. Fiquei muito desconcertada com a surpresa, todos perceberam como fiquei sem jeito, foi horrível.

    Como se não bastasse o carão que passei na festa, a desconfiança do meu marido e o comentário generalizado sobre o acontecimento do ano, o meu ex passou a me assediar me mandando mensagens, me pedindo perdão e dizendo que jamais poderia ter feito o que fez comigo, no fundo eu não tinha esquecido ele, meu coração bateu forte, tudo que vivemos foi forte demais ele foi meu primeiro amor.

    Além de conviver com a culpa de me sentir atraída pelo meu ex, tenho que lidar com os comentários maldosos de amigas e da minha própria família, nunca me senti tão sozinha e vitima do veneno destas pessoas, meu casamento está sendo prejudicado. Não sei o que faz, meu ex disse que está disposto a jogar tudo para o alto e que me assumi, me pede perdão de joelhos e sempre diz que era muito imaturo e na época não sabia o que estava fazendo. Não posso simplesmente abandonar o meu marido, nem tenho motivos para isso, ele sempre foi muito bom para mim.

    Isis por favor me ajude, estou desesperada com minhas reações, sei que ninguém pode decidir isso por mim, mas queria muito ouvir opiniões de fora.

    Ok, entendo a quantidade de emoções e a ebulição de sentimentos que toda essa história deve estar te causando, mas é muito importante ter em mente que tem muita coisa em jogo e que a sua decisão não é só sobre você e suas necessidades e vai interferir diretamente na vida de muitas pessoas, em especial do seu filho.

    Entenda que a vida passa e as coisas mudam, você mudou e seu ex também. Será que ele ainda é aquele menino que você conheceu? E você? Você quer virar um museu ambulante, cheia de lembranças de algo que nem se concretizou? Será que não existe uma forma mais construtiva de superar esse rompimento entre vocês?

    Analise friamente se vale a pena correr o risco e jogar tudo para o alto por alguém que já te abandonou uma vez e que, pelo que você relata, se recuperou em tempo recorde após o afastamento. Por mais que ele peça desculpas e diga que foi por imaturidade, você acha isso é suficiente para justificar o fato dele se envolver com outra tão rapidamente? Valorize-se!

    Você pode escolher viver esse amor e pagar o preço por ele (não sei iluda, vai ter um preço) a decisão é sua. Apenas reflita se você está preparada para lidar com as consequências das suas escolhas e com todos os riscos que a sua decisão vai envolver.

    Seja qual for a sua escolha, analise os prós e os contras usando não só o coração, mas a razão também. Reavalie os seus sentimentos pelo seu parceiro, por que está sentindo tudo isso pelo ex se você relata ter um ótimo relacionamento com o seu marido? Essa conta não fecha!

    Por outro lado, tudo que está sentindo pelo seu ex é real? Não seria tudo isso o retorno de uma fantasia e de um desejo quase infantil que foi frustrado?

    De qualquer forma, após tudo que aconteceu depois desse reencontro e com toda desconfiança do seu marido, é obvio que seu casamento não será mais o mesmo. Aproveite essa oportunidade para ser honesta com você, sobre o que quer para o seu futuro.

    Lembre-se isso tudo pode ser só uma fase. Quando essa fase passar, como você quer que fique a sua vida e a vida das pessoas que você ama? É bom que tudo esteja inteiro, caso você constate que tudo não passou de um engano e de uma ilusão da cabeça dos dois.

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Eu tenho 15 anos e ele 30. Ele tirou minha virgindade e foi um tosco.

    27.09.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta

    virgem

    Tenho 15 anos, perdi a virgindade com um cara de 30 e não acho ele bom de cama.

    Oi sou a xxx tenho 15 anos e cheguei aqui pela minha melhor amiga que me indicou o blog.

    Estou com um problema e preciso de uma segunda opinião.

    Assim, estou a 2 meses com um rapaz,mas ele não esta me agradando muito na cama e eu curto um pouco ele.

    Estou no primeiro ano do ensino médio, sou uma menina de boa,mais esses últimos tempos tive algumas curiosidades sobre sexo,minhas amigas tem falado muito sobre as transas delas com os namorados e ficantes delas e eu fiquei curiosa,mas eu não sou a menina de vários ficantes,nem namorado eu tinha e era virgem,eu me empolgava com as histórias delas e queria fazer igual mais eu só tinha um ficante e tipo eu não me sentia a vontade pra ter minha primeira vez com ele,nem com os outros meninos que me curtem na escola porque acho eles muito imaturos.

    Fiquei dias pensando em quem eu deveria escolher,pedi ajuda das minhas amigas,até que lembrei de um rapaz que vive no portão da minha escola.

    Assim ele sempre me azarou,sempre dava cantada,me olhava e oferecia carona,só que eu meio que nunca vi graça nele,por não conhecer ele eu meio que tinha um preconceito,e achava ele feio e imaturo,por que ele tem 30 anos e se veste igual os meninos da minha escola,boné,calça de skatista,óculos escuro,e fica na porta da escola com som alto,mas sempre me espantei por que ele sempre tava ficando com alguma menina do colégio,inclusive tem amiga minha que dava indireta nele.

    Ele não é muito bonito,é gordo,usa aparelho,mas eu ficava pensando poxa,ele sempre ta com alguma menina linda da escola,uma das minhas amigas é xonada nele,talvez ele seja gente boa e bom naquilo,e também minhas amigas logo começaram a fazer pressão para eu dar uma chance pra ele,ficavam falando que eu e ele combinávamos,que ele seria o melhor para mim por ele ser experiente e etc.

    Resolvi dar uma chance,comecei a conversar com ele e vi que eu tinha julgado errado ele foi muito gente boa,fofo,atencioso,carinhoso,logo eu mudei meu ponto de vista sobre ele,comecei a gostar dele,começamos a ficar,a sair,eu me apaixonei e resumindo eu falei que queria ter uma vida sexual com ele,que queria experimentar algumas coisas e perder minha virgindade.

    Ele foi compreensivo e me apoiou,fiquei super animada contei pra todas minhas amigas,nisso minha ansiedade e vontade pra começar tudo só aumentou,mas logo de cara ele começou a me decepcionar..

    Nossa primeira vez foi horrível demais,ele foi muito afobado,ele não foi carinhoso,não me beijou,ele apenas correu tirar as calças e não tirou mais nada,fez usando meia,camisa e boné,achei aquilo muito tosco,mas também por bobeira da minha cabeça,tipo quando ele abaixou as calças e tirou a cueca,eu esperava uma coisa e veio outra,o pênis dele lembrou o do meu irmão de 6 anos,era pequeno,não tinha pêlos e tinha fimose,ele deitou encima de mim e felizmente terminou rápido demais,ele tava usando muita força aí doeu muito.

    Fiquei chateada,cheguei a contar para minha amiga que me indicou o blog,ela falou que a primeira vez sempre é ruim,o problema é que todas as vezes nossas foram ruins!

    Eu não me sinto avontade com o pênis dele,acho estranho,ele termina muito rápido,as vezes ele termina de por a camisinha aí a hora que ele enfia em mim ele goza,outras vezes eu to fazendo oral nele ele não se aguenta e goza,eu to tirando a roupa pra ele daí ele fica vendo e se masturbando daí a hora que termino ele goza,essas situações me irritam demais e me dão vergonha alheia,tipo todas as minhas amigas contando das transas delas e eu fico sem graça por que as minhas são ridículas,a única amiga minha que sabe que meu namorado não é tudo isso é a que me indicou o blog,ela fala que eu devo ter paciência e pensar no que sinto por ele e que formamos um belo casal.

    Eu queria terminar com ele,mas ao mesmo tempo eu fico em dúvida por que tipo assim só conheço menino imaturo, e tirando o sexo ele é ótimo namorado,ele é carinhoso,me respeita,ele tem atitudes comigo que me encantam,ele sempre foi de pegar várias,agora que ta comigo ele ta ficando só comigo mesmo,sei disso por que ninguém vê ele com outras como antes e saímos quase todos os dias,ele é divorciado e tem uma filha de 5 anos,esse fds passado ele saiu com ela e chamou eu para ir junto,achei isso muito fofo.

    Enfim esse é meu drama,preciso saber o que fazer,quero curtir e aproveitar mas essa situação me deixa indecisa,me ajudem bjs!!!

     

    O que um cara de 30 anos fica fazendo na porta de uma escola no horário de saída? Oferecendo carona para as menininhas e o que mais? O que você sabe sobre esse rapaz? Ele sabe que você é menor? Aliás, os seus pais estão sabendo disto tudo?

    Não se iluda com tão pouco, o fato de ele ter te convidado para sair com o filho dele não significa muita coisa, pode ser até golpinho barato para mantê-la nas mãos dele. Você conhece a família dele? Ele conhece a sua família? Não fique se enganando achando fofo qualquer coisa idiota que ele fizer, olhe o contexto geral e só aí tire conclusões.

    Esclareço que a questão da diferença de idade não é o problema aqui e sim o fato de você ser menor de idade e ser, provavelmente, a centésima que passa nas mãos dele. Se você tivesse 20 e ele 35, por exemplo, a situação seria bem diferente, concorda?

    Não fique acreditando nas histórias mirabolantes sobre aventuras sexuais que suas amigas te contam. Você não acha que está tudo meio exagerado e que algumas coisas são meio fantasiosas? Será que elas estão contando como foi a relação sexual delas ou estão descrevendo o que viram no vídeo pornô que assistiram na internet?

    Se não tinha ninguém na sua faixa etária com maturidade suficiente para tirar a sua virgindade, isso talvez fosse um sinal de que ainda não era hora.

    Sexo é algo especial demais para ficar sorteando aleatoriamente quem vai tirar a sua virgindade.

    O cara já não te agradou desde o primeiro momento, mas como ele pegava as meninas bonitas da sua escola, você resolveu se aventurar? Por aí você pode ter uma noção do quanto estas meninas entendem de sexo e prazer, pois para um cara péssimo de cama como este conseguir pegar alguém, tem que ser alguém inexperiente que realmente não tem qualquer noção do que é ter prazer e ser tratada com carinho e respeito.

    Pare e olhe para essa situação, é por essas garotas sem noção e sem mãe que você está se deixando influenciar? E como você pode se diminuir a ponto de ficar com alguém só porque elas também ficam ou ficaram?

    E ainda por cima vem as "amigas" e te aconselham a ficar com o cara e você obedece como um carneirinho? Pare de ouvir os outros e confie em você e em sua intuição. Voltando naquele primeiro momento, quando você viu o cara na porta da escola, se você fosse ouvir somente os seus sentimentos e intuição e norteasse sua decisão baseada somente no que você pensa, você teria perdido a virgindade com ele?

    Vc acha que status diante da turma é ficar com um tosco que pega todas as meninas bonitas da escola? Saiba que você pode estar diante de um predador e o máximo que vai te acontecer é pegar uma bela doença venérea por ficar com cara tão rodado no pedaço. Use camisinha e pare de seguir a multidão. Seja mais você!

    Status nessa idade deveria ser estar preparada para um bom vestibular, saber esperar por um garoto legal para perder a virgindade e não se contentar com qualquer porcaria, ou ficar sozinha e não perder a virgindade por mera convicção própria e por ter amor próprio. Status deveria ser  ouvir e dialogar com os seus pais ou com alguém confiável, quando a coisa fica feia e não ficar ouvindo/obedecendo conselho de amiguinhas treslocadas que sabem menos que você. Esse status a que refiro, pode não ser o que sua turma valoriza, mas é o que vai te levar a algum lugar na vida que não seja uma maternidade precoce ou uma vida adulta mediocre e sem qualquer perspectiva de felicidade. PENSE NISSO!

    Por último, sua dúvida é se fica ou termina com o cara porque, apesar de ser "fofo, ele é ruim de cama?! Com tudo que leu acima, você acha que ainda precisa desta resposta?

    VALORIZE-SE!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Tenho nojo de chupar a periquita da minha namorada. O que eu faço?

    19.09.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    vagina

    Oi Isis, me ajuda a entender o que acontece comigo. Vou confessar algo que a maioria não tem coragem. Namoro há muito tempo com uma super mulher, nos entendemos em tudo, ela é linda, inteligente, batalhadora e adora um oral e aí começa o meu drama. Pra mim é uma tortura chupar uma buceta, pra mim as bucetas sempre estão com um cheirinho estranho de peixe, sem contar o gosto de coriza, meio salgado as vezes adocicado…e olha que minha namorada é limpíssima, não sei com dizer isso para ela. Sem contar que também não gosto da textura da buceta na minha boca, parece uma coisa meio gelatinosa e babada na minha boca, chega me revirar o estomago. Gosto da penetração e acho que ela tem muito prazer comigo.

    Sei que vão me chamar de tudo quanto é nome nos comentários, mas tenho certeza que outros homens tem a mesma sensação. Até fico curioso para saber o que os outros homens pensam a respeito, por isso peço ajuda a você Isis e aos leitores do do mete a colher, pois mesmo gostando muito da minha namorada, confesso que já evitei o sexo por dias, que sempre que posso pulo o sexo oral e que só Deus sabe o que passo cada vez que preciso fazer isso, parece que fico dias com o cheiro na minha cara, não é nada agradável.

    Isso aconteceu com outra namorada que tive, também sempre tive nojo da lubrificação da mulher  no meu pênis, enquanto meus amigos sempre relataram que morriam de tesão quando a mulher ficava molhada eu morro de agonia. Sempre tento correr e fazer o oral antes da mulher se molhar inteira e enfio os dois dedos na periquita pra ver se segura um pouco, mas ainda assim em poucos minutos começo a sentir aquele gosto salgado adocicado.

    Caro leitor,

    Mesmo já tendo visto quase de tudo nesta vida e estudado inúmeras patologias, às vezes fico sem saber o que dizer. Peço ajuda ao público masculino!

    Mas vamos por partes. Vejo duas possibilidades nesta história.

    Me pergunto se o problema é dela ou seu. Será que você não é nojento demais e está exagerando. Que tipo de gosto e cheiro você gostaria que uma vagina tivesse? Já teve esse problema com outras namoradas, portanto, o problema pode ser você. Você já se perguntou se realmente gosta de vaginas? Procure ajuda profissional e tente entender de onde vem isso e não espere que uma vagina vá ter odor de rosas e gosto e textura de pêssego.

    Outra possibilidade, embora menos provável,  é ela estar com algum problema de saúde. Uma vagina não deveria cheirar peixe, ainda mais quando você relata que sua namorada é extremamente higiênica. É provável que nem ela esteja sabendo que está com algum problema ginecológico e é bom que você ajude neste sentido. Entendo que estou diante de um caso que envolve dois adultos, portanto, a conversa deve ser aberta, mas não precisa ser grosseiro, afinal não deve ser fácil ouvir do parceiro que a vagina cheira a peixe?! Só tenha essa conversa se estiver 100% certo que o problema não está em você.

    Você vai ter que encontrar uma forma de contar isso para ela, diga que notou uma secreção diferente ou que a vagina dela está mais vermelha que o normal e que quer ir com ela ao ginecologista. Você não precisa necessariamente falar do odor. Faça isso com carinho e muito tato, pois da mesma forma que você não ficaria confortável se sua namorada dissesse que seu pênis é pequeno ou que tem cheiro de urina (e acredite que tem muito homem por aí que não sabe lavar o pipi) coloque-se no lugar da sua namorada e considere o quanto essa situação é delicada.

    Boa sorte!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

     

    Vivo um drama – O fantasma do meu ex namorado me assombra toda noite.

    13.09.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    fantasma

    Olá Isis,

    Meu ex foi meu ‘primeiro’ namorado mesmo, aquele que perdi a virgindade e namorei uns 3 anos, até meus 20 anos.. Terminamos pq ele mudou de país, porém logo ele começou a namorar e eu fiquei na vida bandida, sofrendo por ele,  mas saindo e ficando com outros rapazes. Isso durou quase 4 anos, ele ainda namora, mas nunca mais tive contato com ele após o primeiro ano do término e às vezes batia saudade, mas acho que não amava mais ele…

    Daí conheci esse meu atual e começamos a namorar.. Ele é ótimo, porém tem algumas coisas que não batem.. Divergimos na posição política, ele é super estressado, mas ao mesmo tempo (em outros momentos) muito carinhoso, família, companheiro. O sexo é ótimo, mas ele não me beija muito. Por ex, ele me zoa qnd vou beijar, pq eu q tenho q tomar iniciativa quanto a isso, senão ele só fica no selinho ou beijo no sexo.. E o beijo dele não é muito bom… 

    Eu amo ele, mas tem hora que fico saturada, com medo desse fantasma continuar me atormentando e essas coisas que me incomodam nele e em nossa relação, fique maior do que sinto por ele, e que fique namorando com ele pra depois terminar e sofrer mais uma vez…

    Não sei o que faço, não posso contar isso pra ngm sobre o fantasma do ex, e já conversei com meu namorado sobre essas coisas que me irrita, mas não parece ter melhoras…

    me ajuda isis, como faço pra esquecer esse demônio e como faço pra melhorar minha relação?

    É simples, o desejo do seu insconsciente é ser abandonada novamente. Por isso fica sonhando com o seu ex e achando defeitos no seu atual.

    Aprenda uma coisa, relacionamento perfeito não existe e as coisas são como são, não tente mudar o seu namorado!

    Seu ex não teria mudado de país se fosse para ser seu, seu atual pode até não ser perfeito, mas é o cara que está ao seu lado agora. Viva o agora, viver apegado ao passado é a receita perfeita para o fracasso. Já passou, vire a página, bola pra frente e vida que segue sem mimimi. A melhor forma de exorcizar esse fantasma é ficar no aqui agora e parar de caçar defeitos no atual, ao invés de ficar procurando motivos para estragar o seu relacionamento, foque nas qualidades do seu namorado.

    Essa história de eu amo ele, mas...Ou você ama com todos os defeitos e qualidades ou simplesmente não ama. Divergência de opinião política não deveria ser critério de escolha ou exclusão, seja de amigo, namorado, whatever...Mas se está insuportável, tipo o cara e a família inteira dele é militante de um partido socialista e você é de extrema direita, aí fica difícil mesmo, mas será esse o caso? Ter opiniões políticas diferentes seria motivo suficiente para que duas pessoas adultas terminem uma relação? Você precisa definir o que é realmente importante para você e o que vem em primeiro lugar.

    Beijar pouco é um problema que pode ser resolvido. Você precisa fzer uma auto-análise e ver se não é pegajosa demais e se está tudo ok com a sua boquinha e estomago, né? Já vi casos da pessoa não saber como falar que o parceiro beija mal ou tem mau hálito, e acredite, mau hálito e problemas estomacais qualquer um pode ter, às vezes sem perceber. Antes de tirar conclusões precipitadas, olhe para você! É muito fácil só procurar o problema fora.

    Tem coisas muito mais importantes a serem avaliadas em um parceiro, como caráter, princípios e valores, compatibilidade de ambições e objetivos de vida. Você disse que o sexo é ótimo, mas o cara não beija muito bem?! Mas será que não dá para chegar a um acordo com relação a isso?  Agora, se você me disser que o cara faz parte de uma célula terrorista, é mau caráter, não gosta de trabalhar, usa drogas e tem traços de temperamento violento, eu te diria cai fora agora e fuja para as montanhas, mas está claro que não é essa a questão aqui.

    Pare de sabotar o seu relacionamento e investir no que é negativo, antes de dormir faça uma oração e determine para você mesma que não vai mais sonhar com esse ex e que todo vínculo entre vocês está cortado. Corte essa sintonia, mude os pensamentos e invista no seu namorado atual, é ele que está com você agora.

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Fui abusado por um tio, hoje tenho vários problemas psicológicos e preciso de ajuda.

    06.09.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    agressividade

    Boa noite, vi em um site seu comentário ajudando uma pessoa com problemas de agressividade. Bom o meu caso é o mesmo é estou tendo sérios problemas, acúmulo muita coisa e quando explodo não é bom. 

    Não sei oque acontece comigo , mas vejo pessoas zombando de mim e vou guardando, juntando, outras vezes quando estou em público acompanhado ou sozinho fico agitado nervoso sem jeito, fico lento e tento acelerar minha rapidez para não notarem que estou lerdo sinto meu coração acelerar e começo a tremer fico totalmente sem controle, só me sinto bem quando estou em casa ou em um ônibus ou algum lugar com poucas pessoas preciso muito de ajuda, pois estou a ponto de perder meu casamento .. na minha infância já sofri abuso de um  tio, já de maior sofri traição no relacionamento que acabei me afundando nas drogas, depois de um tempo voltamos e parei de usar drogas graças a Deus , mas infelizmente estou assim hoje.

    Sempre fui calmo e tranquilo eu não entendo o que está acontecendo comigo, não consigo mais conversar até mesmo com meus parentes, sou de poucas palavras só falo o necessário, não consigo demonstrar mais o amor que eu sinto aos meus familiares como antes  sinto muita vergonha, mas não sei de que ando na rua de cabeça baixa. Por favor, se você puder me ajudar.

    Ok, seu caso é bem complexo e acredito que os meus conselhos não poderão te ajudar da forma que você necessita. 

    Você apresenta sintomas que precisam ser relatados a um Psiquiatra e em paralelo você precisa buscar ajuda de um Psicanalista ou Psicólogo. Existe clinicas e instituições que podem oferecer atendimento com baixo custo ou gratuito, caso você não tenha condições financeiras.

    É importante que você tenha uma conversa franca com sua esposa e conte tudo que vem sentindo. É essencial que você tenha alguém ao seu lado neste momento. Se você sente que seu casamento está muito desgastado e que a confiança se perdeu, procure ajuda de um amigo de confiança ou parente próximo. É comum em situações como a sua, ter dificuldade para buscar ajuda e tratamento,  mas o apoio de um amigo ou parente vai te ajudar.

    Enquanto não inicia o tratamento, é importante que você não se culpe por tudo que está acontecendo. Tudo que você sente tem origem em situações da sua infância que você precisa resgatar e resignificar, isso só pode ser feito com ajuda profissional, mas em primeiro lugar você precisa se acolher e não se flagelar por tudo isso. Reconhecer que precisa de ajuda é muito importante, o próximo passo é fazer algo que efetivamente te ajude a superar tudo isso. É possível superar, só depende de você!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Descobri que minha mãe é prostituta e sempre me sustentou com o dinheiro que ela ganha na vida.

    31.08.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    mae prostituta

    Estou no terceiro ano da faculdade de Direito, nunca conheci o meu pai, sempre fui criado pela minha mãe que faz tudo sozinha e sempre deu tudo que eu quero. Sempre achei que ela era sócia da minha tia em uma papelaria muito conhecida aqui na cidade, achava que ela fazia a parte financeira do negócio e que daí vinha todo o dinheiro dela, pois a loja é realmente muito grande e tem 3 filiais nas redondezas.

    Ocorre que neste final de semana ouvi sem querer uma conversa dela com minha tia e descobri de onde vem o dinheiro.  Na conversa minha mãe dizia que estava muito preocupada pois sabia que não poderia mais fazer programas por muito tempo, dizia que estava cansada e ficando velha. Disse também que estava cansada de manter essa fachada de diretora financeira da loja, sendo que ela só fazia alguns trabalhos de office girl das lojas e que ganhava o grosso da renda dela  sendo puta. Minha tia pelo jeito sempre acobertou tudo isso, pois ouvia tudo com a maior calma do mundo.

    Fiquei ali paralisado sem reação, não sabia o que pensar. Imaginei meus amigos da faculdade sendo atendidos por ela, se mais pessoas ao redor e na vizinhança sabia e se minha mãe não podia ter escolhido outra profissão e teve justamente que se vender para sustentar uma casa.

    Depois deste acontecimento peguei as minhas coisas e fui morar na minha vó, não tive coragem de conversar com minha mãe e ela está em desespero, nunca ficamos longe um do outro e ela não entende porque de repente resolvi morar com minha vó. Minha mãe e minha vó sempre brigaram muito, minha vó não deve aceitar o que minha mãe faz.

    Estou pedindo para minha vó contar quem é meu pais, mas ela não me conta nada, manda eu perguntar para a minha mãe. Queria encontrar meu pai e ficar com ele, não consigo mais ficar perto da minha mãe.

    Estou muito envergonhado, tudo que tenho hoje veio da prostituição, por isso não conheço meu pai que deve ser um dos clientes dela? Perdi o sentido da minha vida, tenho vergonha de contar isso pra qualquer pessoa, minha namorada não sabe de nada e não posso contar para os meus amigos.

    Queria nunca mais ver a minha mãe na frente, sinto ódio dela e de toda essa situação e da vida de fachada que ela leva, pousando de dama da sociedade.

    Por me sentir confuso e sem amigos de confiança resolvi mandar esse e-mail pra você. Por favor me ajuda?

    Caro internauta, 

    Vamos aproveitar toda essa situação para crescer? Encare a realidade como ela é!

    Você acha que fugir para a casa da vovó é uma decisão madura?

    Essa é a vida real e você está muito mais preocupado em saber o que os outros vão pensar de você por ser filho de uma prostituta do que com os sacrifícios que sua mãe deve ter feito para te dar essa boa vida que você tem. Ela escolheu te dar a vida e te amar, poderia ter te abandonado (como o seu pai fez) ou feito um aborto, mas te amou e cuidou de você até aqui.

    Pais não são perfeitos, se o que sua mãe faz é certo ou errado, não cabe a você julgá-la. Pelo visto ela deve ter feito isso também para te sustentar. Não vem ao caso questionar se ela poderia ou não ter escolhido outra profissão, só ela sabe dos próprios motivos e certamente teve razões suficientes para fazer essa opção. Você imagina o que uma mãe enfrenta ao decidir que vai criar um filho sozinha?

    Já que você está tão decepcionado assim, condenando sua mãe por ser prostituta e achando que ela é a pior mulher na face da terra, vamos ver se consegue, a partir de agora, pagar a sua faculdade e se manter sozinho. Já que não consegue aceitar toda a situação, nem ao menos falar com sua mãe, o melhor que você faz é não mais aceitar ser sustentado por ela. Será que você consegue?

    Onde está o seu pai? Quem errou mais nesta história, sua mãe que se prostitui para te sustentar ou seu pai que nem ao menos teve interesse de saber quem você é? E agora ele passou a ser um santo que você quer conhecer e ficar junto? Será que não é hora de se virar sozinho? Por que precisa estar embaixo das azas do pai, da mãe ou da avó?

    Claro que sua mãe poderia ter escolhido outra profissão, estudado e trabalhado em algo diferente, mas ela não fez, deve ter sofrido muito nesta vida, deve ter optado por se prostituir em um momento de solidão e desespero em que não conseguia ver outra opção para se sustentar e sustentar você. Tente se colocar no lugar dela!

    É óbvio que não estou fazendo apologia a prostituição, que é uma profissão difícil, arriscada e que não deveria ser opção para ninguém, mas também não vou julgar os homens e mulheres que fazem essa opção de vida, pois é muito fácil condenar algo quando você teve oportunidades, apoio do pai e da mãe e total equilíbrio psicológico para optar por qualquer profissão socialmente aceita e ser bem sucedido. Acontece que a vida não é boa para todos e nem todos tem equilíbrio e oportunidade para fazer as melhores escolhas.

    Considere perdoar e entender os motivos da sua mãe, conte a ela que sabe de tudo sem pedras nas mãos. Deixe de se preocupar com o que os outros vão pensar de você, até aqui a única que te sustentou e esteve ao seu lado foi sua mãe e é com ela que você tem que se preocupar.

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Estou desempregada a 1 ano e vou ter que abandonar meu filho.

    26.08.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock

    mae

    Isis, chegou a minha vez de pedir seu conselho. Tenho um filho de 4 anos , o pai nunca assumiu e meus pais sempre me ajudaram.

    Tenho 22 anos de idade, perdi o meu trabalho a mais de um ano e não sei mais o que fazer, pois não consigo mais pagar o aluguel de uma casa de dois cômodos que vivemos. Todos os dias deixava ele na creche e trabalhava, acabou o seguro desemprego o dinheiro da minha demissão anterior e se não fosse meus pais, já estaria passando fome.

    Perdi a esperança de arrumar trabalho aqui no Brasil, estou pensando em me mudar para a Austrália, onde tenho uma amiga que pode me ajudar. Não vou conseguir levar meu filho ao menos no começo, pois vou para lá e não vou começar ganhando muito dinheiro e não vou ter ninguém para cuidar do meu filho.

    Penso comigo que tipo de mãe deixa o filho pra tras, o que eu vou fazer se aqui não tem trabalho pra mim? Sempre fui muito esforçada, dedicada e responsável com o meu trabalho.

    Meus pais se prontificaram em ficar com ele até eu me estabelecer, mas fico com a consciência muito pesada e estou muito triste pois não quero me afastar do meu pequeno.

    Me ajuda Ísis, preciso tomar uma decisão rápida.

    Que história triste, sou completamente solidária a sua dor.

    Muitas mães passam por isso e precisam tomar decisões difíceis e ainda enfrentar o julgamento dos outros. Você precisa ser forte e pensar no futuro do seu filho.

    É muito dolorido se afastar dos filhos, mas pense que se você decidir por sair do país é por ele também, sem contar que ele vai ficar com seus pais e não com um estranho qualquer.

    É muito diferente de abrir mão da guarda ou deixar sofrendo na companhia do pai que já é casado com outra. Os avós são as melhores pessoas para ajudar em uma situação assim,  se eles estão se dispondo a te apoiar, considere aproveitar a oportunidade.

    É claro que a situação ideal para as crianças é ter uma família funcional e ficar ao lado do pai e da mãe, mas na prática não é assim que acontece e você não pode ficar se consumindo em culpa. Esqueça o que os outros vão dizer ou achar da sua decisão e pense apenas no seu futuro e do seu filho. 

    Se você já esgotou todas as possibilidades e não vê chances aqui no Brasil, não perca a oportunidade de ir para outro lugar. Quando você se estabilizar por lá, com certeza conseguirá buscar o seu filho.

    Se tomar a decisão de sair do país, tenha certeza que sua amiga é confiável e que você estará em segurança. Investigue com quem sua amiga vive,  com o que trabalha, onde mora? Obtenha o máximo possível de informações sobre o trabalho que irá fazer lá. Procure comprovações da rotina dela nas redes sociais, com amigos em comum e tenha certeza do que ela faz. Infelizmente temos inúmeros casos de tráfico humano, onde várias meninas vão para o exterior enganadas e acabam tendo que se prostituir, tendo que viver em cárcere privado. Se tiver qualquer dúvida quanto a sua segurança, simplesmente desista.

    Quando tiver na Austrália,  fique atenta as oportunidades, dedique-se também a estudar muito, aprender inglês e não só ficar trabalhando.

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    O sexo esfriou, o fogo apagou?! Me ajuda Ísis!

    18.08.16 Postado por Ísis Toth | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock
    sexo ruim

    E-mail F

    Olá Isis! Eu acompanho o mete a anos, e hoje eu vejo em você a possibilidade de um pouco de esclarecimento para o que vem me acontecendo.

    Eu me chamo F, tenho 23 anos e namoro o L., 27, há 3 anos. Como em quase todos os namoros, no começo não podíamos ficar perto um do outro que pegava fogo, sempre tivemos muita química. Acontece que de uns tempos pra cá as coisas estão diferentes, o sexo ainda é ótimo, mas eu já não me sinto tão realizada como antes, sabe quando ainda fica um gosto de “quero mais”? Eu posso idealizar uma noite incrível o dia todo, mas na hora H eu não sinto toda aquela magia… Nós temos alguns problemas quanto a privacidade, eu ainda moro com a minha avó e ele com os pais, então quando estamos juntos precisamos ser muito contidos e ficamos preocupados com o barulho, eu acredito que isso tenha muito a ver com a situação, e ultimamente algumas coisas que ele faz durante o sexo me incomodam, mas são coisas que ele sempre fez e nunca me incomodaram. Eu não tive um relacionamento sério antes, ele é o primeiro, tenho a ideia de que com o passar do tempo a relação acabe dando uma esfriada, e também sei que o fogo do começo não pode ser parâmetro de comparação, mas eu sinto que pode ser melhor. Eu tenho receio de falar com ele e acabar ferindo o seu “ego masculino”, tenho medo de que ele pense que não está conseguindo me satisfazer quando eu acho que o problema é comigo. Ah, e apenas para observar, nós temos um relacionamento maravilhoso, nos damos super bem e somos muito felizes juntos, fazemos planos para o futuro e eu me sinto realizada com ele em todos os demais aspectos. Isis, me ajuda?

    Abraço, F

    Email Ísis

    Olá Fernanda, 

    Recebi seu e-mail, você poderia detalhar um pouco mais o que exatamente ele está fazendo durante o sexo que está te incomodando?

    Email F

    Olá Isis,

    Coisas bobas, como por exemplo falar durante o sexo… Eu gosto que ele fale de vez em quando, mas o quanto ele fala tem me incomodado ultimamente, quando ele fala “goza pra mim” eu me sinto um pouco pressionada, entende? Ás vezes eu me incomodo porque ele parece escolher as posições que mais vão fazer barulho, e eu fico preocupada com o fato de alguém poder ouvir. Ele tem um costume de coçar um dos olhos, e quando ele faz isso durante o sexo eu me incomodo por pensar que ele não está totalmente entregue a ponto de esquecer de fazer isso. São coisas que ao meu ver são bem bobas pra eu me incomodar, então acredito que o problema seja comigo.

     

    Além de considerar que com o tempo o sexo, não necessariamente esfria, mas as necessidades mudam, considere que existe fases de altos e baixos nos relacionamentos.

    Você não está errada em ter tato para falar com seu namorado, pois se o ego masculino for ferido com algo tão delicada de se dizer é provável que as coisas piorem ainda mais e passem a interferir no ótimo relacionamento que você relata ter. Tenha jogo de cintura! Use o não dito para se comunicar, vou detalhar abaixo.

    Lendo seu e-mail tive a impressão que o sexo de vocês caiu na rotina e deve estar chato para ele também, parece que vocês sempre transam correndo o risco que alguém ouça. Será que não é por isso que ele pede para você gozar? Assim acaba logo e vocês podem relaxar quanto ao risco de serem pegos no flagra?

    Por que vocês precisam, necessariamente, transar na casa dos pais dele ou na casa da sua avó? Faça algo diferente, proponha uma ida ao motel ou uma viagem! Se a grana tiver curta, faça qualquer coisa diferente e fora do espaço usual. Dê uma chacoalhada no sexo, se você consegue reparar que ele está coçando o olho é porque a coisa está ruim mesmo, se tivesse boa, você estaria concentrada somente no prazer e nem veria o que, na verdade, pode ser uma mania boba, mas também pode ser que ele esteja tão entediado quanto você. E isso não é culpa de nenhum dos dois, é apenas uma fase simples de ser ultrapassada.

    Ter que colocar o travesseiro na cara na hora do orgasmo não é nada excitante e, com certeza, está contribuindo para que você sinta que o tesão está acabando. Você pode fazer muita coisa para  deixar o sexo mais apimentado, use sua criatividade, leia livros a respeito ou faça uma simples pesquisa no Google.

    Se a relação de vocês é ótima e vocês pensam em um futuro juntos, não deixe que coisas assim estraguem a sua felicidade.

    O friozinho na barriga e a euforia do início do relacionamento não vai durar para sempre, mas isso não quer dizer que você tenha que se satisfazer com sexo morno. Sexo é vida e tem que ser bom, não se acomode com o mais ou menos!

    Boa sorte!

    perfil isis 2

    Não temos compromisso teórico com qualquer abordagem psicanalítica ou corrente terapêutica. Não fazemos análise ou praticamos qualquer método de tratamento através das sugestões e opiniões aqui postadas. É de responsabilidade de cada internauta procurar ajuda profissional  para si e seus familiares e não cabe ao colaborador deste blog traçar perfis psicológicos ou dar quaisquer diagnósticos através das opiniões aqui expostas.

    Meu ex quer me colocar na geladeira, eu aceito?

    16.08.16 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta
    imagem Shutterstock
    shutterstock_424414786

    Boa noite, tudo bem? Vou me identificar como Carol. Eu namorava o Rafa já faziam 6 anos e meio, fomos um o primeiro namorado (a) do outro  (eu tinha 14 e ele 16), perdemos a virgindade juntos. O meu medo era que isso um dia fosse uma pedra em nosso caminho: o fato de namorar desde cedo, não ter vivido nada. No começo de abril terminamos e acabamos voltando em maio. Depois desse primeiro término ele começou a sair mais, ia em churrascos, chegava a vir me ver domingo a noite. E eu comecei a ficar incomodada com isso, não ligava dele sair com amigos, mas aonde tinha mulher realmente me deixava com raiva… Ele estava dando mais atenção aos amigos do que pra namorada,pra mim ele tinha que saber a aprender a dividir.

    Acabamos brigando num domingo pq não acreditei nele, pq tentei procurar alguns vestígios de traições em rede sociais e ele ficou bravo. Terminamos. 2 semanas depois minha bisa faleceu, ele foi no velório/enterro e aí acabamos se vendo pessoalmente. Quando fomos conversar, ele me disse que precisava de um tempo, que queria ser meu amigo, que não aguentava de saudades, me amava, mas queria esse tempo. Achava que precisava curtir um pouco a vida,  tanto eu, como ele. Aí me propôs continuar se vendo, normal, mas sem namorar, isso pq ele não conseguia ficar longe de mim. Na hora eu não respondi nada, 4 dias depois eu mandei no whats que não queria nem ter amizade, ele pegou e falou que não sabia que me amava tanto,  que todas as músicas que escutava lembrava de mim, que ele ainda tinha esperança na gente, mas que precisava desse tempo. Terminei a conversa dizendo que ele não tinha que ter esperanças,  que era pra sempre… Pq na minha opinião quem ama não consegue ver a outra pessoa curtindo a vida numa boa. Parei de responder ele. Aí apaguei nossas fotos do insta, ele foi lá e apagou todas tb e deixou de me seguir. Colocou solteiro no face (eu já tinha colocado) e até o número de celular dele ficou público. 

    Eu sai, fui pra balada, estou vivendo a minha vida. Mas morro de saudade dele. Porém,  eu fico pensando que se voltar, talvez seja até pior,  pq tem meninas curtindo foto dele que eu não suporto,  qe eu sei que eram loucas pra ficar com ele.  Ele está viajando a trabalho já fazem duas semanas… Mas não se falamos mais. Eu tenho medo dele querer viver tudo e depois vir atrás de mim. O que eu faço?  Amo tanto ele. Fico perdida. E se ele pedir pra voltar?  Estou arrasada… Tento viver mas no fundo dói tanto, pq nós crescemos juntos, conquistamos várias coisas, sempre com uma parceria tão boa. O meu grande medo era isso de curtir a vida, pq até então,  ele tem um primo q leva ele pra esse caminho, tanto é que, ele já saiu escondido umas 3 vezes, indo para balada com ele… E eu perdoei.  Me sinto burra por ter perdoado isso, mas é que a parceria, cumplicidade entre a gente era tão boa, que eu smp queria q ele mudasse… Ele não me ama mais? O q vcs acham?

    Obrigada!

    Ô, Carol... Fica assim não. No fundo, você sabia que essa situação aconteceria e, infelizmente, esse dia chegou.

    É supernatural que algumas pessoas sintam necessidade de aproveitar mais a vida antes de se comprometerem em um relacionamento sério. E não as julgo. Não existe "o certo" e "o errado", o que existem são pessoas inseguras que optam por abrir mão de um relacionamento estável em troca de aventuras incertas.

    Eu já estive no time dos inseguros e preferi abrir mão de um relacionamento por novas aventuras. E, sinceramente, não me arrependo, pois precisava disso naquele momento e sei que não me sentiria realizada se não o tivesse feito.

    Algumas coisas acontecem na vida da gente para mudarem completamente o rumo de tudo. É triste dizer isso, mas acho que no seu caso não tem mais volta (pelo menos não em um futuro próximo).

    Depois que se perde a confiança, fica difícil recuperar a relação. Imagine o seu tormento ao ter seu ex-namorado de volta: você não saberia lidar com os acontecimentos recentes e viveria angustiada, neurótica e ciumenta. A cada passo, seria uma nova briga.

    Eu sugiro que mantenha-se firme em sua postura e aguente. Tenha fé de que tudo vai passar, e que um dia ainda se sentirá aliviada por não ter cedido aos impulsos do coração cego de amor.

    Tente manter sua mente ocupada com novas atividades e amizades.

    CINCO COISAS QUE OS HOMENS NÃO REPARAM DURANTE O SEXO

    16.08.16 Postado por Neguinha | Categoria: Dicas

    Descubra coisas que sempre te incomodaram, mas que na verdade eles nunca repararam

    Mulheres e suas neuras; sejam elas ligadas ao peso, aparência ou homens. Quem nunca deixou de aproveitar uma super noite de sexo com aquele boy magia por alguma neura?

    Se liga em coisas que nos incomodam, mas que na realidade, os homens não reparam durante o sexo. Viva mais livre e feliz:

    1)Estrias e celulites

    Estrias e celulites são o pesadelo para qualquer mulher, e o que poucas já se tocaram, é que além de ser a coisa mais normal do mundo, o boy não vai parar o sexo para reparar se você tem celulite na bunda ou estrias no peito. Por favor, né?

    2)Depilação impecável

    Quantas mulheres já não deixaram de sair com o boy magia por não estar com a depilação muito em dia? Fica a dica que homens não reparam muito nesse quesito, quer dizer, a não ser que você esteja com uma floresta negra de pelos, caso contrário, não se preocupe e vá fundo – risos.

    3)Cabelo e maquiagem

    Você realmente acha que o boy vai se importar se a raiz do seu cabelo estiver crescida, se sua unha está descascada ou se sua maquiagem está impecável? Se liga e desapegue; ninguém aqui é artista de Hollywood para ter que estar muito produzida o tempo todo.

    continue lendo

    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade
    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade