Mete a Colher - Clique e veja essa Metida de Colher

    Traição entre famosos – A humilhação em público

    24.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Colheradas do Dia, Post Dela

    É gente… ser traído é chato de qualquer maneira, seja a pessoa famosa ou anônima, não é mesmo?! No meu ponto de vista, um pouco pior nos casos dos famosos, além do sofrimento com o fim do relacionamento e os sonhos despedaçados, há um componente mais cruel ainda incorporado ao fato: a humilhação pública! Irracionalmente, o traído vira motivo de chacotas, como se fosse dele a “culpa” pelo acontecido, seja homem ou mulher.

    No caso daquele que trai, muda um pouco o tratamento. Os homens ainda saem por cima, como se estivessem “mandando bem”. Fico feliz em constatar que a cada dia mais, este olhar vem diminuindo muito. Nos casos mais recentes, a opinião pública ficou contra os puladores de cerca. Ninguém teve coragem de defendê-los, pelo menos nas publicações e comentários online.

    1

    O caso mais recente aconteceu com a dupla de humoristas Marcelo Adnet e Dani Calabresa. Todo mundo viu o beijão que o ator – cujo trabalho vem recebendo ótimas críticas em Tá no ar, na Globo – deu em uma loura desconhecida, no meio da rua. Sua imagem chegou a ficar abalada com o acontecido, mas o casal deu a volta por cima e continua junto – uma salva de palmas para Calabresa, pois não sei se seria suficientemente evoluída para perdoar tamanha exposição!

    Outro caso, bem mais antigo, talvez quem é mais novo nem saiba, foi a traição de Luana Piovani em seu namorado, na época, Rodrigo Santoro, alguém aí se lembra?! A loura foi pular carnaval em Salvador e…. Sabe como é? Rodrigo superou, foi pra Hollywood e em breve será visto como Jesus, na refilmagem de Ben-Hur. Luana espera um par de gêmeos com o surfista Pedro Scooby.

    1

    Lá fora, também não faltam casos entre famosos. O casal que protagonizou a franquia Crepúsculo, Robert Pattinson e Kristen Stewart, se separou de maneira ruidosa, depois que fotos da atriz com o diretor do filme que protagonizava, Branca de Neve e o caçador, surgiram. O diretor se separou da esposa. E os vampirinhos deram Bye Bye ao relacionamento.

    1

    Não faltam exemplos, Angelina Jolie e Brad Pitt (Jennifer Aniston), Jude Law e a babá de seus filhos (como trocou a Sienna Miller???), o golfista Tiger Woods e suas 300 amantes e etc. O importante é saber lidar com o problema e não se esconder. Seguir em frente.

    Eu mesma já fui traída em público por um ex namoradinho, durante uma festa onde todos amigos estavam presentes… e como o ditado diz, o corno é sempre o último a saber! Mas ao invés de aceitar o papel de “palhaça humilhada”, fiz questão de deixar bem claro para todos – já que havia se tronado público o fato – que na verdade quem saiu perdendo foi ele! E você? Já sofreu alguma traição pública, seja na empresa, na região onde mora ou em uma festa com todos amigos… conta pra gente sua experiência!

     

    Não sei se devo reprimir minhas vontades ou virar um cafajeste de vez…

    24.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Bom dia casal, acho que vocês podem ajudar!

    Tentando resumir minha história… Sou homem, tenho 25 anos e sempre fui muito “quietinho”. Nunca fui de sair e pegar todas, e isso se deve muito ao fato de eu ser tímido. Namorei uma moça por 6 anos, e me senti muito preso. Após terminarmos, eu pensei de sair e pegar quantas pudesse, embora sempre tenha gostado de companheirismo, romance, paixão. Além disso, mais uma vez a timidez aparecia pra me assombrar, tanto é que fiquei apenas com uma garota nesse período de solteiro (e foi ótimo transar sem compromisso!). Até que recentemente comecei a namorar uma moça ótima, uma pessoa excelente, íntegra, que apagou todos os traumas que a ex deixou… Consegui me apaixonar novamente!

    O sexo sempre foi perfeito, a cabeça dela é bem aberta. Mas ultimamente sinto vontade de ir pra farra e ficar com várias! Também me interessei por uma mulher bem resolvida, que mexeu com o meu tesão, não paro de pensar nela… Mas o sentimento é única e exclusivamente de desejo.

    Confesso que sempre tive vontade de fazer o máximo de sacanagem que pudesse, mas também sempre fui travado por ser tímido. Penso que devia ter feito isso tudo na adolescência, e talvez a época tenha passado… Mas não consigo suprimir totalmente meu desejo.

    Por favor casal, o que acham? Dá pra conciliar desejo e paixão assim? Será que eu devo largar tudo, deixar de ser tímido e ir pra farra, ou devo suprimir esse desejo todo e me contentar que sou homem de uma mulher só?

    PS: Eu não quero trair minha namorada, ela não merece… Então, se puderem ajudar… Mesmo que não vá pro site, gostaria de um help rsrs.

    Abraços, continuem mandando bem com o site! Vocês são show!!

    Olha só amiguinho... fiquei um pouco em dúvida de que sugestão lhe dar, pois como é muito tímido... fiquei pensando que talvez se eu te falasse pra deixar o seu namoro na geladeira por um tempinho e aproveitar a fase solteiro, você provavelmente continuaria com sua timidez e não sairia pegando geral como gostaria, ou seja, ficaria na mesma!

    Pensando nessa possibilidade, que me parece ser a mais provável... eu te aconselho a se dedicar ao seu namoro, já que a mulher com quem está no momento é apaixonante, te fez esquecer o passado e você não deseja sacanear ela. Pra não ficar sofrendo muito com "as tentações", evite as situações onde essas tentações costumam surgir. Por exemplo, se a tal mulher te deixa repleto de pensamentos pecaminosos... evite contato com ela e seja feliz com essa escolha! Simples assim... tenha confiança, logo, logo isso vai passar!

    Não adianta ficar resmungando por algo que não faz parte da sua personalidade, você não é um cafajeste... seja feliz com a realidade e não crie expectativas irreais, ok?

    O Prazer Oral, a Orgia Alimentar e a Cultura Plus Size. Você tem fome de que? – pt 1

    23.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Dicas, Ísis Toth, Saúde

    1

    Já pensaram na fonte de prazer infinita que é a boca? Desde o sugar o seio da mãe, depois a chupeta e o dedo, o peito da namorada, a língua do outro, a boca do outro, o dedão do pé do outro, entre outras coisas. É tanta boca com boca, boca naquilo, aquilo na boca.

    Com a boca comemos demais e pela boca morremos. Comemos porque estamos alegres e quando estamos tristes, quando estamos ansiosos e com raiva, para comemorar, para afogar as mágoas, quando estamos carentes e quando estamos amando. Quantas vezes comemos quando realmente estamos com fome? Estou falando da fome fisiológica, não da emocional. Que vazio é esse que queremos preencher com comida?

    Você tem fome de que?

    Mulher sofre de síndrome que a faz comer doces durante o sexo

    Percebendo nossa fixação oral e carência emocional, a indústria apelou para produção de alimentos cada vez mais saborosos e menos nutritivos, inventou o fast food, o carboidrato refinado, o refrigerante, os doces artificiais, o sorvete, entre outras tantas porcarias. Uma verdadeira orgia alimentar! E a praça de alimentação dos shoppings? A Sodoma e Gomorra gastronômica, onde podemos cometer o pecado da gula, sem nenhum pudor. O lugar onde se come, se enche, se explode e se mergulha nas emoções, nas dores e frustrações daquilo que nos falta e não conseguimos verbalizar, então mandamos comida pra dentro.

    Após encher bem a barriga dos desavisados a indústria do consumismo sem limites agora descobriu que está faltando pano nas roupas e com isso nasce a moda plus size. E a obesidade que deveria ser uma condição temporária passa a ser estilo de vida?

    E muitos vão dizer, mas os magros também ficam doentes e morrem, são infelizes no amor, tem AVC, colesterol alto e hipertensão. Sim mas, não fiz esse post pra falar de magro, quer falar de magro e seus problemas, faça um post pra você. Eu quero falar de gordo, quero entender que fenômeno plus size é esse que está acontecendo na sociedade e suas reais consequências.

    Esse post não é para falar de beleza ou feiura de ninguém e muito menos atacar quem decidiu ser obeso e se sente feliz.  Se você me disser que é obeso, bem amado, transa muito, se acha lindo e tem o colesterol  e glicose normais, que bom pra você, mas esse post é para os obesos infelizes, hipertensos, hostilizados e deprimidos, que sentem na pele todos os dias a discriminação e a crueldade alheia. Esse post é também para aqueles que tem medo de morrer e já perderam mãe, pai, filhos e amigos por conta da obesidade e das doenças provocadas por ela. Oi!! Tem alguém ai?

    1

    Existe uma quantidade grande de pessoas se aceitando, se amando e vivendo feliz, mas até quando? Acredito que o número maior é de obesos infelizes. Quantas vagas de emprego perdidas, talentos desperdiçados, amores indo pelo ralo, rejeições e emoções mal resolvidas. Vamos assumir o papel de vítima e culpar a sociedade cruel por tudo isso? Nós causamos tudo isso! Muitas vezes, após tantas rejeições e perdas, ficamos inseguros demais, nos isolamos agredimos pessoas e o que é pior agredimos a nós mesmos, pois não queremos nos olhar. Não queremos ver nossa imagem no espelho e não queremos também olhar para nossos problemas emocionais.

    A obesidade mata, abre a porta para inúmeras outras doenças que também matam e é uma questão de saúde pública. A indústria alimentícia é sim co-responsável por tudo isso, mas ninguém nos obrigou a comer.  Caímos no conto encantando do fast food e agora vamos cair no conto do fantástico mundo plus size, onde ser gordinho gostoso é cool, tá na moda e é saudável? Tudo menos assumir a responsabilidade pelos próprios atos e buscar ajuda real para a solução do nosso mortífero excesso de peso e da nossa excessiva fome emocional.

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) considerou a obesidade como uma doença epidêmica global do século 21 e em recente estudo divulgou que a obesidade mata 2,8 milhões de pessoas por ano. Imagine esse número nas alturas se contabilizássemos as mortes ocasionadas pelas doenças provocadas pela obesidade, como diabetes, hipertensão, câncer. Pesquisas recentes também apontam o aumento da obesidade entre os brasileiros, na última quarta-feira dia 15 o ministério da saúde divulgou uma pesquisa dizendo que 52,5% dos brasileiros estão acima do peso, sendo 17,9% de obesos.

    Capturar

    Então quando você, seguindo a multidão, hostiliza quem pensa diferente e diz: Vou ser gordo mesmo, e daí? Você está fazendo isso por escolha e convicção ou porque está acomodado e aceitando ser manipulado por um mercado que já se deu conta da tendência do gráfico acima e vai te oferecer cada vez mais incentivo para consumir?

    Ísis-Toth

    Projeto quarto de casal – cabeceira

    20.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Decoração

    Olá meus amores! Como estou em uma fase meio “decoradora”, gostaria de compartilhar com vocês algumas sugestões de cabeceira para o quarto do casal e é claro, pedir a participação de vocês nesse novo projeto com opiniões e sugestões do que eu deveria fazer com o nosso quarto.

    1

    Dessa vez gostaria de colocar a mão na massa e se der certo… ensinar o passo a passo em vídeo, o que vocês acham? Vamos fazer esse projeto juntos?

    Bom pra começar, vocês precisam saber em que estado o quarto se encontra, então abaixo poderão visualizar melhor pra me ajudarem…

    Quem lembra do “Snif Snif” aí?!

    Essa é a nossa cama, modelo simples de cama box e com a colcha bem colorida… que na verdade não faço mais tanta questão pois já está meio destruída, então não se apeguem as cores dela, ok?

    Herdamos vários móveis da minha avó, um deles é essa mesinha de um pé só, que coloquei como criado-mudo e um par de abajur de prata (abaixo/esquerda), esse da foto… agora preciso de duas cúpulas que combinem, inclusive se alguém souber como reformar aquela outra cúpula colorida… me avise nos comentários, tá?!

    1

    Essa penteadeira é da década de 50 mais um herdado da minha avó, a princípio havia pensado em pintar ela de uma cor bem vibrante… mas acabei desistindo, pois passei a gostar muito da pintura original dela. Junto com a cabeceira, elas poderiam ser os pontos fortes do quarto.

    Inclusive existe a cama (abaixo) e criados mudos (acima/direita) da mesma linha, mas infelizmente a cabeceira é pequena para o tamanho da minha cama e achei que ficaria “over” combinar os criados-mudos, então abri mão deles. Olha ela aí…

    1

    Pois bem.. como eu havia mencionado no início do post, minha intenção é começar pela cabeceira e com um projeto DIY, algo barato e fácil de fazer. Sem saber por onde começar, pesquisei algumas imagens e gostaria de saber qual desses projetos vocês acham que combinaria mais, qual gostariam de aprender comigo e conferir depois de pronto!

     

     

    E aí meus amores? Qual projeto vocês acham que vale a pena colocar a mão na massa?

     

    Eu voto na cabeceira número...

    Loading ... Loading ...

    Eu ficava implicando com as pornografias no whatsapp do meu marido… agora é ele quem reclama dos vídeos que assisto!

    20.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Olá,

    olhando o celular do meu marido vi que ele via pornô, fiquei chateada, me perguntando se ele não estava satisfeito comigo e ele dizia que não tinha nada haver, ficamos numa boa… Mas ainda dava uma estressada quando via o álbum de fotos dele e só tinha fotos de mulheres peladas que vazavam na cidade, e vídeos (juro que pra achar uma foto minha e dos nossos filhos foi difícil), pô, quer ver, ok, mas isso achei sacanagem, ele alegou que não via pois o celular dele baixava automático (o que não acreditei, pois se fosse ao contrario eu veria sim) mas em mundo de WhatsApp é o que temos, relevei.

    Depois de um tempo tive curiosidade de ficar assistindo, pois já tinha visto, mas ficava com um certo machismo em relação a mulher ver pornô e fechava. Gostei e depois de um tempo ele acabou vendo que eu assistia e ficou puto comigo, deu piti, achou coisa de outro mundo e alegou que eu não me satisfazia com ele para estar assistindo isso. Me fez prometer que não veria e etc.
    E ai, qual o ponto de vista de vocês… Esse negócio de não se satisfazer com o outro tem haver pra eles quando assistem? Pois aceitei a justificativa dele e quando assisti ele veio com a mesmo motivo de chateação que eu dei. Foi loucura como ele mesmo disse em se ficar chateada com o álbum dele cheio de fotos e vídeos?
    Beijos

    kkkkkkkkkkkkk Morri de rir com seu email amiga! É engraçado ver as reviravoltas que a vida dá, né?! Enquanto a preocupação era sua, ele dizia não fazer sentido... agora coloca a situação na mesma moeda, ferrou!

    Se pra ele o problema é o celular baixar automaticamente, manda ele alterar as configurações, é simples... mas eu vou te dizer uma coisa, se fosse você nem ligaria. Faça como eu, ignore o celular dele... é a melhor coisa que a gente faz. Na minha opinião, sei que não tem nada a ver esse lance de consumir pornografia com a satisfação no relacionamento pessoal, mas.... ter essa consciência não nos impede de sentir aquela pitadinha de ciumes e insegurança, não é mesmo? Sendo assim, evito ao máximo de ficar de butuca no aparelho do Môre, pois sei que no fundo vou me frustrar por algo idiota.

    Quanto a você consumir a pornografia... de boa! Também não significa nada além de vontade de ver uma sacanagem. Me responde uma coisa... você assiste alguns vídeos porque sente que seu relacionamento deixa a desejar? Por que seu marido não tá dando conta do recado? Imagino que não, né? Assiste por que é gostoso ou simplesmente por curiosidade... então com seu marido é a mesma coisa! Viu agora como a situação é boba? Viu com brigar por conta disso é pequeno?

    Pra colocar logo os pingos nos "is", chame seu marido para uma conversa e mostre esse email para ele... conversem sobre o assunto com clareza e calma, quem sabe a partir dessa conversa vocês não começam a curtir um pornozinho juntos, né?!

    Saudades de minhas putas alegres

    17.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Vitor Lima

    1

    Morei sozinho algum tempo. Graças a isso, reavivei prazerosos hábitos solitários que havia abandonado há muito. Mas não falo daqueles condenados pela Santa Igreja. São outros que só se percebe o quanto nos faz bem quando estamos sozinhos, como o hábito de ler, de escrever, de ouvir música ou mesmo cozinhar. Este último há muito não praticava e já nem sabia mais como fritar “unszovos”.

    Outros se mostram mais e mais prazerosos a cada vez que se praticam. A leitura é um deles. Li García Marquez esses dias e suas “Memórias de Minhas Putas Tristes”, que retrata o vigor de um amor adolescente aos 90 anos. Fantástico e emocionante como só ele o é, me fez ansiar amar daquele jeito, mesmo que aos sessenta ou setenta, embora deseje muito me tornar um nonagenário tão apaixonante quanto seu personagem ou um centenário tão jovial quanto a falecida Dercy Gonçalves.

    Gosto dos escritores latinos, como Vargas Llosa e o próprio García Marquez, pois expurgam dos seus textos a hipocrisia literária e não se furtam em grafar um “puta” sem tornar seus escritos chulos ou apelativos.

    O que me inspirou a escrever esse texto não foi a história de amor do velho jornalista pela adolescente Delgadina, mas o próprio título do livro: “Memórias de Minhas Putas Tristes”. Ao terminar a leitura fiquei imaginando as minhas putas, as tantas “mulheres de vida fácil” que passaram pela minha vida. Da reflexão veio a constatação: as minhas putas eram alegres, muito alegres, e o pior – ou o melhor: sinto saudade de minhas alegres putas.

    Não nego a ninguém que tive uma juventude em que visitava com relativa frequência ambientes nada politicamente corretos. Deixando a hipocrisia de lado, andei muito nos puteiros da minha cidade.

    Meus amigos se divertem quando conto como perdi minha virgindade aos quatorze anos em um puteiro. Acho que vale a pena retratar aqui para mostrar o quão alegre eram minhas putas.

    Aos pudicos de plantão, peço que abandonem aqui a leitura. Não porque vá retratar pormenores de alcova de submundo, mas porque verão confissões de um homem de meia idade, pai de três filhos que não se furta em confessar que conheceu com relativa intimidade o lado da sociedade que a cidade rejeita.

    O nome dela era Fátima. Não tinha mais do que dezessete anos, e eu, com falei acima, apenas catorze, quinze talvez, não lembro bem. Fui levado ao afamado “Papoco” (como era conhecido o principal puteiro da cidade) pelos amigos de trabalho. Comecei minha vida profissional muito cedo, mas não no oficio atual. Trabalhava em uma loja de eletrodomésticos e os amigos insistiram que eu deveria me “tornar homem” de qualquer jeito. Me levaram ao “baixo meretrício” e falaram da minha condição de virgem ao dono de uns dos donos de botequins do lugar. Aos berros ele a chamou: Fátima! Ei, Fátima! Vem cá! Prontamente chegou aquela menina serelepe, saltitando como e estivesse pulando a amarelinha com as amiguinhas da rua. Bom, o que veio a seguir, prefiro deixar para contar em outra oportunidade.

    Fátima era alegre e jovial como todas as meninas aos dezessete. Não sei se era feliz ou se sua alegria permaneceu durante a vida que escolheu, mas o que ela irradiava me fazia feliz, pelo menos naquelas visitas que lhe fazia. Me tornei frequentador assíduo do puteiro e de tantos outros da cidade.

    As putas que conheci no Papoco e em outros bordéis da cidade eram mulheres diferentes das prostitutas ou das modernas garotas de programa. Eram putas mesmo, por opção, paixão ou situação. Não se envergonhavam disso e não lhes faltava alegria no rosto sofrido, mesmo que a tristeza da vida longe dos puteiros vez por outra lhes apertasse o peito. Gargalhavam sem se envergonhar dos dentes, ou a ausência deles. O riso era autêntico e funcionava como um incentivo ao cliente a pagar mais uma rodada de cerveja ou de aguardente barato.

    Aliás, é bom que se diga que foi nos puteiros que descobri os prazeres de dois hábitos que há algum tempo abandonei – o de fumar e o de apreciar uma boa cachaça. O fumo não era um hábito que gostava de cultivar, mas a cachaça, essa sim, abandonei a contragosto, pois me tornei hipertenso e, nesse caso, optei por continuar por aqui.

    Voltando às putas, não posso deixar de citar o quanto o ambiente frequentado por elas era animado. Música alta, boleros na maioria dos casos, penumbra e o peculiar desapego ao dinheiro que surge nos homens quando estão diante do sexo oposto e buscando o sexo que o oposto lhe pode dar.

    A verdade que é que, na minha juventude, puta era puta e puta que se prezava era alegre. O voluptuoso hábito de conviver com putas já não tenho há muito tempo. Sobraram as boas lembranças do tempo em que putas, alegres ou tristes, só se encontravam no puteiro. Tempos bons, ah, isso era.

    tião-vitor

    Ela dizia que eu era o homem da vida dela… e agora me obrigou a escolher por meus amigos!

    16.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    Seguinte, namorei com (o que pensava ser a mulher da minha vida) fui apaixonado por ela desde os 15 anos. Na escola, nunca a esqueci, depois de 10 anos, nos encontramos e depois de um ótimos primeiros encontros namoramos, depois de quase 2 anos juntos e me dedicando muito a ela, sempre fui melhor homem e namorado possível. Não sou lindo, nem rico…mas sou carinhoso fiel e modéstia parte… um namorado que qualquer mulher gostaria de ter no sentido de amante e companheiro.

    Depois de 2 anos de namoro, certo dia recebi uma mensagem de celular onde ela me colocava contra a parede, pedindo que eu escolhesse entre um futuro com ela (casa e família dentro dos próximos três anos) ou meus amigos, onde sou líder de um grupo de lutas! Mesmo ela fazendo parte desse grupo e sendo amiga de todos também… ela alegou que são todos falsos e que o que eu fazia não valia de nada! 

    Sempre disse à ela que gostaria de me casar e formar nossa família, mas que era preciso ela ter um pouco de paciência e que não seria justo que eu me afastasse desse projeto com os amigos, pois é algo que me ajuda a evoluir na vida pessoal e como homem… Não aceitando minha decisão de me manter fiel à um projeto pessoal, hoje fazem cinco meses que terminamos depois de muitas brigas e xingamentos por parte dela… esse foi um momento muito triste de minha vida, pois como se não bastasse, perdi o emprego e um grande amigo de infância… foram muitos perdas ao mesmo tempo, fiquei arrasado!

    Eu queria saber, de acordo com a experiência de vocês,  o que faz uma mulher que diz por 2 anos, que você é o homem da vida dela e que nunca encontrou ninguém como você e te ama muito, do nada por celular terminar com você com uma justificativa dessas?! 

    Devo encarar isso como normal, que ela simplesmente não foi sincera e não me amava mesmo ou que ela é uma filha da puta egoísta e falsa… ou que eu errei em algum ponto?

    Obrigada pela ajuda…

    Não acho que foi canalhice planejada por parte de sua namorada, no meu ponto de vista... foi real enquanto durou. Só que infelizmente, em algum momento ela deve ter perdido o interesse em você e não sabia como dizer isso. E foi justamente no seu "amor maior", que são seus amigos e grupo... que ela decidiu "te atacar". No fundo, acho que ela já sabia o absurdo que estava exigindo e tinha consciência plena de que você não abriria mão. Assim ela iria se poupar de ter a dignidade de lhe dizer que não o amava mais como antes, ela foi covarde... só isso.

    Ehh meu colega, sinto sua dor através das palavras, como é triste o fim... mas vida continua e nesse momento você deve focar nas oportunidades que virão. Realmente não é fácil, são muitas perdas ao mesmo tempo... mas muitas portas começarão a ser abertas para seu futuro e você precisa ficar atento aos sinais que a vida lhe dá e agarrar cada chance dada.

     

    Socorro!!! Minha filha de dois anos de idade se masturba!?

    16.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: Ísis Toth, Pais e Filhos

    2

    Sim, sua filha de dois anos de idade se masturba (como qualquer criança em todas as faixas etárias – sendo menina ou menino) pode usar objetos para isso e também ter orgasmos, tão bons ou melhores que os seus. Essa foi minha resposta para uma mãe desesperada que me trouxe essa situação com os olhos arregalados, como se tivesse presenciado um dragão de sete cabeças saindo do centro da terra.

    A partir do momento que adquirem o mínimo domínio motor, o fato é que todas as crianças vão explorar o pintinho, a piriquita o ânus e adjacências, vão descobrir que é gostoso e vão adotar a prática com muita naturalidade. Naturalidade tal que alguns pais deveriam ter ao presenciar a cena, mas não tem. Agem como verdadeiros idiotas, envergonhando e expondo a criança, ridicularizando a situação e muitas vezes até reprimindo-a de forma violenta, seja física ou verbalmente. Achar bonitinho e incentivar tal prática, ou fazer um jantar em  família para anunciar o feito é tão prejudicial quanto a repressão violenta, portanto, bom senso é a melhor receita.

    1

    A verdade é que apesar de todo  acesso à informação que temos hoje, ainda existem alguns assuntos encarados como tabu em pleno século XXI e a sexualidade infantil é um deles. A mais de 100 anos atrás, Freud cantou a bola, dizendo que as crianças tinham sexualidade e que exploravam suas zonas erógenas. Nem imagino o rebu que foi na época, considerando que ainda hoje esse assunto é visto com escarnio.

    O que preocupa em tudo isso é que o despreparo dos pais (não só no que diz respeito a sexualidade, mas a todos os aspectos da educação infantil) pode contribuir para criar crianças, adolescentes e adultos com sérios distúrbios na vida sexual e problemas no convívio social. Exemplos de distúrbios: falta de orgasmo, ejaculação precoce, impotência, compulsão por sexo e falta de desejo sexual. Acharam pouco? Então lá vai mais: escatologia, necrofilia, pedofilia, zoofilia, coprofilia, clismafilia e urofilia, entre outros. Falando dos problemas no convívio social, podemos citar agressividade/violência, sociopatia, predisposição ao crime sem contar a depressão.

    Agora, muita atenção leitores fetichistas, adeptos do SM e BDSM e similares! Qualquer prática que envolva, fetiches, exibicionismo, frotteurismo, masoquismo, sadismo e voyeurismo, que não ocorram com consentimento mútuo entre o casal, que ameacem a integridade física e psíquica do outro ou que firam as regras de convivência em sociedade, também são considerados distúrbios sexuais. Vou mais longe, para a Psicanálise, muitas destas práticas, mesmo com consentimento mútuo, são consideradas perversão e muitas tem origem em traumas ocorridos até os sete anos de idade. Tinha que registrar isso, mesmo tendo minhas reservas quanto a essa teoria, pois a coisa é tão ampla que fica difícil julgar o certo e o errado, mesmo porque não estou aqui pra isso. E vocês vão perguntar, o que minha vida sexual tem a ver com meus filhos? Resposta: Você é o modelo, o exemplo e espelho que as crianças vão capitar de forma consciente e inconsciente.

    E vocês vão responder: – mas não prático tais atos na frente das crianças!? Dãã…era só o que faltava, né? É bom que nem usem o mesmo ambiente de convívio, mesmo estando elas ausentes. Procurem um motel, uma casa de swing, aluguem um sítio no Pantanal, mas poupem seus filhos do contato com tantos feromônios e informações que serão capitadas inconscientemente. Confundi tudo né? Boa oportunidade para aprender a respeito do inconsciente, o tempo que você gasta mandando whats app de putaria para os outros, vá pesquisar assuntos que realmente interessam.

    (mais…)

    Tenho 19 anos e meu namorado 30, eu o amo muito… mas não paro de desejar liberdade!

    15.04.15 Postado por Neguinha | Categoria: E-mail do internauta

    1

    Olá! Eu tenho 19 anos e estou num relacionamento sério com um homem de 30 há quase um ano. Nós nos conhecemos na faculdade, estudamos na mesma sala e sempre fomos amigos ate começarmos a namorar. Nós nos amamos muito, mas ele é bastante caseiro e eu sempre fui muito agitada. O problema é que eu sinto muita falta de ser sozinha, sair com quem quiser, fazer o que bem entender da minha vida sem me importar com mais ninguém. Ele é a pessoa perfeita na hora errada. Eu sinto falta de ser só minha, sair e aprontar com total liberdade, mas também tenho medo de deixá-lo e me desestabilizar emocionalmente, sentir falta dele. Se eu largar acho que não voltamos, mas se ficarmos eu não sei como posso me sentir com o passar do tempo. Esse sentimento tem aumentado muito ao invés de diminuir e isso é o que me preocupa.

    Ahhh jovem! Nada contra namorar pessoas de faixa etária diferentes, veja o caso do Romário e a nova namorada que tem a mesma idade que você! Olha que casal bonitinho, eles combinam e parecem estar dando certo - aparências, nunca se sabe de verdade, mas... - Enfim, eu só acredito que relacionamentos assim dão certo se uma das partes tiver a mesma "cabeça" que o outro, não adianta você estar em uma fase baladeira e querer não ter que dar satisfações do que faz com seu tempo livre ao outro, se ele não estiver com o mesmo "espírito pra coisa".

    No caso do Romário, veja bem... o cara apesar da idade, fazer programas familiares e tal, ainda não abandou o lado "jovem" dele, curte uma balada, adora pegar uma praia... mais ou menos o que a namorada dele curte também, sendo assim ela não sente que está deixando de fazer nada ao ter ele como companhia. Já no seu caso, seu namorado não tá mais nessa fase, por isso esses pensamentos estão te consumindo.

    Sendo bem sincera, eu te aconselho não investir mais no relacionamento, do jeito que está já não é bom e só tende a piorar. Não se engane pensando que você irá mudar e se tornar mais caseira, o que está fazendo agora é reprimir seus desejos e em algum momento isso vai vir a tona em forma de frustramento e arrependimento pelo tempo perdido. Sei que não vai ser fácil largar o osso, mas imagino que logo passará e você não irá se arrepender. Aproveite que é nova e curta o máximo antes de assumir um compromisso sério, para que nunca mais passe novamente por uma situação parecida quando encontrar seu novo amor.

    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade
    Receba os vídeos do maior canal de relacionamentos do Brasil em seu e-mail.

    Cadastre seu e-mail para receber os vídeos do Mete a Colher e aprenda mais sobre sexo e relacionamento.

    Respeitamos sua privacidade